As primeiras refeições do bebê: como incorporar alimentos sólidos em sua dieta?

· 17 de julho de 2018
Chegou a hora de complementar a dieta do seu bebê com alimentos sólidos. Tire suas dúvidas neste artigo!

Como se sabe, a melhor alimentação durante os primeiros 6 meses de vida é o leite materno. Mas, depois dessa idade, o bebê deve ter sua alimentação complementada com suas primeiras refeições, nas quais você deverá incorporar alimentos sólidos em sua dieta. É aqui onde aparecem os medos e dúvidas.

Não há razão para se apressar em incorporar sólidos na alimentação de seu filho. E, é claro, o ideal é consultar previamente o pediatra para que ele aponte o momento adequado de oferecer as primeiras papinhas ao pequeno.

Certamente você está confusa e atordoada ao receber essa série de conselhos familiares tão opostos e confusos. Por isso, neste artigo vamos te ajudar a se preparar para esta transição alimentar. Como começar? Quais alimentos não devo dar de forma alguma? Por que meu filho não come? Descubra aqui!

Primeiras refeições do bebe: quando incorporar alimentos sólidos?

A maioria dos bebês estão prontos para incorporar os sólidos a partir dos 5 a 6 meses, embora cada criança tenha seu próprio ritmo. No entanto, há uma série de sinais que alertam sobre o desenvolvimento do bebê para ingerir esses alimentos:

  • Ele consegue manter a cabeça erguida? Um dos sinais é ter o controle de sua cabeça, além de conseguir se sentar sozinho ou com alguma ajuda.
  • Ele se interessa pela comida? Se a criança abre a boca quando você se aproxima dela com algum alimento ou observa com atenção como os adultos comem, provavelmente seja o momento certo de incorporar sólidos na sua dieta.
  • Ele consegue levar o alimento de uma colher para sua boca e engolir? Se o seu filho consegue fechar a boca em torno da colher enquanto utiliza os lábios e a língua para engolir a comida, então provavelmente ele esteja pronto para provar suas primeiras refeições.
  • Ganho de peso de maneira diretamente proporcional com o aumento de apetite. Normalmente, as crianças estão preparadas para incorporar os sólidos em sua alimentação quando dobraram seu peso de nascimento. Ao mesmo tempo, você vai perceber que a criança tem cada vez mais apetite.
  • Senta direito quando tem apoio. Se a criança consegue se sentar em seu lugar para comer mantendo uma posição vertical, é uma indicação de que é o momento em que ela pode começar gradualmente a engolir bem os alimentos.

Como alimentar meu filho?

Comece devagar, com pequenas colheradas e conversando com o bebê durante o processo. Pois certamente ele não vai saber o que fazer no começo. É possível que pareça confuso, brinque com comida na boca ou na mão, rejeite-a totalmente ou torça o nariz como um gesto de desaprovação ou desconfiança.

Por isso, você não deve frustrar se os seus primeiros alimentos sólidos acabarem no cabelo, no rosto, nas mãos ou no babador do seu bebê. Evite que seu filho coma enquanto chora ou fique se virando enquanto você dá a comida. Lembre-se de aumentar as porções oferecidas ao bebê gradualmente.

O começo não é fácil nem rápido, pois introduzir sólidos requer altas doses de paciência. Por isso, considere que esse momento especial e esperado que você enfrenta com tanta energia pode se tornar cansativo e desgastante pela falta de hábito de seu filho. Não fique frustrada!

primeiras refeições

A paciência é sua melhor aliada

Nesse sentido, os pediatras aconselham a ir com calma nas primeiras refeições dos bebês. Eles também afirmam que os primeiros semissólidos não substituem o leite materno, nem adicionam elementos nutricionais que faltam. Na verdade, são uma preparação para o bebê.

Da mesma forma, os especialistas adicionam um conselho: a mãe não deve se mostrar ansiosa nem acrescentar condimentos para despertar o apetite da criança. Muitas mães cometem erro de adicionar mel, açúcar, sal ou azeite às papinhas.

