As técnicas da disciplina positiva

· 30 de abril de 2018
Descubra a seguir quais são as técnicas da disciplina positiva e sua respectiva importância no dia a dia dos nossos filhos.

As técnicas da disciplina positiva são todas aquelas expressões voltadas à realização dos objetivos em vez do castigo e da imposição. 

E qual é o objetivo comum de todas essas técnicas? Muito simples. Trata-se de tentar fazer com que as crianças ou os jovens colaborem e participem. Assim, eles vão se acostumar de uma maneira saudável a fazer o que é pedido.

Em outras palavras, a disciplina positiva visa a colaboração, não o enfrentamento. Nessa metodologia, não se busca o jogo de poder, a hierarquização nem a resistência de nenhum lado.

Quando se dá ordens, geralmente, é preciso repeti-las muitas vezes para obter o que desejamos. Para evitar o estresse que esse tipo de conduta gera, é possível optar por várias das técnicas da disciplina positiva.

Por exemplo, uma das mais eficazes é o diálogo. Essa técnica é infalível para conseguir a cooperação do outro (nesse caso, do nosso filho) sem conflitos. Por conseguinte, promovemos o bem-estar comum e suprimos as necessidades.

Dificuldades a se considerar

No momento de aplicar as técnicas da disciplina positiva, devemos levar em consideração que, muitas vezes, há chances de não conseguir de imediato o resultado que desejamos. Por isso, será necessário ter paciência.

técnicas da disciplina positiva

Paralelamente, podemos ter algumas dificuldades ao executar as técnicas. Isso é completamente normal. Todo processo tem seus altos e baixos, especialmente a aprendizagem.

Devemos levar em consideração o contexto no qual decidimos aplicar as técnicas da disciplina positiva para obter uma melhor resposta.

Por outro lado, é muito importante adequar as técnicas em função da idade, dos conhecimentos prévios e da personalidade do nosso filho.

Por exemplo, não podemos aplicar a mesma técnica em uma criança de 3 anos de idade e em outra de 10 ou 15 anos. Além disso, devemos saber dialogar com elas para ajudar a superar os preconceitos, se adaptar e fazer os ajustes necessários para alcançar o objetivo desejado.

Em resumo, as dificuldades a se considerar são as seguintes:

  • Idade.
  • Qualidade do diálogo estabelecido entre pais e filhos.
  • Crenças e conhecimentos preestabelecidos (preconceitos).
  • Possível resistência. Isto é, o impacto da técnica e o diálogo: rebeldia, inconformidade, descontentamento, etc.

As técnicas da disciplina positiva

1. Senso de responsabilidade, acima de tudo. Ou seja, devemos deixar claro para nossos filhos que de agora em diante as coisas vão funcionar de uma maneira diferente. Você não vai mais ficar insistindo para que façam suas tarefas, já que essa é uma responsabilidade deles.

Avise-os sobre os horários das atividades que é esperado que realizem. Tais como: os horários das refeições, do banho, de ir para a cama. Se for necessário, anote. Inclusive, se vocês conseguirem cumprir com os horários na companhia um do outro, com certeza a efetividade será maior.

2. Ensine seu filho a utilizar o alarme do relógio para aprender a administrar o próprio tempo. Por exemplo, se precisa tomar banho às 08h, é preciso que aprenda a se programar sozinho. Em outras palavras, é preciso mostrara para a criança que esse tipo de ação é positiva e só traz benefícios para ela.

3. Depois que vocês tiverem estabelecido as responsabilidades cotidianas, você só precisa acompanhar de longe. Não se deve ficar o tempo todo atrás da criança para garantir que ela faça sua parte. Às vezes você pode fazer alguns lembretes. Mas isso não pode se transformar num hábito.

4. Agradeça e reconheça o esforço que seu filho tiver realizado sempre que for necessário. Não é preciso fazer uma festa. Mas, sim, falar com sinceridade e expressar sua satisfação pela conduta realizada.

5. Se você acha que algumas situações se repetem com frequência, sente-se com seu filho e expresse seu desejo de procurar uma solução para o problema. Fale que se vocês tentarem juntos, com certeza vai ser muito melhor. Discutam algumas ideias juntos para tentar encontrar uma solução boa para ambos.

Selecione as ideias que podem parecer úteis e descarte as outras. Faça a proposta de um plano de ação (em equipe) e descreva como vocês podem fazer com que todos se sintam bem. Trata-se de fazer do plano de ação uma atividade agradável no geral.

6. Conversar com antecedência e não ameaçar. Dessa maneira, pode-se evitar frustrações e maus-tratos.

7. Fazer pausas. Às vezes é preciso ensinar a parar por um momento e fazer com que escolham entre uma coisa ou outra. Isso ajudará as crianças a desenvolver certa tolerância à pressão (saudável, obviamente) e a agilizar o processo de tomada de decisões.

8. Procure fazer perguntas em vez de dar ordens. O ensinamento de valores e a disciplina com amor são mil vezes mais efetivos do que os gritos, os tapas e os castigos.

9. Os filhos aprendem por imitação. Isso quer dizer que os pais são os modelos a seguir. Por isso devemos ser coerentes e responsáveis.

técnicas da disciplina positiva

A importância do acompanhamento e da rotina

As técnicas da disciplina positiva vão ter uma eficácia real se forem mantidas por algum tempo e de forma coerente. Devemos nos lembrar de que a persistência é o que cria hábitos. E, nesse caso, é muito importante reforçar tudo o que nos traz resultados satisfatórios e nos gera bem-estar.

Não há por que pressionar as crianças (ou os jovens) a fazer as coisas, nem desafiá-las. É preciso ensinar a trabalhar em equipe e sempre tirar o melhor das situações.

Não se esqueça de que as crianças também gostam de harmonia, bom humor e diversão. Por isso a importância dê proporcionar certa flexibilidade e oferecer nosso apoio incondicional, em relação ao que já é bom e ao que se pode melhorar.

Dessa maneira, evitamos conflitos e impedimos que o dia termine com caras tristes e castigos. Tenha paciência! Pois ninguém nasce sabendo.