Amidalite nas crianças: a doença que chega com o frio

· 29 de dezembro de 2017

A inflamação da mucosa da faringe se deve na maioria dos casos a uma infecção causada por vírus.

A faringite é a inflamação da mucosa da faringe, que provoca dor de garganta, irritação, febre e inchaço nas amígdalas. A amidalite nas crianças pode ser provocada pela infecção da faringe, que pode ser causada por uma grande variedade de microrganismos.

Na maioria dos casos, o responsável pela infecção é um vírus e a faringite pode ser provocada por um resfriado comum. Em pouquíssimos casos a faringite pode ser causada por bactérias. Nesse caso, a bactéria que causa essa doença recebe o nome de estreptococo do Grupo A, que provoca a faringite estreptocócica.

“Através de uma amostra de cultura faríngea é possível determinar se se trata de um vírus ou uma bactéria”

Sintomas da amidalite nas crianças

Geralmente, a faringite aparece nos meses mais frios, principalmente no inverno, quando as doenças respiratórias aparecem com mais força. Além disso, é uma doença contagiosa. Por isso, é muito provável a contaminação dentro do núcleo familiar. Mas para que você fique preparada, listamos aqui os principais sintomas:

  • Forte dor de garganta. A criança pode ter dificuldade para comer e engolir. Se olharmos a garganta da criança, vai estar vermelha e brilhante por causa da doença.
  • Febre.
  • Dor de cabeça.
  • Gânglios linfáticos inflamados.
amidalite nas crianças

Diagnóstico da amidalite nas crianças

O médico vai realizar um exame de faringe para determinar se existe drenagem ou revestimento. Também é possível examinar a pele, os olhos e os gânglios linfáticos do pescoço. Se existe uma dúvida de contágio de faringite estreptocócica, é possível realizar um exame para detectar o estreptococo na garganta. Além disso, é possível realizar exames de cultura adicionais da garganta e exames de sangue de acordo com a suspeita do agente que está causando o mal-estar.

Tratamento da amidalite nas crianças

A amidalite nas crianças pode ser tratada com paracetamol ou ibuprofeno para que a dor de garganta e a febre diminuam. Além disso, a inflamação pode melhorar fazendo gargarejos com água salgada e morna seis vezes ao dia. A medida é uma colher de chá de sal por copo de água.

Se a criança passar por seis episódios repetidos de amidalite tendo tratado com antibiótico e seguindo as recomendações do pediatra, é comum o encaminhamento para um especialista para que ele estude a gravidade do caso e determine se a intervenção cirúrgica é necessária ou não.

Por outro lado, a dificuldade para respirar causada pelo aumento do tamanho das amígdalas também costuma ser uma causa da preocupação dos pais e a posterior intervenção médica. O aumento de tamanho das amígdalas faz a criança roncar, ter apneia do sono ou dificuldades para engolir.

Complicações da amidalite nas crianças

Outras sérias complicações que podem causar amidalite nas crianças são a febre reumática, a inflamação dos rins, a bateremia (infecção da corrente sanguínea) e, excepcionalmente, a síndrome do choque tóxico. No caso de ser uma faringite grave, pode ocorrer a obstrução das vias aéreas. Também é possível ocorrer um abscesso perintonsilar ou um abscesso retrofaríngeo.

Quando o tratamento médico é necessário?

O tratamento médico é necessário principalmente quando a dor de garganta for muito forte e a criança não conseguir se curar. Ou também se tiver febre alta, gânglios linfáticos inflamados no pescoço ou erupções. Se a criança tiver dificuldades para abrir a boca ou engolir, ficar muito tempo triste e estiver com a pele seca com manchas, também é preciso consultar imediatamente o pediatra.

amidalite nas crianças

Quando se deve operar?

Uma das principais dúvidas que existem em relação a essa doença é quando a operação deve ser realizada. É recomendável operar apenas quando necessário, dando prioridade aos casos que não respondem aos medicamentos. A operação das amígdalas recebe o nome de amigdalectomia e não dura mais do que cinco minutos.

Apesar de a operação ser rápida, a criança precisa esperar 30 minutos para realizar todo o procedimento cirúrgico necessário na hora da cirurgia. Geralmente, se recebe alta no mesmo dia. Mas a recomendação mais comum é a hospitalização até o dia seguinte da operação para poder acompanhar a evolução do estado da criança. A seguir, listamos alguns pontos importantes para se levar em consideração após a operação:

  • Se foram realizados pontos de sutura, a criança poderá comer normalmente.
  • Evitar comidas quentes e muito duras.
  • Seguir uma dieta especial.

A amidalite pode complicar a saúde dos nossos filhos se sua gravidade não for corretamente determinada. Por isso, no caso do aparecimento dos sintomas, é muito importante consultar o pediatra para que ele determine a necessidade da operação ou de um tratamento específico.