Amor à primeira vista após o parto, o encontro entre mãe e bebê

· 16 de novembro de 2018
Amor à primeira vista ou imprinting do parto, dois nomes que descrevem o sentimento incondicional que mãe e filho sentem quando entram em contato pela primeira vez. Saiba mais sobre esta relação única do amor.

Os meses de gravidez se resumem a esse momento especial. Sentir essa bela criatura que foi gerada no ventre não tem preço nem palavras que possam descrever. Paramos para analisar esses momentos para conhecer sua relevância para a vida da mãe.

Momentos antes do amor à primeira vista após o parto

A gravidez ajuda e prepara a mulher para ser mãe. Ela desenvolve emoções, ativa os hormônios – como a prolactina, responsável pelo leite materno – e altera os estados de espírito.

Nesse período, acontecem muitas atividades inesquecíveis. Por exemplo, preparar o quarto do bebê acaba sendo uma atividade muito relaxante.

Ao mesmo tempo, imaginar essa bela criatura dormindo no berço é uma sensação incrível.

Obviamente, a ansiedade aumenta à medida que os meses passam. As dores avisam que o momento esperado está prestes a chegar. O corpo está repleto de angústia e felicidade.

Então, depois de tanto tempo, acontece: o bebê nasce. A mãe se apaixona no exato momento em que ocorre o amor à primeira vista após o parto. Todos os seus instintos maternos afloram nesse momento mágico.

A conexão é instantânea: o bebê se acalma com o calor da mãe, e, ela, por outro lado, sente uma necessidade de proteção que não sabia que tinha. É um momento único na vida.

Vale a pena aproveitar esse momento, pois se você tiver outro filho, vai sentir de novo, mas de uma maneira diferente. Tão intenso e comovente quanto, mas diferente do anterior.

amor à primeira vista

O amor à primeira vista após o parto nem sempre acontece

Sentir esse apego instantâneo costuma ser maravilhoso, mas isso nem sempre acontece. Algumas mães, por várias razões, não conseguem sentir essa ligação com o filho.

Uma das razões pelas quais essa rejeição ocorre são os hormônios, especificamente, a progesterona. Seu aumento exagerado faz com que a mãe tenha reações de rejeição em relação ao bebê.

Por outro lado, as mulheres que sofreram um aumento considerável do nível de corticoprina – responsável pela gestão do estresse – costumam sofrer de depressão pós-parto. Isso gera mudanças radicais de ânimo e uma série de emoções estranhas.

Além disso, o fato de ter uma gravidez traumática ou experiências desagradáveis também tendem a gerar esse tipo de atitude.

Ter um mau relacionamento conjugal ou enfrentar alguma mudança grave na vida pode também impedir o apego da mãe pelo seu bebê.

É comum algumas mães experimentarem rejeição, especialmente as mães de primeira viagem. A recuperação desse distanciamento pode levar alguns dias, enquanto mãe e filho se adaptam um ao outro.

Mas, com o passar dos dias, os laços entre mãe e filho vão se fortalecendo. Isso costuma ser a melhor terapia para recuperar o desejo e o apego que não floresceram com o amor à primeira vista após o parto.

O ato de amamentar, além de alimentar e nutrir o bebê, auxilia no estreitamento da conexão entre mãe e filho. Assim, abre um poderoso sistema de amor repleto do prazer por estar juntos.

No momento em que o bebê agarra o mamilo, os dois corpos se enchem de hormônios: ocitocina, prolactina, e, no caso da mamãe, endorfinas. Esses são os canais condutores de um amor incondicional.

“A decisão de ter um bebê é transcendental: significa decidir que a partir desse momento seu coração vai começar também a caminhar fora do seu corpo”

-Elizabeth Stone-

Relação entre mãe e filho após o amor à primeira vista pós-parto

Como todo processo, assimilar essa nova forma de vida leva um tempo. O bebê deve se adaptar a um novo mundo, em que nós não entendemos as suas necessidades. Por esse motivo, ele chora.

Por sua vez, a mãe entende que há agora uma nova vida que está sob o seu comando. Ela deve fazer o melhor possível para fazê-la feliz, dando-lhe muita atenção e amor incondicional.

amor à primeira vista

Como ajudar a criar o ambiente propício ao amor à primeira vista após o parto?

A maioria dos hospitais ou maternidades tem o hábito de colocar o bebê no peito da mãe ou mostrá-lo à mãe para, em seguida, retirá-lo, limpá-lo e vesti-lo.

Entretanto, a primeira hora é fundamental para fortalecer a ligação entre os dois. Ambos precisam um do outro. Por isso, é aconselhável não perturbar os dois durante esse período de tempo.

Permita-lhes descobrir rapidamente sua conexão indestrutível para o resto da vida. Se separarem o bebê da mamãe imediatamente, ele pode acabar se sentindo isolado e desconectado.

Com isso, acaba acontecendo uma grande desmotivação em cobrir as necessidades do bebê. No pior dos casos, pode causar tristeza, culpa ou depressão na mãe.

Concluindo, é de extrema importância respeitar esse espaço entre mãe e filho. É nesse encontro que começa a viagem de suas vidas, inicia-se a amamentação e o reconhecimento do calor protetor de mãe.