A necessidade da paciência na educação infantil

· 8 de março de 2017

As crianças, esses pequeninos cativantes que tantas alegrias nos dão, e aos que tanto amor declaramos, mas que com tanta energia e anseios de conhecimento podem nos esgotar. Nesses momentos é quando é realmente importante a necessidade da paciência na educação infantil.

As crianças atravessam etapas diferentes dos 0 aos 2 anos, quando são totalmente dependentes dos pais, dos 2 anos aos 6 anos de idade quando já começam a desenvolver suas habilidades psicomotoras, dos 6 anos aos 11 anos, quando começam a manter relações sociais e a ter pensamento abstrato, e dos 11 anos até a adolescência, uma etapa mais difícil que merece um artigo à parte.

Todas essas etapas têm algo em comum, é imprescindível recorrer à paciência em relação à criança por parte dos pais, irmãos, avós, tios, educadores, formadores, etc… De todo aquele ambiente que vá influenciar em seu desenvolvimento tanto intelectual como psicológico e moral.

Como os familiares influenciam e o porque da necessidade de paciência na educação infantil

Obviamente, vamos nos referir principalmente aos pais e familiares, uma vez que são os principais atores na educação infantil. Durante toda a vida serão o principal pilar na formação do menor. Dos valores, as emoções, a cultura, os modos, de tudo o que seja transmitido para as crianças por parte de seus familiares, vai depender a forma de ser e comportar-se do futuro adulto.

Por isso a paciência é essencial em todo o processo. Quanto mais paciência se tenha, mais se desenvolverá a criança. Se quando a criança começa a descobrir coisas e não para de perguntar, se gritarmos e brigarmos com ela, ela vai associar esse comportamento negativo ao anseio de conhecimento. Portanto surgirão temores na hora de perguntar na sala de aula ou para qualquer pessoa quando desconheça algo. O que também influenciará negativamente em suas habilidades sociais convertendo-se numa criança tímida e retraída.

Em vez disso, se atendemos suas perguntas com paciência, o menor interpretará como algo positivo o fato de descobrir e conhecer coisas. Este fato estimulará suas vontades de estudar e aprender, além de desenvolver sua capacidade de se socializar com outras pessoas na hora de perguntar e consultar. A criança não identificará sua falta de conhecimento como algo negativo.

O mesmo ocorre ao falar de seus sentimentos. É bom que aprenda a expressar e identificar suas emoções. É muito difícil aguentar suas birras e outros momentos nos quais se mostram como pequenos tiranos. Por isso é tão importante a paciência na hora de enfrentar essas situações, ouvi-los, explicar-lhes que as emoções que sentem e como lidar com elas.  Deste modo estaremos fomentando a assertividade e a tolerância à frustração de cara ao futuro.

Aplicando a paciência em casos reais

É importantíssimo ouvir seus problemas com paciência e oferecer-lhes ajuda para que descubram as vias de resolução de conflitos. Nunca ridicularizar e rir deles dizendo-lhes que isso não são problemas, que quem tem problemas são apenas os adultos. Isso não é certo, para elas é um obstáculo muito importante em relação à idade e os recursos que têm. E se contam com nosso apoio na hora de resolvê-los, estimularemos a confiança em si mesmos e o respeito a nós, assim como a empatia.

Se no momento em que o menor nos pergunta ou necessita comunicar-se conosco não podemos atendê-lo, não o interrompa, espere que termine de dizer o que necessita ou formular a pergunta, e explique por que nesse momento não podemos e que depois quando terminarmos o que estamos fazendo, falaremos sobre o que precisa.

Por exemplo, se é de noite e estamos muito cansados, podemos explicar-lhe que estamos exaustos e vamos dormir e que de manhã quando estivermos mais tranquilos terá toda nossa atenção.

E tudo isso resultará numa pessoa com autoestima saudável, com vontade de aprender, com habilidades sociais potentíssimas, com valores profundos, com boa educação e muita paciência com os demais. Um benefício do qual também desfrutarão seus familiares e o resto das pessoas com as que se relacione.

Estimule a paciência na educação de suas crianças, isso terá benefícios tanto para ele, como para seu meio e para o mundo em geral.