Para aproveitar a maternidade é necessário saber o que é prioridade

· 17 de julho de 2017

Criar uma criança exige amor, força, constância, e sobretudo paciência. Essa experiência, embora não seja um mar de rosas, também não pode ser um inferno. Pelo contrário, a maternidade é um papel, que pode ser aproveitado muitíssimo. E para conseguir isso, é necessário priorizar.

Priorizar é uma das melhores atividades que todo ser humano pode fazer. Todos nós precisamos aprender a administrar nosso tempo e nossa energia para poder conseguir alcançar qualquer objetivo estipulado. Nesse caso, estabelecer de maneira clara e objetiva as prioridades do seu modo de criação, e, inclusive, a sua rotina, fará com que a maternidade acabe sendo mais prazerosa e feliz.

Uma das melhores estratégias para definir o que é importante e o que não é tanto assim, é aprender a aproveitar o tempo na companhia do seu filho. Talvez, quando ele é muito pequeno você se sente pressionada pelas tarefas que tem de cumprir para atendê-lo, somando-se a isso, cuidar da casa e se dedicar ao trabalho.

É normal que isso aconteça, a questão está no fato de que quando você decide o que é realmente importante ou urgente, gera-se uma carga mental e emocional experimentada quando você não consegue fazer tudo o que você planeja mentalmente. Se isso acontece com você, então é a hora de pegar um lápis e uma folha de papel para escrever suas prioridades.

É impossível ganhar todas as batalhas

Muitas vezes sem querer e sem nos darmos conta, nossa casa se torna um cenário de guerra, onde abundam discussões por causa da eterna desordem, pelas tarefas da escola que falta fazer, pelo barulho que fazem os amigos, pelas más repostas que as vezes nos damos entre nós mesmos…

E embora esteja claro que toda família deve respeitar as regras da casa, também é verdade que muitas vezes a dinâmica da casa parece estar contra a felicidade daqueles que moram nela.

Se você descobre o que está inserido nessa dinâmica pouco construtiva, e na maioria das noites você se deita amargurada e cansada de tanto brigar, então é o momento de avaliar o que está acontecendo.

Para romper esse tipo de círculo vicioso é preciso que você faça uma reflexão por um momento, e dê um tempo para respirar e pensar se de verdade é tão importante alquilo do que você vive reclamando. Para você ser sincero a respeito dessa pergunta pode pegar um lápis e um papel e fazer este exercício:

Divida a folha em quatro partes iguais e anote o que é importante, o que é indispensável, o que é desejável e o que pode ser postergado dentro da sua rotina diária. Escreva em cada uma dessas seções essas coisas das quais você reclama tanto, além das que fazem com que você brigue diariamente e tornam a sua vida familiar um caos.

Esse simples exercício pode ajudar você a se dar conta de que muitas vezes discutimos por coisas que não são importantes nem tão urgentes. Além disso, darão a perspectiva necessária para você refletir sobre o fato de que todas as crianças aprendem – no ritmo delas- a fazer as tarefas e a organizar o quarto delas.

E que o fato de que às vezes não façam exatamente o que lhes é pedido não deve fazer com que você se aflija, porque embora seja desejável que obedeçam sempre, a verdade é que às vezes, algumas tarefas que as encarregamos de fazerem não são indispensáveis.

Priorizar ajuda você a organizar o seu dia-a-dia

Fazer uma lista de prioridades pode ajudar você a se dar conta de que, às vezes, nós adultos costumamos ser exigentes e que, às vezes, é bom ajustar nossas expectativas com a realidade, o que inclui a idade de nossos filhos, o tempo que lhes encarregamos para fazer coisas que nem são tão importantes e a energia que desperdiçamos ao não priorizar adequadamente nossas metas e tarefas.

Muitas vezes, a experiência da maternidade está sobrecarregada de responsabilidades autoimpostas e de pressões externas baseadas nos padrões que, segundo a sociedade, as mães devem seguir.

Esses padrões fazem com que a maioria das mães se sintam extremamente estressadas e esse estado de espírito lhes impede de aproveitar o papel que têm como acompanhantes do processo de crescimento de seus filhos.

Seu filho não pede a você mais do que amor, companhia e orientação. Aproveite o tempo que passa com ele, porque o tempo passa rápido sempre. Escolha bem as batalhas que vai travar e trate de não se afligir com causas perdidas ou por exigir da criança coisas que pela idade dela, maturidade, ou qualquer outra circunstância não consegue cumprir no momento.

Lembre-se sempre que o mais importante dessa experiência chamada maternidade é acompanhar a vida de seu filho. Faça isso com respeito e além disso, não sobrecarregue a si mesma com questões que não são indispensáveis, priorize, relativize, concentre-se no que é importante, e trate de cultivar um bom clima em casa. Esse bom clima será sempre um dos melhores aliados para você conseguir aproveitar o fato de ser mamãe.