Como diminuir o orgulho nas crianças?

09 Março, 2018
As crianças muito orgulhosas ou arrogantes começam a sofrer mudanças significativas no comportamento. O que fazer para ajudá-las?

Em muitas situações, o orgulho se faz presente na vida das pessoas. O caso das crianças não é uma exceção. A preocupação surge quando esse sentimento aparece de forma contínua e começa a mudar radicalmente o comportamento da criança.

O orgulho nas crianças, um problema que nasce em casa

Todos os seres humanos, em algum momento de suas vidas, mostram orgulho. Mas, o que é o orgulho? Define-se como o excesso de estima para consigo mesmo, tanto fisicamente quanto pelas próprias conquistas, méritos ou capacidades.

As crianças também mostram orgulho, já que é uma conduta natural do ser humano. No entanto, quando começa a aparecer de forma frequente, esse sentimento pode se transformar em uma atitude de soberba, arrogância ou vaidade.

As crianças muito orgulhosas ou arrogantes começam a sofrer mudanças significativas no comportamento. Elas costumam ter problemas com outras crianças do seu meio e, inclusive, com adultos, pois muitas vezes demonstram um sentimento de superioridade.

“As crianças orgulhosas se tornam rudes e irritantes. Por isso, começam a ter problemas para se relacionar e serem aceitas pelos outros”

O problema desse tipo de comportamento é que costuma se desenvolver como uma consequência do núcleo familiar. Ou seja, na maioria dos casos, as crianças costumam copiar o comportamento e as atitudes dos pais, avós ou outros familiares que estão constantemente presentes na vida delas.

orgulho nas crianças

O que fazer para evitar o orgulho nas crianças?

A principal medida que se deve tomar para evitar o desenvolvimento do orgulho nas crianças é uma análise abrangente do comportamento dos membros da família.

Assim como indicam os especialistas sobre esse assunto, as crianças costumam imitar esse tipo de comportamento. Se não ocorrer uma mudança na atitude dos pais e de outros membros da família, as chances de que a criança consiga controlar seu orgulho serão muito escassas.

Ressaltar a importância de todas as emoções

É fundamental que os pais orientem seus filhos. E, nesse processo, é importante explicar a importância das emoções. Sentir raiva e tristeza é tão necessário quanto sentir alegria. Pois então, a mesma coisa acontece com o orgulho.

Não é errado se sentir bem pelas conquistas e pelos méritos obtidos através do esforço. No entanto, quando se torna algo repetitivo e se transforma em soberba vira um problema. O segredo do sucesso e do bem-estar está no equilíbrio.

Autoridade

Se os pais não quiserem estimular o desenvolvimento de atitudes como a soberba, é importante que não cedam frente a possíveis birras da criança. Se um pai sempre agradar seu filho e ceder às manhas, não estará ensinando respeito e limites para a criança.

Mostrar que todo ato tem consequências

Outro ensinamento que é importante ressaltar é a existência das consequências. É importante deixar bem claro para a criança que todo ato tem uma consequência, especialmente se se tratar de uma atitude negativa.

Por exemplo, se, como consequência do orgulho, a criança ofender ou fizer mal para outra pessoa, ela deve ser repreendida.

orgulho nas crianças

Procurar ajuda

Se a situação não mudar, apesar de ter feito todo o possível para que a criança não desenvolvesse seu orgulho de forma exagerada, o mais recomendável é pedir ajuda.

Os psicólogos são os profissionais mais indicados para indagar o porquê dessa atitude da criança. Assim como também são as pessoas mais indicadas a orientar os pais nesse processo.

A educação em casa é o segredo

O comportamento e as atitudes dos pais serão essenciais para o bom desenvolvimento da criança. O exemplo começa em casa e é por isso que se deve prestar muita atenção ao que se diz e como se diz na frente das crianças.

Reforçar as atitudes positivas e fazer notar as que são negativas são alguns dos aspectos fundamentais na criação dos filhos.

Diminuir o orgulho nas crianças não deve ser uma tarefa muito complicada, desde que os pais se comprometam integralmente com uma mudança nas suas próprias vidas. Com paciência e muito afeto, é possível conseguir realizar uma mudança no comportamento das crianças.