Como introduzir novos alimentos na dieta do seu filho

· 22 de dezembro de 2016

A dieta do seu filho é uma coisa à qual você provavelmente  dedica um esforço diário. Mais ainda se seu filho for daqueles que não gostam de comer. Muitas crianças são bastante seletivas com comida. Elas preferem comer quase sempre as mesmas coisas, preparadas mais ou menos da mesma forma. Assim, variar a dieta e introduzir novos alimentos se torna um verdadeiro desafio diário.

Nós quase sempre acabamos nos angustiando como mães, pois sabemos que os pequenos precisam de uma alimentação balanceada para construir um  desenvolvimento saudável.

Expectativas com a dieta

A primeira coisa que você deve conhecer são as necessidades nutricionais do seu filho. Dessa forma vai poder adequar as porções diárias de cada grupo de alimentos. Para ter uma maior precisão leve seu filho a um pediatra ou nutricionista. Essas quantidades podem variar de acordo com o país em que vocês vivem e as condições particulares do seu filho.

Se você adéqua suas expectativas certamente também vai adequar as porções.

Tenha em mente que durante o primeiro ano de vida o bebê precisa triplicar o peso. Mas uma vez atingidos os 12 meses de idade o crescimento se mantém constante, mesmo que mais lento, devido à diminuição da ingestão de calorias.

É importante que você saiba também que os hábitos alimentares não se consolidam até após a adolescência. Assim, respire fundo porque a tarefa de estabelecer bons hábitos na dieta dos nossos filhos dura muito tempo.

variar

Os especialistas recomendam

  • Ofereça pequenas quantidades do novo alimento. Assim seu filho consegue tolerar e consumir um pouco, o que já é suficiente.
  • Seja constante e persistente. Isto é, tente de novo com o mesmo otimismo quantas vezes forem necessárias.
  • Faça da hora da refeição um momento ameno e agradável. Se você não se sentar à mesa motivada, provavelmente a menor das queixas vai fazer com que você caia da cadeira. Se o momento de se sentar à mesa não for agradável você não vai conseguir que seu filho se anime para provar novos alimentos.
  • Não o obrigue a comer tudo. Se ele só deu uma provadinha, sinta-se feliz.
  • Apresente os alimentos de forma inovadora. Hoje em dia há muitas ideias para isso.

Seja persistente ao variar a dieta

Ser persistente para conseguir mudanças na dieta do seu filho é o que provavelmente vai ser mais difícil. Mas você não está sozinha, quase todas as mães passam por isso.

Dessa forma, a maioria das crianças sente aversão por alimentos novos. Entretanto, foi descoberto que se o mesmo alimento for oferecido repetidamente, pelo menos 8 vezes, é muito mais provável que a criança gourmet se atreva a provar e ainda acabe gostando.

Evite então se sentir frustrada com as birras do seu filho e ofereça constantemente os alimentos que você deseja que ele prove. Se você deixa passar muito tempo entre uma vez e outra vai ser muito difícil atingir seu objetivo.

Assim, o melhor é ir incorporando um ou dois alimentos novos por semana. Dessa forma poderá alternar um dia entre eles, até chegar às 8 ou 10 vezes. Antes de chegar a esse limite seu filho já deve ter se “aventurado” a provar. Uma vez que você tenha conseguido isso, não deixe de oferecer o alimento frequentemente.

variar

 Variedade é a chave

É importante também variar no modo de preparação. Especialmente dos vegetais que são uma dor de cabeça para todos os pais. Geralmente, os adultos costumam associar vegetais com estar de dieta. Mas no caso das crianças não se trata disso. Assim, você pode tentar receitas mais saborosas e inovadoras, mesmo que não sejam necessariamente “saudáveis”, pois o objetivo não é seguir uma dieta específica para perder peso, mas sim incorporar novos alimentos e se habituar aos sabores e às texturas que eles têm. Dessa forma, no futuro seu filho não vai precisar fazer dieta já que come de maneira balanceada e saudável.

Você pode tentar com vegetais gratinados, empanados, picados como parte de outras receitas, assados no forno ou na churrasqueira. Eles também podem ser salteados na frigideiras ou cozidos no vapor.

O mais importante no caso das crianças não é somente que a comida seja saborosa, mas que aparente estar saborosa. Do contrário, não há quem os convença a provar qualquer prato.