Desde já, evite essa estratégia que não apenas é pouco saudável para crianças tão jovens, mas as afasta dos bons hábitos alimentares. Também fuja das papinhas para bebê comerciais com corantes, pois não há nada como a caseira. Tenha paciência, o processo requer tempo e dedicação!

Chegou a hora: com quais alimentos devo começar?

Como dissemos a ideia de incorporar sólidos ou semissólidos, inicialmente, tem uma função mais de aprendizagem do que de nutrição. Por isso, é preferencialmente complementar ao leite materno. No entanto, tenha em mente que este é o momento chave para começar a criar hábitos e rotinas desejáveis e saudáveis.

Nesta fase, você pode começar a dar:

  • Purê de legumes. Tende a ser o primeiro alimento sólido que o pediatra de seu filho incluirá na dieta dele. Um de cada vez, você deve fazer purê de batata, cenoura e abóbora, nessa ordem. Em seguida, você pode fazer o famoso purê tricolor que consiste na mistura dos três legumes.
  • Papinhas de frutas. Paralelamente, você poderá incorporar sólidos tais como a pera e maçã. Principalmente na forma de compotas, já que são menos ácidas, têm uma consistência mais fácil de digerir e uma maior tolerância por parte do bebê. Em seguida, além de aumentar a quantidade oferecida ao bebê, você pode abrir o leque de variedades e lhe dar bananas e laranjas, que devem estar preferencialmente maduras. Qualquer uma das frutas pode ser oferecida na forma de papinha, fresca ou tipo compota cozida, dependendo da forma como você as apresenta, fornecem vitaminas, proteínas, minerais e fibras.
  • Cereais. O seguinte passo para dar as primeiras refeições do seu filho é incorporar cereais, como polenta e farinha de sêmola no início, arroz e sopa de macarrão depois. E aqui é fundamental ter cuidado porque você deve ter atenção para que não tenham glúten, uma proteína presente no trigo, aveia, cevada e centeio que pode ser mal tolerada pelas crianças, despertando a doença celíaca, que se manifesta através de diversos sintomas.

Pouco a pouco

Os especialistas sugerem incorporar sólidos gradualmente, um de cada vez, esperando pelo menos dois dias entre alimentos diferentes para perceber possíveis reações alérgicas a qualquer um deles. Diarreia, vômitos, inchaço, erupção cutânea e dificuldade para respirar são sinais de alerta.

Nunca é demais dizer que o ideal é consultar o pediatra sobre quais alimentos começar a dar e quando é prudente ir adicionando novos. Provavelmente o doutor irá desaconselhar alimentos que geralmente são alergênicos como a soja, os produtos lácteos, os ovos, o trigo, o peixe, o amendoim e o chocolate.

primeiras refeições

Incorporar sólidos: Considerações adicionais sobre as primeiras refeições

Claro que é uma excelente iniciativa que a criança se acostume a comer uma grande variedade de alimentos. Mas lembre-se de que a transição vai levar tempo, uma vez que implica em se acostumar a cada novo sabor e textura.

Não fique zangada se seu filho parece não gostar de algum sabor, ofereça de novo mais para a frente. Além disso, não deixe nenhum alimento fora da dieta do bebê pela simples razão de que você não gosta. Não se esqueça de lhe dar água e até mesmo teste incluindo sucos naturais em sua dieta, ele vai adorar!

Alergias e alimentos para evitar

Os especialistas sugerem não incluir determinados alimentos antes do primeiro ano, especialmente se houver histórico familiar de alergias. Por outro lado, certos alimentos devem ser evitados até os 3 anos, dado que não se dissolvem rapidamente na boca e a criança pode se sufocar. Então, evite:

  • Ovos
  • Peixe
  • Lácteos
  • Chocolate
  • Doce de leite
  • Morangos e kiwi
  • Soja
  • Glúten (trigo, aveia, cevada, centeio)
  • Mel
  • Amendoim
  • Grãos de milho
  • Pipoca
  • Doces duros
  • Frutas secas