A teoria da organização escolar e suas características

5 de agosto de 2019
Para entender melhor a organização de uma instituição de ensino, uma teoria da organização escolar é necessária. Neste artigo, vamos falar sobre ela e sobre as suas principais características.

Em primeiro lugar, vamos expor o que entendemos por organização, em geral, e por organização escolar em particular. Com tudo isso, poderemos, posteriormente, entender o que é a teoria da organização escolar.

O que entendemos por organização?

Segundo os dicionários, a palavra organização se refere à ação e ao efeito de organizar ou se organizar. Com isso, poderíamos pensar, então, que uma organização é um grupo de pessoas que se reúnem por algum motivo e com algum objetivo comum, que se comunicam entre si e fazem atividades tanto individuais quanto em grupo.

Essas organizações, por sua vez, podem ser diferenciadas de acordo com a sua natureza mais espontânea ou formal. Ou seja, diferenciando aquelas que não são constituídas de forma explícita e formal daquelas que são constituídas com base em objetivos bem definidos.

É em torno desses objetivos nos quais uma estrutura de funcionamento é definida com atividades concretas e procedimentos estabelecidos.

A organização escolar

Estamos falando da instituição de ensino, uma organização de natureza formal, que tem uma estrutura bem definida na qual tarefas e atividades específicas são realizadas e há funções marcadas e diferenciadas.

A teoria da organização escolar e suas características

De fato, o estudo e a análise dessas organizações educacionais, dos seus elementos e dos processos que ocorrem dentro delas são a base conceitual e de conhecimento a partir da qual a teoria da organização escolar se alimenta.

Características da teoria da organização escolar

Existem muitas definições propostas por diferentes autores sobre o que é a teoria da organização escolar. No entanto, todos concordam que esta é uma disciplina científica que empresta conceitos de outras teorias organizacionais, que surgiram no mundo dos negócios, para aplicá-los ao estudo das escolas.

Poderíamos dizer que uma teoria da organização escolar se baseia no conhecimento da instituição escolar como objeto de estudo, analisando como os diferentes elementos que compõem a escola devem interagir.

Nesse sentido, a teoria da organização escolar não se limita apenas a descobrir o fenômeno organizacional, mas também tem um escopo prescritivo sobre como a ação organizacional deveria ser para ter um melhor funcionamento.

Os diferentes elementos que compõem a instituição de ensino são tanto os recursos humanos quanto os materiais, organizações administrativas e legislativas, que devem funcionar de forma a garantir a educação dos estudantes.

Existem diferentes teorias ou linhas teóricas sobre a organização escolar e, dependendo de quais forem tratadas, os elementos vão adquirir um peso relativo maior ou menor e uma interrelação específica.

Linhas teóricas da organização escolar

Teorias existencialistas

Seu ponto de partida é buscar responder à questão sobre a existência, ou não, de uma organização escolar.

  • Ausência de organização. Nesse grupo encontramos linhas teóricas que propõem uma anomia dentro da escola, ou seja, a ausência de regras. A instituição escolar deve ser capaz de funcionar com base na espontaneidade.
  • Organizações flexíveis. É proposta a necessidade de encontrar um equilíbrio entre o normativo e o prescritivo, e o espontâneo.
  • Organização formal. Esta corrente sustenta que as normas e a autoridade são fundamentais para o funcionamento da organização.

Teorias clássicas

Concebem a organização como uma estrutura mecânica na qual as pessoas são peças abstratas que permitem o funcionamento do processo.

  • Teoria da organização fisiológica. Baseia-se em um modelo taylorista da divisão do trabalho e da eficácia como garantia do sucesso e da produtividade dentro da escola.
  • Teoria da departamentalização. Sugere a delimitação e divisão especializada das funções de acordo com as capacidades das pessoas que as cumprem.

Teorias superadoras ou novas teorias

Concentram-se na consideração do fator humano e do seu grau de satisfação ao executar as funções ou tarefas atribuídas de acordo com as regras da estrutura da organização.

  • Modelo de Elton Mayo. As relações humanas têm uma influência direta na organização.
  • O modelo de Merton. A organização é bem-sucedida porque os comportamentos são apropriados de acordo com as funções e responsabilidades.
  • Modelo de Selznick. Destaca a importância da delegação da autoridade.
Linhas teóricas da organização escolar

  • O modelo Gouldner. Dá importância à existência de regras gerais e impessoais para reduzir a angústia interpessoal.
  • Teoria interpretativa. Destaca a importância do subjetivo e do simbólico, dos valores e crenças.
  • Teoria política. Argumenta que as tensões, as coalizões e negociações políticas resultantes de interesses díspares definem as organizações.

Conclusões

Em conclusão, gostaríamos de enfatizar que uma teoria sobre a organização escolar deveria considerar os elementos mais significativos e explicativos das diferentes abordagens teóricas existentes. Ou seja, devem permitir estudar e entender a organização escolar a partir da sua complexidade intrínseca.

Em resumo, assim como proposto pelas teorias superadoras ou novas teorias, uma teoria sobre a organização escolar atual deveria ser uma teoria que considere o fator humano como um elemento fundamental.