Como ajudar crianças de 2 e 3 anos a falar?

31 de outubro de 2016

Uma criança aprende a falar porque se desenvolve entre adultos que se comunicam por meio da linguagem articulada. Mas, às vezes, o tempo para uma criança começar a falar pode demorar mais que em outras. Veja o que você pode fazer para ajudar seu filho. Como ajudar crianças a falar? A resposta para essa pergunta, sem dúvidas, interessa a todas as mães. Mas, antes de começar o post para esclarecer essa dúvida, devemos primeiramente nos responder outra questão:

Como é possível que uma criança de 2 ou 3 anos ainda não fale?

Responderemos pouco a pouco.

Primeiro, devemos começar pelo princípio de todos os princípios…quando o bebê ainda era um feto e estava no ventre materno.

A importância de falar com o bebê antes do nascimento

Apesar da aparente desconexão com o mundo um feto é capaz de perceber e processar estímulos vindo do exterior, sobretudo os auditivos.

Inicialmente, quando era uma “semente” dentro da barriga, a voz chegava ao bebê bastante distorcida. Após o nascimento ele consegue reconhecer, sobretudo, as vogais da língua materna.

Falar com o bebê antes do nascimento estimula o desenvolvimento auditivo; amplia as habilidades que, linguisticamente, ele apresentará em seu desenvolvimento futuro e reduz as chances de possíveis transtornos na linguagem verbal.

Como ajudar crianças a falar

Se você quiser participar ativamente do desenvolvimento auditivo do seu filho, deve falar, ler e cantar para ele enquanto estiver grávida.

Ao mesmo tempo, se seu filho é um “homem” ou uma “mulher” de 2 ou 3 anos e ainda não fala, há muitas alternativas para incentivar a comunicação oral dessa crianças.

Antes, entretanto, você deve se certificar de que seu filho não sofre de nenhum transtorno físico ou psíquico que dificulte o desenvolvimento da capacidade linguística.

4 transtornos que dificultam a linguagem

A fala nas crianças surge quase que por instinto. Ela se dá, na verdade, por meio da imitação que os pequenos fazem das pessoas ao seu redor.

Aprender a falar constitui um processo no qual a criança:

  • Emite fonemas
  • Consegue dizer algumas palavras
  • Constrói frases completas

Após essas etapas, pode-se dizer que uma criança aprendeu a falar.

Entretanto há crianças que não conseguem passar por essas fases e chegam aos 3 anos de idade sem saber falar corretamente.

Essa incapacidade pode ocorrer devido a diversos transtornos que dificultam a linguagem.

1. Atraso simples na linguagem

Os pequenos com atraso simples na linguagem não utilizam os mesmos fonemas ou utilizam somente alguns dos fonemas que outras crianças da mesma idade. Eles apresentam um atraso na utilização de fonemas e na sintaxe, se comparados a outras crianças da mesma faixa etária.

Felizmente, esse transtorno pode ser facilmente corrigido e não é sintoma de nenhuma deficiência psíquica ou física.

2. Deficiência auditiva

As crianças surdas ou com outro tipo de deficiência auditiva, como não escutam perfeitamente, não conseguem aprender a emitir sons.

Uma forma bastante simples de perceber se seu filho apresenta esse transtorno é fazer um barulho ou chamá-lo pelo nome quando ele não puder ver você. Se a criança não virar para olhar o que está acontecendo ou para responder é porque ela não ouve bem.

3. Autismo

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que aparece de forma evidente na comunicação oral. As crianças autistas apresentam alterações específicas na linguagem e, para elas, é quase impossível se fazer entender.

4. Estresse infantil

As crianças que sofrem de estresse infantil podem apresentar dificuldades na linguagem. Esse transtorno, independentemente da origem, combinado com a carência afetiva, a falta de atenção e de dedicação afetam negativamente o desenvolvimento da capacidade lexical.

Nosso conselho

Uma criança de 2 ou 3 anos, mesmo que ainda não domine muitas palavras, deve pelo menos falar com fluidez; ter um vocabulário suficientemente amplo para expressar seus pensamentos e sentimentos; conseguir pedir que atendam suas necessidades e resolvam seus problemas. Ela deve pronunciar vocábulos similares aos que usamos.

Se seu filho não consegue se expressar, consulte um médico de confiança, psicólogo, fonoaudiólogo, logopedista (profissional que trata de distúrbios da fala), neurologista infantil….busque ajuda especializada.

Como ajudar crianças de 2 e 3 anos a falar?

Como ajudar crianças a falar com atividades

Uma criança sem transtornos de linguagem ou impedimento físico ou psíquico, como aqueles explicados anteriormente, cedo ou tarde vai aprender a falar. Entretanto, nós podemos estimulá-los para que as palavras apareçam mais rápido.

Como ajudar crianças a falar de 2 e 3 anos?

A resposta a essa pergunta é mais simples que parece:

Por meio de jogos.

Como ajudar crianças a falar com os jogos vocálicos

Os jogos vocálicos ajudam os bebês a emitir sons. Como essas atividades envolvem sons, servem não somente para estimular os balbucios incompreensíveis, mas também para reforçar o desenvolvimento linguístico.

Por meio de jogos as crianças de 2 e 3 anos desenvolvem habilidades tanto físicas como mentais. Esses exercícios são feitos para estimular o aprendizado como para divertir os pequenos.

Em seguida explicamos dois jogos vocálicos

  • Como ajudar crianças a falar com jogo de traduzir sons

Esse exercício é bem simples. Consiste em imitar o mesmo som ouvido e nomear o objeto, o animal ou o elemento em questão.

Por exemplo:

Se um cachorro late devemos imitar o latido do cachorro e falar para a criança a palavra: cachorro. Podemos dizer também: o cachorro, um cachorro, cachorrinho…

  • Como ajudar crianças a falar com o jogo de desconhecer

Nesse jogo o adulto deve fingir que não entende o que a criança deseja.

Se os pais sempre se adiantam às respostas dos seus filhos, as crianças nunca sentirão a necessidade de falar.

Por exemplo:

Quando a criança quiser tomar água e disser somente “ali”, “isso” ou apontar com o dedo, como está acostumada a fazer, os pais não devem imediatamente lhe dar água. O jogo de desconhecer consiste em perguntar várias vezes o que a criança precisa. Depois de perguntar algumas vezes, lhe damos água a beber e repetimos a palavra: água.

“Informe-se sobre outros jogos aplicados a atividade diárias e jogos para a linguagem oral”

Tenha em mente nossas recomendações. Seja uma mãe melhor a cada dia.