Como a alimentação influencia o desempenho escolar?

· 7 de março de 2019
Há muitas evidências que mostram como a alimentação influencia o desempenho escolar. Você tem certeza de que seus filhos estão comendo tudo aquilo de que o cérebro deles precisa?

Se o seu filho está desmotivado, tem problemas de concentração ou já chamaram a atenção dela na escola, talvez você deva prestar atenção ao que ele está comendo. Embora muitas pessoas não pensem nisso, a alimentação influencia o desempenho escolar.

Durante a idade escolar, prestamos atenção especial para seguir certos hábitos de sono, bem como rotinas de lazer e de estudos. No entanto, será que estamos prestando atenção ao que os nossos filhos comem?

Se tivéssemos em mente que a alimentação tem um grande impacto no desempenho escolar, talvez começaríamos a analisar melhor o que é colocado na mesa todos os dias.

O cérebro humano continua sendo um grande enigma. Esse órgão é o computador central que governa todas as nossas funções e representa 2% da nossa massa corporal total.

Ele é composto de cem bilhões de células nervosas e um trilhão de conexões neurais, que respondem à capacidade cognitiva. Seu desenvolvimento começa nos primeiros estágios da gravidez. E aos 6 anos de idade, ele já terá atingido 90% do seu crescimento.

Embora seja verdade que existem muitos fatores para que o cérebro possa se desenvolver bem, também é verdade que uma boa alimentação pode promover a absorção ideal dos nutrientes. Além disso, influencia o desenvolvimento da linguagem, a memória, as habilidades psicomotoras, a atenção e até mesmo o estado de espírito.

Portanto, não é nenhuma surpresa que existam inúmeros estudos que tentam determinar que tipo de alimento é melhor para que nós, especialmente os mais jovens, tenhamos um desenvolvimento cognitivo saudável.

Nesse sentido, há um estudo feito com mais de 1.300 crianças espanholas entre 10 e 14 anos no qual se concluiu que a dieta mediterrânea melhora os resultados acadêmicos. Mas o que mais precisamos saber sobre esse assunto?

Os alimentos de que seus filhos precisam

Ao falar sobre como a alimentação influencia o desempenho escolar, não devemos nos esquecer de que o cérebro está constantemente gerando novos neurônios.

Essa atividade é responsável por 20% do consumo energético das crianças. Assim, uma dieta que lhes forneça todos os nutrientes de que necessitam é fundamental para que cresçam saudáveis.

Ômega 3 e 6 para boas conexões

Em geral, os peixes azuis contêm ácidos graxos ômega-3 (DHA), que são indispensáveis para que o cérebro possa transmitir os impulsos elétricos que gera.

Além disso, eles facilitam as conexões nervosas e estão relacionados com processos de aprendizado e memória. Você vai encontrá-los no salmão, nas anchovas, na sardinha, nas nozes, nas sementes de chia, entre outros.

 Os alimentos de que seus filhos precisam

Carboidratos para energia

Os carboidratos são o combustível do cérebro, é o que fornece energia ao ser transformado em açúcar. Mas atenção: os tipos realmente interessantes são aqueles denominados de absorção lenta, que fazem com que sempre tenhamos glicose disponível. É o caso dos grãos integrais, das massas e das batatas, por exemplo.

Em contrapartida, devemos evitar dar açúcares refinados, uma vez que a energia que fornecem é instantânea, mas desaparece em pouco tempo. Assim, é criado um sobe e desce muito indesejável no corpo.

O cérebro das crianças ainda não tem a capacidade de fazer uma reserva ideal de carboidratos, por isso é muito importante dar a elas alimentos que forneçam glicose constantemente.

Serotonina para o bem-estar

O triptofano é um dos aminoácidos essenciais capazes de produzir a serotonina, a substância responsável pelo bem-estar, pela concentração e pelo estado de espírito. Podemos encontrá-lo em ovos, carnes e peixes, assim como nas sementes de girassol, no chocolate –quanto mais puro melhor – e na cúrcuma.

Colina para ter neurônios fortes

Os neurotransmissores são responsáveis por transmitir informações de um neurônio para o outro. Para isso, precisamos de vitaminas do complexo B, tais como a colina, presente nos ovos. Também podemos encontrá-la nas oleaginosas ou no leite.

Ácidos graxos para a agilidade dos neurônios

As oleaginosas, o abacate e o azeite de oliva têm gorduras mono e poliinsaturadas, que promovem a memória e ajudam a tornar as funções neuronais muito mais eficientes. Eles são perfeitos como aperitivos saudáveis para favorecer um tipo de alimentação que influencia o desempenho escolar.

Os peixes azuis contêm ácidos graxos ômega-3 (DHA), que são indispensáveis para que o cérebro possa transmitir os impulsos elétricos que gera.

Cálcio para relaxar

O cálcio afeta diretamente os impulsos nervosos. Uma deficiência desse nutriente pode gerar hiperatividade ou, em caso contrário, fadiga. Além de ser indispensável para ter ossos saudáveis, no nível cerebral, vai ajudar as crianças a se concentrar melhor e a não cair em círculos de estresse.

A semente de gergelim é uma fonte rica em cálcio, da mesma forma que as nozes, os vegetais de folhas verdes ou o leite.

Proteínas e ferro para a agilidade mental

Além da carne, as leguminosas contêm tanto proteínas quanto ferro em grandes quantidades. Nelas, vamos encontrar todos os nutrientes para que o cérebro gere novos neurônios e para que o oxigênio chegue a todas as células nervosas. A agilidade mental e o desempenho intelectual têm a ver com uma boa ingestão de ambos.

Vitaminas e minerais contra a degeneração neuronal

O potássio, o magnésio e o licopeno são de grande ajuda para proteger o cérebro dos danos celulares. Os antioxidantes encontrados em bagas, bananas ou tomates são nossos aliados contra o envelhecimento das células.

Vitaminas e minerais contra a degeneração neuronal

Recomendação final

Por fim, evite alimentos ultraprocessados a todo custo para comprovar como a alimentação influencia o desempenho escolar.

Não há nenhum problema em consumi-los de vez em quando, mas não devem representar a base da alimentação das crianças, visto que já foi comprovado que podem ser cancerígenos, de acordo com um parecer da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em última análise, é recomendável que você tenha atenção para que os seus filhos bebam água o suficiente. A desidratação é muito comum e pode causar falta de atenção, mas também confusão, perda de memória, fadiga, fraqueza muscular e outros problemas mais graves.

  • Taras, H. (2005). Nutrition and student performance at school. Journal of School Health. https://doi.org/10.1111/j.1746-1561.2005.00025.x
  • Jyoti, D. F., Frongillo, E. A., & Jones, S. J. (2005). Food Insecurity Affects School Children’s Academic Performance, Weight Gain, and Social Skills. The Journal of Nutrition. https://doi.org/10.1093/jn/135.12.2831