Anemia na adolescência

16 Fevereiro, 2020
Quais são as causas da anemia na adolescência? Hipotireoidismo, doença renal, dietas veganas sem acompanhamento e períodos menstruais agressivos nas mulheres podem ser a origem desse distúrbio.

Os quadros anêmicos são caracterizados, acima de tudo, pela redução dos glóbulos vermelhos do paciente. Pode afetar tanto crianças quanto adultos, mas vale destacar que a anemia na adolescência pode ser difícil de tratar. 

É preciso lembrar que a adolescência é uma fase de múltiplas mudanças para o organismo. Portanto, ela envolve um grande desgaste, em todos os aspectos. Se uma condição como a anemia for adicionada, as perspectivas podem ser muito difíceis para o jovem.

No entanto, o seu humor e bem-estar podem ser afetados por diversos distúrbios. Um deles é a anemia, cujas principais características, causas e tratamento serão detalhadas a seguir.

Relação entre ciclo menstrual e anemia na adolescência

Existem condições corporais que aumentam as chances de sofrer dessa doença. Por exemplo, meninas jovens que eliminam muito sangue durante a menstruação geralmente são vulneráveis, pois são propensas à anemia ferropriva.

Nesses casos, deve haver um acompanhamento médico regular. O ideal é que a menstruação não afete a qualidade de vida dessas jovens, embora às vezes isso aconteça. Esse problema geralmente afeta a saúde e também outras áreas, como a acadêmica ou até mesmo a social.

No entanto, a presença de um período menstrual com fluxo sanguíneo abundante não é o único gatilho para a anemia na adolescência. De fato, os adolescentes do sexo masculino também podem sofrer com a perda de glóbulos vermelhos.

Anemia na adolescência

Jovens afetados pela fadiga própria da anemia

Por outro lado, o estilo de vida pode influenciar bastante. Por exemplo, jovens que seguem dietas vegetarianas costumam apresentar quadros de anemia. O problema está em eliminar a ingestão das proteínas da carne. Nesses casos, o melhor a se fazer é encontrar substitutos.

As doenças renais e o hipotireoidismo também podem causar anemia. Por outro lado, existem pessoas que trazem problemas de absorção de ferro desde a infância. Todos esses pacientes são vulneráveis ​​à fadiga.  

No caso dos adolescentes do sexo masculino, esse tipo de problema é muito menos comum. Neles, a anemia surge como consequência das condições mencionadas acima.

A anemia na adolescência pode se manifestar por meio de fadiga e sonolência, entre outros sintomas.

Anemia na adolescência: a falta de ferro é o ponto principal

A falta de glóbulos vermelhos ou a sua deficiência, juntamente com a falta de ferro no organismo, geram uma diminuição do oxigênio que vai para cada órgão.

De fato, o ferro é o responsável por transportar esse componente para todos os órgãos do corpo humano. Portanto, uma parte fundamental do tratamento consiste em consumir suplementos de ferro.  

A boa notícia é que essa situação pode ser evitada. Dietas e suplementos nutricionais são essenciais para normalizar a vida do adolescente. Para isso, os pais devem conhecer os sintomas para estarem alertas.

Sintomas de anemia

Se a carga de energia de um adolescente for muito baixa, talvez seja hora de agir. Um jovem que se cansa rapidamente e dorme demais pode estar com anemia.

Outros sintomas são a presença de pele pálida, irritabilidade, perda de apetite e infecções que se repetem constantemente. Além disso, sofrer de arritmias e acelerações dos batimentos cardíacos também pode ser um sintoma dessa condição.  

Por outro lado, a anemia na adolescência impede que os afetados tenham uma linha de crescimento normal. Para evitar riscos, as consultas médicas sempre devem ser mantidas, mesmo que seja anualmente.

Anemia na adolescência

Tratamento da anemia

No caso dos adolescentes afetados, a melhor solução é evitar o mau estado dos glóbulos vermelhos. Quase sempre, os tratamentos recomendados pelo médico são os seguintes:

  • Alimentação reforçada: o paciente anêmico deve consumir alimentos ricos em ferro. Carnes, cereais e grãos geralmente são ricos nesse mineral.
  • Suplemento de ferro: em muitos casos, recomenda-se a compra de um suplemento de ferro. Quase todos que são vendidos sem receita médica geralmente são úteis para reforçar a alimentação.
  • A vitamina B também ajuda: o consumo de complexo B e de vitaminas desse grupo geralmente é o reforço ideal. Tanto as apresentações em cápsulas quanto as injetáveis funcionam.
  • Anemia avançada: se a condição for mais avançada, outras medidas serão tomadas. Por exemplo, as transfusões de sangue geralmente ajudam pacientes em meio a crises. Existem também medicamentos para a composição do sangue.

Na prática, todos os tratamentos devem ser aprovados por um médico especialista, especialmente se houver outras doenças. Além disso, uma dieta equilibrada e o reforço de vitaminas e minerais nunca será demais.

  • Guía breve sobre la anemia. National Institutes of Health.
  • World Health Organization. Iron deficiency anaemia assessment, prevention and control. A guide for programme managers. Geneva, Switzerland. World Health Organization 2001.
  • Garanito Marlene P., Pitta Tassiana S., Carneiro Jorge David A.. Deficiência de ferro na adolescência. Rev. Bras. Hematol. Hemoter.  [Internet]. 2010; 32 (2): 45-48. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-84842010005000056