Como entender o comportamento impulsivo das crianças

24 Dezembro, 2020
Muitas crianças agem sem pensar nas consequências das suas ações, por diversos motivos. Por isso, é importante perceber o comportamento impulsivo dos nossos filhos para poder ajudá-los.

A maioria das crianças faz ou diz coisas sem pensar nas consequências das suas ações. De forma equivocada, as crianças impulsivas são consideradas mal-educadas, descuidadas ou grossas. A seguir, vamos falar sobre o comportamento impulsivo das crianças e sobre como podemos ajudar os nossos filhos a se controlarem adequadamente.

Às vezes, as crianças têm muita dificuldade para colocar um freio em suas mentes: elas interrompem enquanto você está falando com alguém, pegam coisas sem pedir permissão, podem colocar a própria integridade física em risco quando, por exemplo, atravessam a rua sem olhar para pegar uma bola, etc. As crianças impulsivas, em muitas ocasiões, agem antes que possam evitar. Então, os pais ficam se perguntando se isso é causado pela imaturidade, se a criança é realmente imprudente ou por que ela age assim.

Como é o comportamento impulsivo das crianças?

Quando uma criança é impulsiva de vez em quando, podemos pensar que isso é um traço comum nos pequenos. Porém, essa percepção muda se, frequentemente, observamos comportamentos impulsivos dos nossos filhos, porque aí percebemos que talvez eles realmente tenham dificuldade para se controlar.

entender o comportamento impulsivo das crianças

Nem todas as crianças têm os mesmos comportamentos impulsivos. Estes se manifestam de maneira diferente em cada criança e, além disso, podem mudar conforme forem crescendo. Alguns dos comportamentos que podemos observar são:

  • Pegar coisas de outras pessoas.
  • Não conseguir esperar sua vez em conversas ou jogos.
  • Fazer coisas inadequadas para chamar a atenção.
  • Ter dificuldade para seguir as regras de forma consistente.
  • Pode haver agressividade com outras crianças: morder, chutar ou bater.
  • Sempre querer ser o primeiro.
  • Não entender que as suas palavras ou comportamentos podem afetar outras pessoas.
  • Ter reações excessivas diante de erros, críticas e frustrações.
  • Não entender que as suas ações têm consequências.

Os comportamentos impulsivos das crianças podem fazer com que pareçam ter menos idade do que têm. Assim, é possível observar em uma criança de 10 anos os comportamentos de uma de 6, já que o seu autocontrole não amadureceu.

Qual pode ser a causa do comportamento impulsivo das crianças?

São várias as razões pelas quais uma criança pode ser impulsiva. Vamos ver algumas das possíveis causas dessa impulsividade.

Imaturidade

As crianças se comportam dessa forma porque demoram mais para amadurecer do que as outras crianças da mesma idade, e isso faz com que o desenvolvimento da capacidade de parar para pensar antes de agir aconteça mais tarde.

Estresse, frustração e falta de sono

Se as crianças tiverem problemas escolares ou familiares, a impulsividade pode ser uma forma de liberar essa tensão. Não devemos nos esquecer de que as crianças não sabem expressar as emoções da mesma forma que os adultos e, portanto, liberam essa tensão com comportamentos impulsivos.

Crianças com TDAH, uma das causas do comportamento impulsivo

As crianças com transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) têm dificuldade principalmente para controlar algumas emoções intensas, como, por exemplo, a raiva. Esse transtorno pode causar o aparecimento de comportamentos impulsivos devido à ausência de autocontrole sobre eles, já que essas crianças não são capazes de regular as suas emoções.

Fobias, transtornos do humor

Alguns transtornos do humor também podem ser as razões para os comportamentos impulsivos das crianças. É importante que, independentemente do motivo pelo qual o nosso filho tenha esse tipo de comportamento, possamos apoiá-lo para que ele melhore e adquira uma maior autoconfiança. Isso vai ajudá-lo a se sentir mais maduro e com maior autoestima.

O que podemos fazer para ajudar os nossos filhos se eles forem impulsivos?

Para ajudar os nossos filhos, primeiramente, devemos observar como eles se comportam em casa e, assim, teremos uma ideia do motivo dessa dificuldade para se autocontrolar.

entender o comportamento impulsivo das crianças

É fundamental descobrirmos qual pode ser a razão para esses comportamentos impulsivos, a fim de usar as ferramentas certas para enfrentá-los. Se o problema for a frustração, por exemplo, é possível usar um registro de frustrações para observar os padrões ao longo do tempo e, dessa forma, falar sobre o assunto com a escola e o médico para que todos possam resolver o problema juntos.

Algumas estratégias

Se você acredita ou sabe que isso acontece porque o seu filho tem TDAH, é aconselhável solicitar uma avaliação na escola para que, dessa forma, você possa orientá-lo sobre onde direcionar os seus esforços a fim de solucionar o problema. Mesmo assim, há algumas estratégias que podem ser utilizadas para lidar com esses comportamentos independentemente do motivo, tais como:

  • Técnicas para melhorar o autocontrole.
  • Responder com empatia quando o nosso filho estiver frustrado.
  • Praticar algumas habilidades para controlar a impulsividade.

Muitas vezes, as crianças percebem que os seus comportamentos podem ser um problema e isso as afeta. Por isso, é importante que elas saibam que não são as únicas com dificuldades e que, com a prática, desenvolverão um melhor autocontrole. Nunca se esqueça de comemorar as suas conquistas conforme forem ganhando o controle de si mesmas.

Em suma, conforme você pode ver, o comportamento impulsivo das crianças pode ter várias razões. Cada criança é diferente da outra, sendo única e especial. Simplesmente ao praticar as habilidades de autocontrole, o pequeno acabará conseguindo desenvolvê-las.

Os pais são os seus guias e pessoas de referência. Por isso, sempre se mostre empática e comemore cada uma das suas conquistas, pois isso vai fortalecer a sua autoestima.

  • Miranda, A. y M. J. Presentación. (1997): Intervención psicoeducativa con los alumnos inatentos, impulsivos e hiperactivos y dificultades de aprendizaje”, Barcelona, ED. Librería Universitaria de Barcelona.
  • Barkley, R.A. (1995): Niños hiperactivos. Cómo comprender y atender sus necesidades especiales, Barcelona: Paidós.