Tudo o que você deve saber sobre os bancos de leite

15 de setembro de 2017

O ideal é que o leite materno que o bebê receba seja de sua própria mãe. Contudo, às vezes os bebês precisam ser alimentados com leite de doadoras. Nem sempre a mãe pode alimentar o seu bebê com o próprio leite, porém, existem os centros especializados onde pode-se encontrar leite materno doado. Neste artigo queremos mostrar mais a fundo o que significa dar este produto aos bebês.

Como sabemos, o leite materno é o alimento ideal para o recém-nascido. Em estudos recentes, se conheceu sua faculdade de se transformar para que seja adequado à cada bebê. Além disso, o temos estudado profundamente e reconhecemos sua evolução como um ser vivo.

Também ficamos sabendo que o leite materno tem a capacidade de adequar sua composição de acordo com o sexo do bebê. Nesse sentido, é preciso estabelecer se é vantajoso ou não dar ao bebê leite de doadoras. Em alguns casos os bebês devem permanecer no hospital, porque precisaram de outros nutrientes, além desse alimento.

Caso o bebê não seja suficientemente saudável e forte para ir para casa após o nascimento, o mais recomendado é que permaneça no hospital. Enquanto dure a recuperação do bebê, este deverá se alimentar. Em muitos locais existe a prioridade de que se alimente com esse produto. Portanto, é normal que se procure o banco de leite para se encarregar de sua alimentação.

Quem pode receber o leite de doadoras?

leche de donantes

O aporte de nutrientes que o leite materno oferece pode ajudar na recuperação do bebê que esteja internado. Esse alimento previne infecções e oferece proteção em vários aspectos da saúde. Também é recomendado em outros casos, por exemplo, se a criança é órfã ou sua mãe não está em condições de alimentá-lo. Ainda que sempre seja uma opção a amamentação através do leite de formula, nada como o leite materno para alimentar qualquer bebê abaixo dos seis meses de idade. Acredita-se que em geral esse alimento é composto dos mesmos elementos. Portanto, não deve fazer diferença que seja de doadoras e não da própria mãe. Por esse motivo, sempre é preferível em relação ao leite de fórmula encontrado nas farmácias.

Para receber esse beneficio deve existir uma indicação médica. Quer dizer, não se pode obter esse benefício sem uma receita passada por seu médico. Além disso, infelizmente as reservas desse produto são limitadas, pelo qual existe a prioridade para casos urgentes. Enquanto o bebê seja mais frágil e tenha menos possibilidades de ser amamentado por sua mãe, terá direito prioritário.

Entretanto, enquanto seja possível,  a criança pode receber o leite de uma doadora, mesmo quando já esteja em casa. Com a receita de um pediatra, podemos obter o leite de um banco especializado. Seria ideal que as mães favorecidas pudessem ajudar com a reposição deste leite, que sempre é necessária.

O que devemos levar em conta sobre o leite de doadoras?

leche de donantes

Uma das coisa que costumam nos deixar preocupadas sobre a utilização desse leite, é sua segurança. Contudo, os especialistas afirmam que em geral é muito seguro. Na maioria dos casos o leite doado vem de mães, que na verdade, bombearam mais leite do que seus filhos tomam. Além disso, essas mulheres foram submetidas a exames que descartam a possibilidade de transmissão de doenças através do leite.

Do mesmo modo, os recipientes onde se conserva o produto são esterilizados. Isso é feito para eliminar a possibilidade de proliferação de bactérias. Os mecanismos de conservação são revisados e mantidos segundo as normas vigentes.

O leite doado passa por processos de pasteurização que elimina todos os micro-organismos que se considerem infecciosos ou mesmo perigosos para sua conservação. O procedimento em si, destrói alguns componentes nutricionais e imunológicos, porém, somente uma pequena parte deles.

O leite materno quando é pasteurizado conserva a maioria das suas propriedades originais, apesar das alterações que sofre. Contudo, mesmo assim segue sendo insubstituível e incomparável em relação às formulas lácteas à venda nas farmácias.