Como agir em relação à irritabilidade das crianças

· 18 de dezembro de 2017

A maioria das crianças atravessa uma etapa em que se tornam irritadiças, reclamonas e com raiva de tudo. Muitas vezes nem elas mesmas sabem a verdadeira causa do seu mau humor e, em outras, são incapazes de verbalizá-lo. A irritabilidade das crianças: essa fase que todo pai quer saber como administrar.

Seja através das birras, pirraças, episódios de choro ou mau humor crônico, um grande número de crianças passa por uma etapa na vida – que pode surgir em diferentes idades – em que parece se irritar com tudo. Especialmente com as pessoas com quem convivem mais tempo.

Dependendo da idade, da fase de desenvolvimento e do contexto familiar, social e pessoal, esse estado de ânimo pode se manifestar de diferentes formas. Também pode ser resultado de diferentes motivos. Por isso, é importante que os pais estejam preparados para saber como reagir quando essas situações acontecerem.

Como agir em relação a irritabilidade das crianças

Causas de irritabilidade das crianças

A irritabilidade das crianças é difícil de ser diagnosticada. Sobretudo para aquelas que não conseguem expressar as razões da sua raiva. Esse é o caso dos bebês, porque não sabem falar, e das crianças que desconhecem exatamente o que está causando esse mal-estar. Pode ter causas físicas ou psicológicas e pode ser circunstancial ou se prolongar por certo período de tempo. 

Esses são os desencadeadores mais comuns de irritabilidade das crianças:

  • Doença: a criança pode se mostrar irritada se estiver com dor de cabeça, garganta, estômago, ouvido, gengiva ou nos dentes. Nesses casos é preciso consultar um pediatra para que diagnostique a doença e receite a medicação ideal.
  • Fatores psicológicos: conflitos familiares, ter passado por uma situação traumática, as pressões escolares e sociais, a depressão, alguma dor temporária e inclusive as desordens de atenção são causas de irritabilidade das crianças. Além disso, ficar irritado pode ser um primeiro sinal de autismo se for acompanhado de interação social escassa e preferência por solidão. Também é recomendável a assistência profissional para tratar desses problemas.
  • Hábitos inadequados: má alimentação (como o consumo de cafeína, por exemplo), a falta de sono ou a estimulação sensorial em excesso podem ser difíceis para as crianças. Portanto, podem irritá-las.
  • Mudanças causadas pelo desenvolvimento: muitos bebês e crianças pequenas se irritam quando nascem os dentes. Mais adiante em suas vidas, o próprio crescimento pode causar dores articulares e musculares que causam mal-estar. Da mesma forma, as mudanças hormonais da puberdade também podem produzir o mesmo efeito.
  • Mudanças bruscas de hábitos ou rotina: se os adultos se estressam com qualquer mudança pequena ou grande, imagina o que essa mudança pode produzir no comportamento e no humor de uma criança.

Como controlar a irritabilidade das crianças

Existe algo importante para se ter em mente: quando uma criança mostra sinais de mau humor e irritabilidade é porque algo aconteceu. Ninguém se irrita simplesmente porque sente vontade. Se pudéssemos escolher, passaríamos o dia nos divertindo a cada instante, as crianças ainda mais.

A irritabilidade das crianças é difícil de ser diagnosticada

Em vez de nos colocarmos no papel de juízes, é melhor interpretar o que está acontecendo com a criança. Converse com ela e busquem uma solução em conjunto.

Esses são alguns conselhos a ter em mente:

  • Antes de tudo verifique e descarte a presença de alguma doença que possa estar causando o mau humor.
  • Promova a diversão: leve-o ao parque para que se distraia, pratique seu esporte favorito ou brinque ao ar livre.
  • Fale com a criança para que expresse seus sentimentos: encontrar em você uma confidente com quem pode buscar uma saída ao seus problemas é muito bons para os pequenos.
Como agir em relação a irritabilidade das crianças

  • Desconectar-se do que provoca a irritação: dançar, tocar um instrumento, sair para passear ou brincar com algo que a criança goste pode ser a distração necessária para deixar de lado a dor, angústia ou a irritação que a estressa.
  • Ficar tranquila: se respondemos à irritação com mais raiva, o resultado com certeza não será positivo. Devemos ser um exemplo de calma e de racionalidade na hora de enfrentar conflitos. O exemplo é o melhor professor.
  • Não suborne com prêmios: se diante de cada episódio de pirraça, seu filho consegue que você compre algo, não tenha dúvida de que esses episódios serão mais frequentes. O caminho é o oposto: diminua alguma das suas atividades favoritas diante de cenas de irritabilidade injustificadas.

A irritabilidade pode ser resolvida

“Quando uma criança mostra sinais de mau humor e irritabilidade, é porque algo acontece. Devemos falar com ela e interpretar o que está acontecendo”

Finalmente, é preciso destacar uma vez mais que as crianças reagem de forma espontânea ao ambiente. Se existe algo que as perturba, que machuca ou irrita, elas vão exteriorizar. Devemos aguçar nossos sentidos e o instinto paternal para identificar o que é normal e o que não é para poder ajudar. Se você não conseguir, não hesite em consultar um profissional.