Como ajudar o seu filho a dar os primeiros passos

· 14 de março de 2017

Os nove meses do bebê são um ponto de ruptura. A partir dali nosso filho começará a dar os seus primeiros passos ou, o quanto antes, a tentar dar esses primeiros passos. Aquilo que começou como andar engatinhando, continua nesses simpáticos passinhos até que um dia ele estará correndo por todos os lados.

Quando a criança começa a andar, seus passinhos inseguros indicam um afastamento da mamãe e do papai, o qual tem sua importância real, mas também simbólica, pois se trata das primeiras tentativas de conquista de uma maior independência.

Obviamente, nós podemos ajudar eles a andarem com segurança. Por isso, aqui vamos explicar a você como acompanhar as primeiras tentativas da criança em ficar de pé e os primeiros passos dela, diminuindo a insegurança dela e a sua ansiedade como pai.

Primeiros passos, um marco no seu crescimento

Este acontecimento não é menos importante na vida de nossos filhos e, claro, na vida de qualquer pai, pois marca o começo de uma nova fase na qual eles explorarão o mundo a partir da perspectiva deles. Esse começo de uma nova fase desperta a inquietação dos pais com respeito aos perigos gerados pelos primeiros passos do bebê.

Cada bebê realiza, a seu tempo, um teste de como será esse momento. É certo que será ao longo do primeiro ano de vida, quando a criança já conseguirá dar giros em torno de si, sentar-se, engatinhar e manter-se de pé. Nesta etapa evolutiva, o baixinho buscará se apoiar em objetos para transitar por curtas distâncias que, ele irá aumentando na medida em que vá ganhando confiança.

E o que dizer de esticar os braços para que ele dê esses passinhos para chegar até vocês, não é um momento inesquecível para qualquer pai? Ainda assim, é importante que você não perca a paciência, pois pode demorar várias semanas até que a criança consiga andar sem ajuda.

Primeiros passos, um marco no seu crescimento

A chegada dos primeiros passinhos

  • De 8 a 10 meses começam as tentativas de andar, nas quais a criança fica de pé se segurando no que está no caminho dela. Logo, começam os deslocamentos laterais, ainda se apoiando em objetos, ganhando coordenação e equilíbrio. Permita a ele experimentar, incentive-o e comemore o progresso realizado por ele.
  • Quando a criança fica de pé, surge o inconveniente de não poder voltar a se sentar. Os menos independentes permanecem parados e exigem uma maior ajuda. Para que a criança ganhe mais autonomia, ensine-o a agir sozinho; flexionando os joelhos ele entenderá como ele vai conseguir “uma aterrissagem” mais suave.
  • Ainda que você deva tomar cuidado com relação à segurança do espaço nas suas primeiras explorações, não deve evitar, mesmo, o menor obstáculo. O neném aprende assim a enfrentar e superar dificuldades, e nesse caso é recomendável elogiar ele e não dramatizar as possíveis perdas de equilíbrio, cultivando sua autoestima.

Ajude o seu bebê a dar seus primeiros passos

Aprender a andar supera a conquista de um novo ato motor, representa uma fase de amadurecimento psicológico que torna a criança mais autônoma e segura de si. Portanto, além desses benefícios, existem exercícios de estimulação precoce que ajudam o seu bebê neste grande momento.

  • Posicionando-se atrás da criança, pegue-a pelas mãos e acompanhe-a na hora de andar. Ficando ao lado dela, ela se sente mais segura na busca pelo equilíbrio.
  • Pouco a pouco aumente as distâncias entre os objetos de apoio para ir acrescentando passinhos e prolongando os percursos dela.
  • Apoie as costas dela na parede ou em algum móvel seguro e chame-a mostrando a ela o brinquedo favorito.
  • Outra boa iniciativa é colocar na altura dela uma caixa para guardar os brinquedos. Nada vai entretê-la mais do que colocar e tirar os jogos de dentro dela, o que ajudará a criança a ficar de pé e a manter o equilíbrio.
  • Por mais que cada queda do bebê nos doa como se sentíssemos uma batida em nós mesmos é inevitável que o baixinho sofra essas quedas antes de atingir o equilíbrio. Pense simplesmente que se você está por perto, seu filho se sentirá seguro e protegido.
  • O espaço reservado para os primeiros passinhos também é importante. São recomendáveis as áreas livres de objetos que possam machucá-los na hora de darem seus primeiros passinhos. Por isso, o ideal é que desenvolvam esse aprendizado em superfícies que não sejam duras, mas que sejam firmes: o gramado, chão de borracha, e tapetes são fantásticos na hora de se iniciar neste desafio.
Ajude o seu bebê a dar os primeiros passos

A segurança em casa é fundamental

Uma vez observado o entorno onde a criança dará seus primeiros passinhos é urgente maximizar as medidas de segurança em casa, eliminando todos os perigos que estejam ao alcance dela. Trata-se de criar um ambiente que estimule, mas sem baixar a guarda nem nossos olhos vigilantes e críticos.

Como sabemos, mais vale prevenir do que remediar. Por isso, convém forrar as quinas dos móveis, tirar adornos frágeis, tampar tomadas, retirar objetos que possam ser perigosos, guardar em locais altos as bebidas alcoólicas, os produtos de limpeza e os remédios e, inclusive, pôr um fecho de segurança que tranque as portas e as gavetas.

Embora pareça uma informação sem importância, o calçado que ele utilizar par dar os seus primeiros passinhos também é importante. O ideal é que dê esses primeiros passinhos descalço, mas, isso muitas vezes não é possível por diferentes motivos.

Em tais casos, sugere-se um calçado que proteja seu pé e que proporcione a ele equilíbrio e estabilidade. O melhor seria um calçado confortável, suave e leve, com uma sola flexível que permita a ele uma maior liberdade de movimento.

O que dizer dos andadores? Os especialistas estão atualmente contra o seu uso, não só porque são perigosos, mas sim porque atrasa a função motora pelo fato de  a criança não aprender a sustentar o seu corpo nem a exercitar o seu equilíbrio, aspectos necessários para dar os primeiros passinhos.