A maternidade não é mágica, mas torna a nossa realidade muito mais bela

9 de dezembro de 2018
Ficamos esgotadas, cheias de medo e com infinitas dúvidas. Mas a maternidade também tem suas belezas.

A maternidade não é uma experiência mágica, às vezes dói, sabemos disso.

No entanto, sabemos de uma coisa, uma coisa que nos revela nosso coração, nossos sentidos e cada célula do nosso corpo: até agora nunca experimentamos uma realidade tão bela e cheia de significados.

É quase certo que na sua família já tenham contado mais de uma vez a história da sua avó ou bisavó.

Aquela mulher valente que foi capaz de criar dez ou doze filhos. Alguém que, por sua vez, teve que enfrentar a perda de algum desses filhos por causa daqueles tempos de pobreza e dificuldade.

Quando ouvimos essas histórias reais, belas, mas também duras, não conseguimos evitar a surpresa.

Como elas agiam naquela época? Como conseguiam criar todos os seus filhos, enquanto você, tendo apenas um ou dois, às vezes, não consegue?

Acreditemos ou não nessas histórias, toda mulher teve as mesmas dúvidas, as mesmas preocupações e os mesmos medos.

No entanto, aí está o seu legado, a sua fantástica linhagem, essa da qual você faz parte e que agora aumenta ainda mais com a inclusão dos seus próprios filhos.

A maternidade não é uma experiência mágica. Você acaba aprendendo isso bem cedo. Na verdade, já se tem esse pressentimento durante a gravidez e se descobre no parto, constatando ao longo da criação do seu filho.

Mesmo assim, a cada passo que você dá, acontece algo excepcional que marca você para sempre: o amor que você carrega por essa nova vida, tão pequena quanto perfeita.

A maternidade não é uma experiência fácil, nem mágica, nem perfeita

a maternidade

Não existe nenhuma mãe e nenhum pai que tenha a solução para cada problema. Quando se é pai de primeira viagem, cada dia acaba sendo um constante desafio por muitas razões diferentes.

Estes seriam alguns exemplos.

Meu corpo não é mágico, não se recupera no dia seguinte ao parto

Essa é uma das realidades mais duras e das quais nem sempre se fala.

Quando um bebê nasce, todo o nosso entorno depende dessa nova vida. A mãe é estimulada a começar o quanto antes a dar de mamar, a não atrasar o horário de cada mamada, a atender ao choro do bebê, a fazer isso, a cuidar do outro, etc.

No entanto, o que acontece com o corpo dessa mulher que deu à luz? Ela não sente apenas a dor das feridas, sejam elas da cesariana ou do parto natural.

Dói por dentro, doem os órgãos que voltam ao lugar onde se encontravam. Também doem as pernas, que são vencidas pelo cansaço e pelas horas de sono acumuladas.

Mas é o amor e a as expectativas que se tem desse bebê que nos dão forças para qualquer coisa.

Não, o nosso bebê também não é algo mágico, é cheio de necessidades

a maternidade

À primeira vista, o seu bebê parece um anjo. Mas faz tempo que você descobriu que os bebês são seres de carne e osso como qualquer um de nós. Eles têm muitas, muitas necessidades que você precisa identificar e depois atender.

Com o passar do tempo, você vai conhecendo os seus costumes, aquilo de que gosta, aquilo que o faz dormir e que o faz sorrir de alegria.

Mas, quando você acha que já sabe tudo, começa uma nova fase, com novos desafios e mais exigências. Fases que, às vezes, se apresentam da pior maneira possível: com gritos, com uma criança se descabelando ou quebrando algum objeto.

Não, o seu bebê não é algo mágico. Na verdade, é igual a qualquer um de nós: sente medos e uma grande necessidade de receber afeto.

Não foi magia. Foi o amor que fez com que você se tornasse uma pessoa melhor a cada dia

a maternidade

Toda dificuldade superada, todo medo eliminado, todo avanço conseguido com essa ou outras crianças que trazem luz para sua vida, definem em grande parte o que você é: uma mãe ou pai sensacional que, consciente dos seus possíveis erros, se esforça a cada dia para fazer o melhor.

Você já não é mais aquela pessoa que era no passado, que queria o mundo todo para si. Hoje o que você mais deseja é fazer parte da vida das pessoas que mais ama, do seu cônjuge e dos seus filhos.

Hoje, você é amante das coisas simples da vida: ver seu bebê dormir, vê-lo sorrir, ver como descobre coisas novas. Esse mundo pequeno, mas fantástico, é agora o que garante a sua felicidade.

O amor agora tem um nome. E é exatamente o nome da criança de olhos grandes e vivos que chama você de mamãe ou papai.

Uma pessoinha especial que fez você perceber que, embora a criação de um filho não seja algo mágico nem perfeito como dissemos anteriormente, é, sem dúvida, o maior acontecimento de sua vida.