Como agir diante do fracasso escolar do seu filho?

16 de maio de 2018
Tirar notas ruins não é uma situação feliz nem para os alunos nem para os pais. O segredo, nessas situações, é procurar pelas falhas e resolvê-las trabalhando em conjunto.

Todo o trabalho e tempo que as crianças e jovens dedicam à sua educação é resumido no boletim escolar. Infelizmente, o que encontramos nele nem sempre é o que esperamos de um aluno responsável e dedicado. Oferecemos a você alguns conselhos sobre como agir diante do fracasso escolar do seu filho.

Os pais costumam reagir de maneiras diferentes quando o filho tira notas ruins. Alguns imaginam um futuro nefasto, como se uma nota ruim significasse que alguém não terá sucesso em nada para o resto de sua vida.

Outros, ao contrário, sentem-se culpados por esta situação. Assim, se condenam por não colaborarem mais, por não terem motivado o filho devidamente ou mesmo por não terem sido mais rigorosos.

A realidade é que nenhum dos extremos está correto. Não está tudo perdido, de modo algum; nem o fato de seu filho ter tido um fracasso escolar faz de você um pai ruim.

Trata-se, de fato, de uma situação desconfortável da qual se deve sair com compreensão e esforço de ambas as partes. Certamente, seu filho também não gosta disso, então você deve guiá-lo para retomar as boas notas.

Como reagir diante do fracasso escolar do seu filho?

Com o exposto anteriormente, não queremos dizer que a questão não seja importante ou que nada deva ser corrigido. Muito pelo contrário: é um tipo de aviso, a tempo para que você possa construir muito para o futuro. Então, se você se deparar com um fracasso escolar do seu filho, tente seguir estas recomendações.

1. Mantenha a calma

Por mais que você fique angustiada e chateada, a raiva não te levará a lugar nenhum. Com gritos e castigos, você só conseguirá ferir a autoestima da criança; além disso, na próxima vez que tiver que enfrentar uma prova, a pressão e o medo do fracasso serão muito maiores.

2. Não atribua a falha à personalidade da criança

Um erro muito grave que muitos pais cometem é soltar frases como “Você é um preguiçoso” ou “você não serve para os estudos”. Não, não é  assim.

Buscar soluções

O que se deve procurar fazer é promover uma mudança na mentalidade no aluno. É melhor apresentar esse assunto ou a escola em geral como um desafio, um teste que deve superar para seu próprio bem.

Se ferirmos sua suscetibilidade com frases tão negativas, só causaremos desânimo. Inclusive, é possível chegar a casos piores, caso a situação se mantenha ao longo do tempo; é possível ir da resignação ou rebeldia a verdadeiros distúrbios de aprendizagem.

3. Procurar soluções

Todos os agentes devem ter uma atitude construtiva e proativa. Isto inclui tanto o aluno como seus pais e professores. Uma vez identificado o problema, para o qual a comunicação entre as partes é produtiva, pode-se traçar uma estratégia que permita reverter os maus resultados.

A causa de uma nota ruim pode ser muito diferente dependendo do caso. Pode ser algo circunstancial, como falta de tempo de estudo ou planejamento inadequado; ou problemas mais sérios, como distúrbios do sono, problemas de sociabilidade ou familiares, estresse, exaustão mental ou distúrbios cognitivos.

O fracasso escolar do seu filho é uma situação desconfortável da qual se deve sair com compreensão e esforço de ambas as partes”

4. Fazer uma autocrítica

Isto geralmente é particularmente difícil para alguns pais. Embora se preocupar com os estudos seja uma tarefa não delegável de cada aluno, podemos nos perguntar como estamos colaborando com a sua educação.

Primeiro e mais importante, que exemplo estamos dando a partir da nossa própria posição? Cumprimos nossas responsabilidades ou as adiamos e tentamos nos livrar delas?

Segundo, existe uma comunicação permanente que permita à criança expressar qualquer problema pelo qual possa estar passando?

Por último, mas não menos importante, estamos o tempo todo forçando-os a estudar sem atender às suas necessidades? Isso pode lhes causar aversão; de fato, os melhores alunos geralmente têm pais mais permissivos nesse sentido. A confiança é tudo para promover a autodisciplina do jovem.

obrigar os filhos a estudar

5. Colaboração

Uma vez que você tenha despertado em seu filho uma atitude que lhe permita assumir seu fracasso e tentar se redimir, é hora de trabalhar em conjunto. Pergunte a ele do que sente falta, o que aconteceu com ele, em que você pode ajudá-lo. Talvez ele precise de um colega para estudar junto e assim tornar tudo mais suportável. Se não, também pode ser que precise de um tutor ou professor particular, que pode perfeitamente ser você ou o seu parceiro.

Nem sempre o fracasso escolar do seu filho é devido à falta de compromisso ou de vontade. Ele pode estar dando o seu melhor e ainda assim achar difícil tirar boas notas. Esse é o momento no qual você deve lhe estender a mão para que ele possa superar a si mesmo. Será uma grande lição de vida para ele.

Concluindo, o fracasso escolar do seu filho não é o fim do mundo. Fique ao seu lado e o ajude a enfrentar este momento com perseverança e coragem para sair vitorioso.

Recomendados para você