A busca pela identidade na adolescência

Estabelecer uma identidade pessoal é a principal tarefa durante a fase da adolescência.
A busca pela identidade na adolescência

Última atualização: 16 abril, 2022

A adolescência se caracteriza por ser um período reservado à reflexão sobre si mesmo. O adolescente se pergunta quem ele é e o que pode fazer na vida. Sem dúvida, a busca pela identidade na adolescência é uma das tarefas mais importantes do ciclo vital e é a principal nesse período específico.

Identidade na adolescência, uma fase de mudança

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a adolescência como o período vital, que vai dos 10 aos 19 anos, em que se origina uma série de mudanças biológicas e psíquicas que culminam na transição da infância para a vida adulta. Em outras palavras, é uma fase de transição: o indivíduo não é mais criança, mas também não é adulto.

Por sua vez, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) entende que a adolescência é uma fase complexa e que pode, por sua vez, ser subdividida em adolescência precoce e tardia.

Na primeira, dos 10 aos 14 anos, ocorreriam as mudanças mais marcantes, as biológicas, enquanto na seguinte, dos 15 aos 19 anos, desenvolve-se a capacidade de pensamento analítico e reflexivo. No entanto, é neste último período que o consumo de álcool e drogas surge com maior frequência.

“As pessoas costumam dizer que ainda não se encontraram. Mas o eu não é algo que você encontra, é algo que você cria.”

-Thomas Szasz-

A adolescência é um fato sociocultural

As correntes antropológicas e psicológicas e, em geral, as ciências sociais, consideram que a adolescência não é um fato universal (ao contrário do que se chama puberdade). A adolescência é um conceito jovem que se formou como resultado do prolongamento da convivência entre filhos e pais.

A busca da identidade na adolescência.

Devido à importância que tem sido dada à educação e formação do indivíduo, a vida familiar é prolongada e, com ela, a independência econômica e pessoal tem sido adiada.

No entanto, esse não é o caso em todas as culturas. Em algumas partes do mundo, muitas crianças têm de começar a trabalhar muito cedo. Dessa forma, elas acessam diretamente o mundo dos adultos, sem a opção de desfrutar da adolescência.

A busca pela identidade na adolescência como tarefa vital

Segundo a teoria do desenvolvimento psicossocial de Erikson, segundo a qual a personalidade se desenvolveria em etapas, a adolescência corresponde à conformação da identidade. Erikson chamou esse estágio de “busca de identidade versus dispersão de papéis”, e coincide com a crise da adolescência.

A principal tarefa da adolescência é que o adolescente adquira um compromisso identitário do eu e, consequentemente, um aumento da confiança em seu autoconceito. O adolescente precisa confirmar que a forma como ele se vê tem continuidade com o passado e que, além disso, condiz com a percepção que os outros têm dele.

No entanto, se o adolescente não conseguir fazer isso, ele pode se encontrar do outro lado da escala e sofrer uma dispersão de papéis. Durante a adolescência, essa luta interna de não saber realmente quem somos e não saber se o que pensamos que somos se encaixa na opinião dos outros pode causar graves transtornos de ansiedade.

Fatores influentes na busca da identidade na adolescência.

É claro que a busca pela identidade é influenciada por vários fatores:

Por sua vez, o psicólogo James Marcia, em sua teoria dos estados de identidade, definiu quatro níveis na conformação da identidade de acordo com a presença ou ausência de compromisso ou crise:

  • Conquista da identidade. Apesar da crise que sofreu para encontrar sua identidade, o jovem finalmente expressa um compromisso com as decisões que tomou, confirmando essa identidade.
  • Exclusão. Ele se compromete com sua identidade pessoal, mas não sofreu dificuldades (ou seja, crises), pois construiu essa identidade por meio das escolhas dos outros.
  • Confusão de identidade. Não há compromisso, ou seja, o adolescente não encontra ou aceita uma identidade, e não estabelece metas, então também não há crise.
  • Moratória. Ele ainda não encontrou um compromisso, apesar da crise que vive, embora esteja focado em resolvê-la.

O envolvimento dos pais na busca pela identidade na adolescência

Frequentemente, a literatura e o cinema nos mostraram a eterna rivalidade dos adolescentes com seus pais, sendo os motivos da revelação o excesso de limites ou mesmo a possível repressão de seu modo de ser.

A busca da identidade na adolescência.

No entanto, a partir das ciências sociais acredita-se que os pais podem desempenhar um papel muito favorável na formação da identidade do adolescente. Por exemplo, o fato de os pais aceitarem as perguntas que seus filhos adolescentes fazem deles e serem flexíveis diante das mudanças que vivenciam pode facilitar essa fase de transição.

A formação da identidade: essencial para a adaptação social

Segundo Shaffer, estabelecer uma identidade pessoal é essencial para o desenvolvimento da personalidade e, em última análise, para a aprendizagem de comportamentos adaptativos. Portanto, aqueles adolescentes que adquirem uma identidade pessoal se adaptarão melhor às situações sociais, desenvolverão autoconfiança, se relacionarão melhor e terão menos problemas de comportamento.

Para os adolescentes, decidir quais estudos e qual profissão escolher e, por fim, qual caminho seguir na vida, sem dúvida, gera uma grande incerteza. Em última análise, as escolhas e decisões que tomamos moldam a forma como somos percebidos. Nossa identidade se consolida não só através do nosso autoconceito, mas também pela forma como os outros nos veem.

Por isso, os adolescentes devem saber se conhecer e, assim, descobrir do que gostam, seus interesses, seus desejos, sua maneira de estar no mundo para, enfim, moldar sua identidade.

Pode interessar a você...
Desenvolvimento da identidade sexual da criança
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Desenvolvimento da identidade sexual da criança

Acredita-se que a partir dos três anos de idade os pequenos começam a desenvolver sua identidade sexual, antes isso não é muito claro para eles.