5 pontos em que os pais exigentes erram

Todos os pais desejam o melhor para os filhos, mas às vezes a busca pela perfeição nos leva a cometer alguns erros.
5 pontos em que os pais exigentes erram

Última atualização: 07 Abril, 2021

Educar os filhos não é uma tarefa fácil. Todos nós queremos o melhor para nossos pequenos, mas cada um de nós os cria de maneira diferente. Há pais exigentes que querem que seus filhos sejam perfeitos ou quase perfeitos em todas as áreas e utilizam estratégias que nem sempre são corretas para o bom desenvolvimento das crianças.

Existem diferentes estilos educacionais: autoritário, superprotetor, permissivo, excessivamente exigente, etc. A não utilização de um estilo adequado pode prejudicar o desenvolvimento normal da criança e causar diversos problemas. Nas linhas a seguir, vamos nos concentrar nos aspectos em que os pais exigentes erram.

Pais exigentes: a disciplina e o esforço vão longe demais

Existem diferentes maneiras de educar. Dependendo da forma como ensinarmos, interagirmos, reforçarmos e motivarmos nossos filhos, estaremos usando um estilo de criação diferente.

Os pais exigentes procuram fazer com que seus filhos, por meio da disciplina e do esforço, aspirem sempre ao ponto mais alto, buscando a perfeição. Esse tipo de pais exige que seus filhos cumpram todos os objetivos propostos e, mais ainda, que o façam de forma eficaz.

Esses pais tendem a ter um estilo educacional autoritário, em que a comunicação ocorre apenas em uma direção (dos pais para os filhos) e a hierarquia na família é clara, com regras firmes e sem muita autonomia concedida aos filhos.

A disciplina e o esforço são importantes na criação dos filhos, mas na medida certa. Níveis elevados de exigência podem causar problemas no desenvolvimento psicológico e emocional dos pequenos da casa.

Pontos em que os pais exigentes erram

Ser exigente em determinados momentos e de forma ocasional pode aumentar o desempenho das crianças e se mostrar uma atitude eficaz. Por outro lado, se usarmos essas demandas constantemente, sem uma boa comunicação ou expressão das emoções, isso pode levar as crianças a desenvolver problemas de adaptação. Veremos a seguir alguns dos aspectos em que os pais exigentes erram.

Pensar que a exigência excessiva aumenta o desempenho da criança

Encorajar o esforço das crianças pode ser muito útil para aumentar seu desempenho se o fizermos isso em momentos pontuais. Se mantivermos essas exigências por um longo período de tempo, obteremos o efeito contrário, diminuindo o desempenho. Isso ocorre porque no momento em que a criança não conseguir o que estiver buscando, apesar de seus esforços, ela vai pensar que não é boa e seu desempenho será prejudicado.

Não tolerar ou não encarar os erros

Os pais exigentes geralmente não admitem nem permitem que seus filhos cometam erros. Eles transmitem às crianças a ideia de que cometer erros ou fracassar é uma coisa ruim que deve ser evitada a todo custo. Dessa forma, estaríamos incentivando as crianças a não tolerar erros e a buscar a perfeição de forma patológica.

Criar expectativas irreais

O fato de acreditar em nossas habilidades e nas dos outros é positivo. A única coisa que devemos ter em mente é que essas expectativas são realistas. Se estiverem muito elevadas, irão gerar frustração quando não puderem ser realizadas. Isso pode fazer com que as crianças tenham uma percepção negativa de suas habilidades.

Procurar o excesso de perfeccionismo ou exigências nas crianças

Se os pais exigem muito dos filhos desde a infância, eles crescerão com a sensação de que nada do que fazem é suficiente e os farão se sentir insatisfeitos por toda a vida. Portanto, devemos ter cuidado para não exigir demais. Em longo prazo, as crianças podem se tornar pessoas com uma necessidade constante de ser perfeitas, o que pode lhes fazer muito mal.

Fazer grandes exigências sem reconhecer o esforço

Se exigirmos demais e, além disso, não valorizarmos o esforço das crianças quando querem conquistar algo, elas pensarão que todo o trabalho e esforço que realizaram não valeu a pena. Isso pode causar sintomas como falta de autoestima, ansiedade, depressão e até mesmo um desamparo aprendido, pensando que seu esforço não mudará o resultado.

O que os pais exigentes podem fazer para evitar esses erros?

Os erros que vimos acima se referem, principalmente, a expectativas elevadas, intolerância aos erros e não reforço de bons resultados. Isso não quer dizer que todos os pais exigentes cometam esses erros, mas se o fizerem com frequência, podem tentar evitá-los com uma boa expressão das emoções e comunicação com os filhos.

Acompanhar as crianças, não instruí-las

As crianças que estão submetidas a grandes expectativas sentem uma grande pressão pensando que não estão conquistando o que seus pais desejam. Podemos evitar isso transmitindo expectativas realistas que correspondem às suas capacidades, sem extremos.

Ensinar às crianças que errar ou fracassar não é algo ruim

Não é necessário ser intolerante com os erros. Todos nós os cometemos. Por isso, temos que ensinar aos nossos filhos que errar não é negativo, que os erros nos ajudam a melhorar e a aprender e que, mesmo que eles errem, nós vamos amá-los da mesma forma.

Valorizar seus esforços, não suas realizações

Considere os esforços feitos pelas crianças quando elas fazem algo. Devemos valorizar o trabalho, não o resultado, ajudando-as a terminar com sucesso o que começaram. Às vezes, quando uma criança faz algo corretamente, ela não é elogiada pelo seu trabalho ou pelo esforço empreendido para conseguir, pois é o que esperamos dela.

Confiar nas habilidades e capacidades das crianças

Se os pais confiarem nas habilidades e aptidões dos filhos, eles ficarão motivados e sua autoestima aumentará. As crianças se sentirão valorizadas pelas pessoas que mais amam e isso as ajuda a melhorar. Quando queremos corrigir algo, devemos fazer isso de forma positiva, nunca criticando.

Sobre os pontos em que os pais exigentes erram

Ser pais exigentes não é um problema se não cometermos os erros que discutimos acima. Aqui, fornecemos algumas dicas para você ter em mente quando se trata de melhorar esses erros, caso você os cometa em casa.

Lembre-se de que as crianças precisam ser valorizadas, amadas e viver sem pressão para que sejam as melhores. Às vezes, não percebemos que os pequenos precisam curtir, viver e não ser perfeitos. Nunca se esqueça disso.

Pode interessar a você...
Em vez de criar filhos perfeitos, eduque crianças felizes
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Em vez de criar filhos perfeitos, eduque crianças felizes

Todos os pais desejam que seus filhos sejam felizes, eles querem que estejam prontos para assumir a vida, para superar as dificuldades do dia a dia...



  • Ramírez, M. A. (2005). Padres y desarrollo de los hijos: prácticas de crianza. Estudios pedagógicos (Valdivia), 31(2), 167-177.
  • Raya Trenas, A. F. (2009). Estudio sobre los estilos educativos parentales y su relación con los trastornos de conducta en la infancia. Universidad de Córdoba, Servicio de Publicaciones.
  • Del Barrio, M. V. y Roa, M. L. (2004). Prácticas de crianza, personalidad materna y clase social. Actas del II Congreso Hispano-Portugués de Psicología.