Como ensinar inteligência emocional quando uma criança está brava

· 27 de setembro de 2018
Quando as crianças estão em suas tempestades emocionais, até mesmo os pais mais bem-intencionados podem ficar nervosos e passarem por maus momentos. Isso certamente pode dificultar o caminho para acalmar as crianças.

As crianças mais novas ainda não têm as habilidades necessárias para se acalmar sozinhas. Quando estão com raiva e precisam da orientação de seus pais para ajudá-las é a hora certa de ensinar inteligência emocional.

Quando as crianças estão lutando com as emoções mais difíceis (as negativas), elas precisarão da ajuda de seus pais para aprender a lidar com esse sentimentos.

Essas situações vão se tornar o momento mais importante para ensinar inteligência emocional aos seus filhos. Mas… como fazer isso?

Controle suas próprias emoções

As crianças nem sempre farão o que você diz, mas sempre farão o que você faz. Os pequenos absorvem o controle emocional dos pais. Por isso, é necessário aprender a ter inteligência emocional.

Quando permanecemos calmos, as crianças aprendem a manter a calma. A sua calma é o que vai ensinar as crianças a se acalmarem.

É muito importante não perder a cabeça diante de situações estressantes. É necessário que as crianças vejam que você está estabelecendo os limites com calma. Não há nenhuma razão (nunca!) para culpar ou punir uma criança. basta estabelecer limites e consequências, se for necessário.

Por exemplo, você pode dizer aos seus filhos algo como: “Desculpe, eu sei que você não quer parar de brincar, mas é hora de dormir”. “É hora de guardar os brinquedos”. “Eu sei que isso te deixa triste, mas você deve descansar”. “Vamos e assim também teremos tempo de ler uma história”. “Qual história quer que leiamos hoje à noite?”.

Sem dúvida, essas frases são muito melhores do que perder a paciência ou gritar para que criança guarde os brinquedos porque está ficando tarde. Se você gritar, seu filho só vai ficar com mais raiva porque vai querer continuar brincando sem entender por que deve parar.

ensinar inteligência emocional
Identifique as emoções da raiva

É preciso limitar algumas ações das crianças, especialmente quando são perigosas (atravessar a rua, correr sem olhar, jogar a comida no chão, bater nos irmãos, brincar muito tempo no tablet, etc.).

Quando o comportamento de uma criança é inaceitável, limites claros devem ser estabelecidos. Mas sempre com base na inteligência emocional.

Embora você deva limitar as ações do seu filho, é preciso identificar as emoções que ele está sentindo. Ele deve expressá-las mesmo que seja decepção ou raiva como resposta aos limites que você definiu.

Uma criança deve demonstrar seus sentimentos e perceber que você a escuta e a compreende… Elas precisam dessa válvula de escape.

Não é uma boa ideia mandar uma criança irritada para o quarto para que controle suas emoções. Desse modo, você só vai mostrar que as emoções dela não são importantes.

Embora as crianças devam respeitar os limites, ainda precisarão dos seus abraços e da sua presença para se conectar com suas emoções. Por exemplo, você pode dizer algo como: “Você está triste agora, e está tudo bem. Eu estou aqui com você e te entendo”.

Depois da tempestade, sempre vem a calmaria

Quando a tempestade passa, certamente seu filho estará mais cooperativo e carinhoso ao perceber que suas emoções são valorizadas. Ele se sentirá muito mais próximo porque você estava ao lado dele no seu último momento de crise.

Não ligue muito para raiva ou para a crise pela qual seu filho está passando. Lembre-se de que ele só está mostrando desgosto porque precisa de você como guia.

É importante ter em mente que durante a tempestade não se pode ensinar nada. Ter seu apoio para acalmar as emoções é o primeiro passo para que seu filho aprenda as habilidades necessárias para que no futuro possa se comportar melhor.

ensinar inteligência emocional

Responder às necessidades que estão por trás da raiva

As crianças querem ser felizes e, para isso, precisam ter interações mais próximas com seus pais. As crianças naturalmente querem agradar seus pais, e o mau comportamento vem sempre de sentimentos negativos ou de necessidades que não foram satisfeitas.

Se os pais não se importam com os sentimentos e as necessidades mais profundas das crianças é comum que acabem explodindo em mau comportamento.

A raiva é sempre uma defesa contra as emoções mais profundas, como o medo, a dor ou a tristeza. O ódio é uma posição que tomamos para nos proteger de algo que pensamos que pode nos machucar.

Quando uma criança sente raiva, é necessário reconhecer este sentimento e suas necessidades para entender as emoções mais profundas que a fazem sentir raiva.

Ter a oportunidade de sentir essas emoções fará com que seu filho se conecte com você e aprenda a ter inteligência emocional.