O cesto de tesouros, um jogo para bebês

10 Julho, 2020
"Meninos e meninas não brincam para aprender, mas aprendem porque brincam", Jean Piaget. Neste artigo, vamos falar sobre O cesto de tesouros para bebês.
 

Dos 6 aos 12 meses, os bebês começam a se sentar e desenvolver suas habilidades motoras e coordenação. Na escolinha ou em casa, podemos oferecer uma atividade de jogo e exploração livre: O cesto de tesouros.

O cesto de tesouros, um jogo para bebês

O cesto de tesouros é uma proposta de jogo elaborada pela pedagoga inglesa Elinor Goldschmied, destinada a bebês entre 6 e 12 meses. Consiste em um cesto cheio de objetos e materiais diferentes para que os bebês possam explorar, manusear e brincar livremente. Por meio do cesto de tesouros, é possível promover a percepção sensorial através dos 5 sentidos.   

A seleção de objetos, materiais e texturas que vamos incluir no cesto é muito importante, pois é o aspecto principal para alcançar o objetivo do jogo, que é estimular, aprimorar e desenvolver os sentidos dos pequenos: tato (forma, peso, temperatura, textura etc.); olfato e paladar (diversidade e variedade de aromas e sabores); audição (tilintar, percussão, fricção, rangidos, ausência de som, etc.); visão (cor, volume, tamanho, luminosidade, brilho, etc.).

Criar o nosso próprio Cesto de tesouros

Fazer um cesto de tesouros não é nada complicado. Vamos precisar apenas de um cesto e objetos do cotidiano que encontramos nas escolinhas ou em casa.

O cesto de tesouros
 

O cesto deve ser baixo, de preferência de vime e sem alças. Nele, devemos colocar cerca de 50 ou 60 objetos, mais ou menos, feitos de diferentes materiais: madeira, tecido, lã, metal, couro, papelão, papel e até mesmo objetos naturais, tais como frutas, conchas, cortiça…

De acordo com Goldschmied, idealizadora da brincadeira, não devem ser usados objetos de plástico ou brinquedos comprados, pois produzem uma experiência sensorial insuficiente e as crianças perdem o interesse por eles rapidamente.

Recomenda-se que os objetos sejam renovados, aumentados ou substituídos de tempos em tempos, para que a experiência seja mais enriquecedora e os pequenos não percam o interesse. Sem dúvida, a higiene e a segurança devem ser levadas em consideração.

A seguir, vamos mostrar grupos de alguns dos materiais que podem compor o cesto de tesouros, de acordo com sua criadora. O cesto pode conter objetos:

  • Naturais: pedras, conchas, pinhas, cortiça, penas, maçãs…
  • De madeira: colher, prendedores de roupa, chocalho, pandeiro…
  • De metal: colher, chaves, gaita…
  • Materiais naturais: bola de lã, escova para sapatos, pincel para maquiagem…
  • De couro, tecido, borracha: porta-moedas de couro, bola, sacos de pano com aromas…
  • De papel, papelão: caderno, cilindros de papelão, papel espelho, cartões postais com imagens familiares…

Aspectos favorecidos por meio do jogo O cesto de tesouros

Graças à variedade de objetos e materiais que os bebês podem manipular enquanto brincam, o desenvolvimento dos seguintes aspectos é favorecido:

 
  • Exercício motor. São favorecidas tanto as habilidades motoras finas, ao manipular os objetos, quanto as grossas, graças ao movimento feito para alcançar objetos distantes.
  • Curiosidade para descobrir. O bebê escolhe e faz diferentes atividades de exploração, sem a intervenção do adulto. Cada um manifesta suas preferências e diferenças sobre o que “fazer com os materiais”.
  • Estimulação e desenvolvimento dos sentidos. O bebê examina os objetos, sugando-os, manuseando-os, batendo neles… É assim que ele descobre seu peso, tamanho, forma, textura, som, cheiro…
O cesto de tesouros

  • As diferentes coordenações são aprimoradas: olho-mão-boca-mão, assim como o equilíbrio.
  • A capacidade de concentração é desenvolvida. Os pequenos passarão longos momentos perdidos nos próprios pensamentos. Eles vão examinar, manusear, sugar, bater e ouvir os sons produzidos por diferentes objetos.

Papel dos educadores ou adultos

O papel do educador ou do adulto é fornecer segurança e acompanhar de perto. Um olhar, um pequeno gesto de carinho ou um sorriso é o suficiente para iniciar o contato com o bebê de modo que ele se sinta seguro e livre para aproveitar as descobertas.

 

Embora seja difícil, os adultos não devem intervir. Não devemos oferecer objetos, nem ajudar a segurá-los corretamente. Além disso, de acordo com a criadora, o diálogo também não deve ser incentivado, pois isso os distrai do jogo.

Os sons pré-verbais que os bebês emitem enquanto brincam são uma parte importante do processo de desenvolvimento da linguagem. Só devemos intervir se considerarmos que a criança realmente pode se machucar em algum momento.

Quando percebermos que o bebê já está cansado ou perdeu o interesse, devemos retirar o cesto e guardá-lo. Não é necessário estipular um tempo estimado de jogo. O tempo é decidido por cada criança.

No início do artigo, dissemos que O cesto de tesouros é recomendado para bebês entre 6 e 12 meses. Pois bem, a partir dos 12 meses até os 24, ou até mesmo depois disso, existe outra experiência de jogo muito interessante para descobrir e explorar livremente: o Jogo Heurístico. Mas isso é assunto para outro artigo!