Como ajudar uma criança hiperativa?

Atualmente a hiperatividade em crianças parece ser um transtorno da moda. É cada vez mais frequente ouvir pais e professores se queixarem de que seu filho é uma criança hiperativa, afetada por esse transtorno comportamental. Para explicá-lo é aludido há vários argumentos, entre eles que o excesso de atividade é culpa do consumo de refrigerantes com cafeína. Como resultado, as consultas com psicólogos e psiquiatras aumentaram exponencialmente.

No entanto é necessário ter muito cuidado ao rotular uma criança como “hiperativa”. Podem ser cometidos erros prejudiciais para o pequeno. Não é nenhum problema grave ter um filho ou um aluno realmente hiperativo. Se ele for tratado adequadamente se desenvolverá como qualquer outra criança. No entanto, se continuar com o tratamento inadequado dessa situação, ele pode se transformar em uma criança frustrada, insegura e mal sucedida.

Algumas precisões sobre a hiperatividade em crianças

As crianças inquietas

Não é necessário chamar de hiperativa uma criança que corre sem parar ou que se move constantemente durante uma longa viagem. Isso expressa um desconhecimento sobre o que realmente é esse transtorno de comportamento.

Muitas crianças são por natureza, inquietas, barulhentas, gostam de correr, escalar e tocar tudo o que chama sua atenção; e isso é normal. Muitas vezes, o mesmo acontece com os professores. Esgotam sua paciência, porque no grupo têm cinco, seis ou mais crianças inquietas, ficam exaustos e acabam chamando os pais para sugerir-lhes uma consulta com o terapeuta.

menina correndo no meio da grama alta

As crianças inquietas não são hiperativas, no sentido de que não manifestam transtornos de comportamento. São simplesmente crianças inquietas. Se essas crianças aprendem bem, dormem bem, são felizes, têm amigos e brincam, são crianças normais, porém inquietas.

Como as crianças hiperativas atuam?

Pelo contrário, uma criança hiperativa é aquela com uma inquietação constante, que a impede desenvolver as atitudes próprias das crianças de sua idade. Algumas das características específicas das crianças com hiperatividade são:

  • Manifestam problemas de aprendizagem.
  • Não respeitam as regras, nem as de organização familiar, nem dos jogos. Isso causa problemas de relação com as outras crianças.
  • Eles têm dificuldade em esperar, isto é, serem pacientes.
  • Agem sem pensar, são impulsivas.
  • Passam o dia se movimentando, mas não para fazer nada em especial, e sim pelo simples fato de se mover.
  • São muitas vezes  atropeladas, se chocam contra as portas ,e tiram coisas do caminho deles.
  • Não conseguem concentrar a atenção, e constantemente pulam de um assunto para outro. Parece que nada lhes interessa.

Para essas crianças, penitências e raiva não valem. É inútil repetir para elas que permaneçam quietas, ou terminem seus deveres antes de se levantar. Elas parecem ouvir, mas em alguns minutos fazem novamente aquilo que as proibiu. Estes são sintomas de hiperatividade, tecnicamente chamada de “Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade”, “TDAH”.

Como ajudar uma criança hiperativa?

O controle diário da hiperatividade em crianças é um desafio para os adultos responsáveis pelo seu desenvolvimento e educação.

  1. Primeiramente o adulto deve entender que a hiperatividade não é voluntária. Não é que a criança queira se mover constantemente. O que ocorre é que ela não consegue se controlar. Portanto, é necessário que o adulto responsável gere a atitude propícia que permita ajudá-la a mudar seus comportamentos.
  2. Tratamentos, recompensas ou reforços pelas realizações são estratégias úteis. Por exemplo, “se você se sentar enquanto come por uma semana, você receberá o brinquedo que tanto deseja”. Medir suas realizações dia a dia e negociar com fichas que, acumuladas, a levem a obter o prêmio.
  3. O ponto de partida pode ser para a criança permanecer sentada por mais de três minutos. Em seguida, aumente para cinco, depois para oito, e assim por diante, até que atinja o objetivo marcado.
menino hiperativo enfadado por ter que estudar

  1. Gestão de atenção. Para educar a focalização da atenção que exige uma tarefa é aconselhável repetir em voz alta cada uma das etapas que deve seguir. Assim, ela mesma poderá fazê-la depois, quantas vezes for necessário. Sempre em voz alta. Pouco a pouco, a criança conseguirá se guiar por instruções em seu pensamento.
  2. Limite o consumo de bebidas com cafeína e açúcares. A questão da relação entre as bebidas de cola e a hiperatividade está sendo investigada. É verdade que a cafeína e o excesso de açúcares atuam como estimulantes. Por isso que causam agitação e supõem uma maior dificuldade para se acalmar.

Um ambiente familiar adequado é fundamental para ajudar uma criança hiperativa. As crianças sentem que seus pais são a base sobre a qual devem construir sua própria escala de valores. Os pais dependem, em grande parte, das mudanças nos comportamentos da criança hiperativa.

Recomendados para você