Como identificar e tratar os tipos de muco nas crianças?

· 2 de maio de 2018
Os mucos nas crianças costumam aparecer nas épocas de chuvas e alguns outros dias do ano. Esta mucosidade não é prejudicial, mas pode impedir os pequenos de respirar, comer e dormir de forma apropriada.

Os mucos nas crianças são muito frequentes em bebês e crianças pequenas de até 5 anos. A mucosidade é um mecanismo de defesa do organismo diante das infecções.

Quando um vírus entra em contato com as vias respiratórias e as inflama, a resposta é produzir esse material gelatinoso. Por sua vez, este material prende os germes para que sejam expulsos.

É importante que os pais se informem bem sobre esse e problema e seus tratamentos. Dessa forma, saberão o que fazer se a criança perder o apetite ou sentir que está se sufocando. Ainda que os mucos não representem um problema grave em si mesmos, podem ser um sinal de uma possível doença mais complexa.

Quais são os tipos de mucos nas crianças?

Dentre os tipos de muco nas crianças se encontram:

  • Muco claro e abundante. Este sobre e desce pela garganta e algumas crianças o engolem. É sinal de resfriado e aparece acompanhado de espirros constantes. Pode durar entre 2 e 4 dias.
  • Espesso e abundante. Quando não o resfriado não passa, a garganta começa a lutar contra ele e faz com que o muco desça com mais espessura. Ainda que no nariz da criança não fique muito muco, quando se deita faz com que comece a tossir frequentemente.
  • Verde amarelado. Esta cor é o indicador de que os glóbulos brancos começaram a lutar contra a infecção.
  • Esverdeado. É espesso e comumente surge nas manhãs. Costuma aparecer também nos olhos e é um sintoma de que os glóbulos estão lutando contra a infecção.
  • Muco com tosse persistente e sensação de engasgo. Se a criança tem dificuldade para respirar à noite e tosse muito, pode significar que tem bronquite.
  • Espesso e com febre. Isso pode ser sintoma de uma infecção mais grave, como uma otite ou pneumonia.

O muco nas crianças deve ser tratado?

A maioria dos pediatras não prescreve medicamentos a crianças menores de 2 anos para combater os mucos. Considera-se que é melhor tratar com mecanismos simples para que os expulsem.

Porém, é possível tratar com medicamentos se forem abundantes, não deixarem a criança respirar bem ou se os pequenos apresentarem febre alta.

A mucosidade é um mecanismo de defesa do organismo diante das infecções. Quando um vírus entra em contato com as vias respiratórias e as inflama, a resposta é produzir esse material gelatinoso.

Quais métodos podemos usar?

Há diversos tratamentos que podem ser usados para eliminar os mucos das crianças.

  • Boa hidratação. Proporcionar bastante água ao organismo vai fazer com que os mucos se tornem mais líquidos e sejam expulsos por meio da tosse.
  • Ambiente ventilado. Deve-se ventilar bem o quarto e manter uma boa limpeza a fim de evitar que se formem fungos.
  • Pinças nasais. São usadas para retirar o muco seco nos bebês.
  • Lavagens nasais. Devem ser feitas deitando o bebê com a cabeça de lado e aplicando com uma seringa o soro em cada fossa nasal. Este soro pode ser fisiológico ou hipertônico.
 Além desses, também podem ser administrados remédios caseiros, tais como:
  • Infusão de malva com suco de limão e mel.
  • Suco de cenoura com laranja todas as manhãs, por seu alto poder de vitamina A e C.
  • Caldo de frango, para desinflamar as vias respiratórias, pelo composto de cisteína.

A maioria dos pediatras não prescreve medicamentos a crianças menores de 2 anos para combater os mucos.

Em caso de febre alta, o pediatra pode indicar outros medicamentos, tais como:
  • Anti-histamínicos.
  • Antibióticos.
  • Mucolíticos.
  • Nebulizações.

Quando é necessário levar a criança ao pediatra?

Caso o pequeno apresente algum dos seguintes sintomas, não deixe de levá-lo ao médico:
  • Tosse muito persistente que causa sufocamento. Se isso acontecer, pode ser bronquite.
  • Se apresenta mal-estar geral e febres altasisso pode ser um sinal de otite ou pneumonia.

Em conclusão, os mucos nas crianças são muito frequentes e nem sempre são prejudiciais, pois são um mecanismo de defesa diante das infecções.

Porém, se você perceber que a criança está com muito muco, tosse sem parar e seu sono é interrompido, tome as medidas de prevenção necessárias. Se também apresentar outros sintomas, consulte imediatamente o pediatra.