Como conduzir uma discussão na frente das crianças?

· 5 de março de 2018

As crianças costumam se sentir culpadas com o que acontece. Por isso, o respeito e a tolerância devem prevalecer em qualquer discussão de casal que os filhos presenciarem.

Em qualquer relação interpessoal pode haver desacordos em relação à maneira como lidar com as situações. Embora seja um fato inevitável, é fundamental aprender a conduzir uma discussão de forma assertiva. Assim, o conflito não vai se estender nem prejudicar o resto da família. Talvez você se pergunte, então, como conduzir uma discussão na frente das crianças.

A seguir, você vai encontrar conselhos sobre como lidar com as diferenças e as discussões. Aplicar essas recomendações vai servir para que as crianças não sejam emocionalmente afetadas quando você e seu parceiro discordarem sobre qualquer coisa.

Dicas para saber como conduzir uma discussão na frente das crianças

1.- Lembre-se da empatia

Inicie o diálogo expressando respeito em relação ao seu parceiro. Faça-o saber que as percepções e emoções dele são completamente válidas, mesmo que nessa situação específica você não concorde. Sempre é um bom gesto se colocar no lugar do outro e reconhecê-lo como pessoa.

2.- Conceda ao seu parceiro o benefício da dúvida

Assuma que, em uma discussão, nenhum dos envolvidos têm más intenções. Inclusive nos momentos que podem se tonar constrangedores ou hostis, é preciso encontrar o equilíbrio. Nem sequer quando houver diferenças de critério vocês devem deixar de se tratar com amor, como o casal que realmente são.

conduzir uma discussão na frente das crianças

3.- Tenha em mente que vocês estão jogando no mesmo time

Quando não houver unanimidade de ideias em relação a um assunto, vocês devem se lembrar de que ambos querem uma solução conveniente. Se houver um problema para resolver, coloquem todas as cartas sobre a mesa e busquem juntos a solução mais sensata. Evitem que uma diferença os separe e divida a relação.

4.- Expresse-se de forma positiva

Criticar, julgar e agredir o outro apenas cria mais diferenças e piora a situação. O melhor exemplo que você pode dar aos seus filhos é o respeito e a tolerância mesmo que a situação seja adversa. Cada discussão que aparecer deve ser uma ferramenta para melhorar no futuro e não cometer os mesmos erros.

“As discussões frequentes e não resolvidas na frente das crianças afetam a confiança delas, causam tristeza, ansiedade e medo. Por outro lado, há lições positivas que se pode extrair das discussões dos pais. As crianças vão aprender que a discordância é uma situação possível, inclusive entre as pessoas mais próximas”
-Richard Gallagher-

Outras recomendações importantes para conduzir uma discussão na frente das crianças

  • As diferenças entre os pais devem ser mantidas entre o casal, sem envolver os filhos ou fazê-los de testemunhas. Procurem um momento de privacidade para fazer os esclarecimentos necessários.
  • Se por algum motivo uma discussão ficar mais agressiva na frente das crianças, peçam desculpas quando estiverem mais calmos. Explique aos seus filhos que eles não são culpados nem responsáveis pelo que aconteceu.
  • Escreva seus pensamentos e suas emoções antes de dizer ao seu parceiro. Dessa maneira, você terá uma visão mais objetiva e clara do que provoca o desentendimento.
  • Quando as desavenças forem muito frequentes ou se transformarem muitas vezes em conflito, é hora de procurar ajuda profissional. Em muitos casos, é preciso a intervenção de uma terceira pessoa para normalizar a situação e a convivência familiar. Além disso, o profissional pode ajudar vocês a aprender a conduzir uma discussão na frente das crianças.

Quais efeitos as discussões agressivas na frente das crianças podem ter?

  • As crianças vão se sentir tensas, assustadas, ansiosas e desprotegidas nessa situação. Lembrem-se de que o lar deve ser uma grande fonte de cuidado, proteção e amor.
  • Sentimentos de culpa. Se a criança sentir que ela é o motivo da discussão dos pais, a sensação de culpa será inevitável.
conduzir uma discussão na frente das crianças

  • Baixa autoestima. A soma da insegurança e da culpa faz a criança se sentir anulada e sem valor. É importante que as crianças saibam o quanto são importantes para a família.
  • Estresse. As crianças e os adolescentes vão sentir que precisam escolher um lado durante o conflito e isso vai provocar estresse.
  • Deformação da imagem dos pais. As crianças absorvem tudo o que veem em casa. Se enxergam duas pessoas agressivas que não sabem se expressar sem ferir uma a outra, as crianças vão repetir esse comportamento no futuro.

O papel do pai e da mãe exige autocontrole, sensatez e comunicação assertiva. É fundamental que as atitudes dos pais demonstrem aos filhos que a união familiar é sólida. Não é possível ter uma família sem que haja desacordos. Mas é, sim, possível que os desacordos sejam guiados de forma construtiva, aprendendo como conduzir uma discussão na frente das crianças.