Bookstagram: como promover a leitura entre os jovens através do Instagram

25 Setembro, 2020
As novas tecnologias se tornaram uma ferramenta essencial para a promoção da leitura no setor juvenil.

O setor juvenil é o que menos lê livros. Isso ocorre porque a fase da pré-adolescência e da juventude são muito complexas e, por isso, alguns hábitos adquiridos desde a infância acabam se perdendo.

Dessa forma, é necessário promover nesse setor, mais do que nos outros, a difusão da leitura e dos livros. Atualmente, uma das maneiras mais fáceis de fazer isso é usar as novas tecnologias e, mais especificamente, as redes sociais.

Você acha que estamos falando sobre os booktubers? Então você está muito enganado, pois os avanços e as novas descobertas em relação às redes sociais estão se desenvolvendo tão rapidamente que esse perfil já está sendo substituído por outro.

O YouTube era, até agora, a rede social que mais promovia a leitura entre os jovens. No entanto, o surgimento e a utilização massiva do Instagram por este setor fez com que essa rede social se tornasse a nova forma de promover a leitura juvenil.

Por isso, a seguir, vamos contar um pouco mais sobre o novo fenômeno Bookstagram ou como promover a leitura entre os jovens através do Instagram.

O que é o fenômeno bookstagram? 

Com a chegada das novas tecnologias há vários anos, a primeira forma de promover a leitura entre os jovens foram os blogs literários. O impacto que eles tiveram sobre os jovens foi tão forte que, em seguida, surgiram outras semelhantes.

Bookstagram: como promover a leitura entre os jovens através do Instagram

No entanto, a plataforma de vídeos do YouTube veio para eliminar os blogs literários praticamente na sua totalidade, tornando-se o novo rei da forma de promover a leitura entre os jovens.

O sucesso do YouTube reside no fato de que esses vídeos são criados por pessoas de idades semelhantes às dos jovens que os assistem. Além disso, a linguagem utilizada e a forma de recomendar os livros e apresentá-los também são muito vantajosas. Todas essas razões fizeram com que os booktubers tivessem, e ainda tenham atualmente, todo o sucesso que conquistaram.

Porém, as redes sociais evoluem e, de tempos em tempos, um novo tipo de rede passa a ser a preferida do público jovem. Embora o YouTube ainda seja uma das que tem maior destaque, o Instagram veio para ficar.

Essa nova rede social, ao contrário do YouTube, não se baseia em vídeos, e sim, como a grande maioria já sabe, na publicação de imagens ou fotografias. E, como não poderia deixar de ser, juntamente com o Instagram surgiu o perfil dos bookstagrammers, pessoas que se dedicam a promover a leitura por meio dessas imagens.

Quais são as características dessa nova forma de promover a leitura?

Mais especificamente, o bookstagram nasce da união dos termos “book” (“livro”, em inglês)  e “Instagram”. Essas publicações se baseiam em fotografias de livros cuidadosamente tiradas e incluem, na grande maioria dos casos, detalhes sobre o livro.

A grande vantagem de usar o Instagram em vez do YouTube para promover a leitura é que a primeira dessas redes sociais permite que a interação entre os usuários seja muito mais rápida e familiar do que no YouTube.

Isso porque, além da fotografia do livro que foi publicada, também há o estímulo para que usuários com gostos iguais ou semelhantes recomendem outros títulos para que todos possam vê-los.

Bookstagram: como promover a leitura entre os jovens através do Instagram

Afinal, as interações são a base principal dessa rede social de fotografia. E todas as interações criadas serão em torno dos livros e da leitura para falar de outros títulos, outros temas, outros autores ou até mesmo personagens.

Outro dos elementos de destaque no Instagram, embora tenha surgido como resultado do seu sucesso no Twitter, é o uso das hashtags. Por meio delas, as publicações têm um alcance maior. E, como consequência, atingem muito mais pessoas que, na grande maioria das vezes, estão interessadas nos livros.

Bookstagram: reinventar-se ou morrer

Conforme dissemos no início deste post, o mais importante é que o setor que menos lê retorne ao mundo da leitura e dos livros. Para isso, é preciso se reinventar e se adaptar às correntes que chegam a cada momento, dessa vez, de mãos dadas com o bookstagram.

O sucesso dessa proposta é tão grande que até mesmo as editoras colaboram com essas pessoas, da mesma forma que as marcas fazem com os chamados influenciadores, para que elas exibam os livros nas redes.