Apendicite em adolescentes

20 Maio, 2020
A infecção do apêndice em adolescentes pode ser uma das situações de maior dor intensa. Embora represente um risco significativo, inclusive para a vida do paciente, é um problema que pode ser resolvido com uma cirurgia simples.

A apendicite é uma infecção ou inflamação do apêndice que causa dor aguda intensa e que aparece principalmente entre os 10 e os 16 anos de idade. Esse problema deve ser tratado a tempo. Para isso, a remoção do órgão é a maneira típica de curar a apendicite em adolescentes.

Assim como o próprio nome indica, o apêndice é um órgão agregado do lado direito do intestino grosso que tem entre cinco e nove centímetros de comprimento.

Embora a sua função não tenha sido estabelecida, sabe-se que o desenvolvimento físico típico da adolescência pode levar a uma obstrução na comunicação com o intestino.

A inflamação gerada, se não tratada a tempo, pode levar a infecções fortes que causam peritonite. A vida do paciente pode até mesmo ficar em perigo nessas situações.

Sintomas de apendicite em adolescentes

A dor e os sintomas da apendicite em adolescentes são progressivos. No entanto, conhecendo as probabilidades próprias da idade, os pais devem estar atentos a um possível caso de inflamação do apêndice. Se tratada a tempo, a operação e a recuperação serão tranquilas.

Os sintomas da apendicite são os seguintes:

  • Dor persistente do lado direito do umbigo.
  • A dor desce e inclui a parte inferior do abdômen.
  • Possível presença de náuseas e vômitos.
  • Dificuldade para evacuar as fezes e constipação.
  • Além da dor constante, há cólicas.
  • Diarreia.
  • Abdômen inflamado: o toque se torna cada vez mais doloroso.
  • Perda total ou parcial do apetite.
  • Alta quantidade de glóbulos brancos.
Apendicite em adolescentes

Possíveis causas da apendicite em adolescentes

Basta imaginar a dor de qualquer infecção externa para lembrar que a pele fica inflamada e rígida. Nos adolescentes, a apendicite pode estar associada ao estresse, bem como a um estilo de vida desordenado.

De acordo com especialistas, quando o corpo está em pleno desenvolvimento, os cuidados e uma vida saudável devem ser tão importantes quanto nas crianças pequenas. Nessa fase da vida, os jovens pacientes podem resistir a consultar o médico.

Entre os 10 e os 16 anos, eles ainda não são adultos, mas também não são mais crianças. Isso pode fazer com que, ainda que estejam sofrendo fisicamente, eles sejam capazes de suportar a dor na esperança de que ela desapareça por conta própria.

Na verdade, os desconfortos da apendicite não só precisam de tratamento urgente, como também podem levar a problemas sérios. A peritonite é a ruptura do apêndice. Quando isso acontece, o pus da infecção começará a afetar a superfície abdominal.

A dor é tão intensa que um simples toque na pele da pessoa causa um grito de dor. Nesse ponto, é praticamente impossível dar um único passo.

A inflamação gerada, se não for tratada a tempo, pode causar graves infecções que levam à peritonite.

O que fazer diante dos sintomas de uma apendicite em adolescentes?

O sintoma mais importante é a dor intensa. Embora possa ser mal interpretada inicialmente, é essencial consultar o pediatra ou clínico geral. Idealmente, o paciente deve ficar deitado e tão imóvel quanto possível.

Em alguns casos, o quadro de infecção pode avançar mais rapidamente do que em outros. É conveniente, portanto,  proporcionar um ambiente de muita calma e tranquilidade, até a chegada do socorro médico.

Além disso, não devem ser administrados analgésicos, alimentos ou medicamentos. Em um caso de apendicite em adolescentes, é muito útil jejuar e incluir líquidos. Tomando essas precauções, o diagnóstico e o tratamento poderão ser feitos sem demora.

Diagnóstico de apendicite

Embora os médicos possam detectar a apendicite pelo toque, são necessários diversos procedimentos e exames médicos para confirmar o diagnóstico e prosseguir para a operação. Uma vez admitido no hospital, o paciente deve fazer:

  • Ecografia ou ultrassom.
  • Contagem de glóbulos brancos.
  • Exame de urina para descartar possíveis infecções do trato urinário.
  • Enema de bário – exame do trato inferior do intestino.
  • Tomografia computadorizada.
  • Laparoscopia.

Tratamento da apendicite: apendicectomia

A cirurgia é a única maneira possível de erradicar a apendicite em adolescentes. E ela é realizada após a obtenção dos resultados dos exames. O tempo entre a hospitalização e a operação geralmente é de 2 dias.

Esse procedimento é realizado sob anestesia geral. Como é uma condição mais do que frequente em jovens, está entre as intervenções de rotina em qualquer instituição médica.

Apendicite em adolescentes

Maneiras de prevenir a apendicite em adolescentes

A lista a seguir pode ajudar os adolescentes a cuidarem de si e evitar o desconforto da apendicite.

  • Manter uma rotina alimentar com horários fixos.
  • Beber bastante líquido, de preferência água.
  • Praticar esportes ou atividades físicas de intensidade média regularmente.
  • Evitar o uso frequente de aspirina ou medicamentos que irritem o intestino.
  • Não fumar.
  • Mastigar os alimentos com calma.
  • Não adiar a necessidade de defecar.

Em conclusão, embora às vezes pessoas muito saudáveis ​​possam sofrer de apendicite, as medidas de prevenção nunca são demais. Devemos enfatizar que, embora esteja entre os problemas mais comuns entre os adolescentes, a apendicite pode levar a complicações graves.

  • Cuervo, J. Apendicitis aguda. Rev. Hosp. Niños (B. Aires) 2014; 56 (252): 15-31 /15. [En línea].
  • Parswa, A. Apendicitis. Manual MSD- Versión para público general. [En línea]