Como lidar com a dor de barriga das crianças

29 de setembro de 2018
Neste artigo, veja algumas dicas de como aliviar a dor de barriga dos bebês, além descobrir quais são suas possíveis causas.

Quase todas as crianças passam por episódios de dor de barriga em algum momento. Na maioria das vezes, não é causada por um problema grave. Assim, na maioria dos casos, você pode resolver em casa esse problema.

Causas da dor de barriga das crianças

A dor abdominal forte por vezes pode vir de condições leves, como gases, cólica ou gastroenterite viral epidêmica, de acordo com a Sociedade Espanhola de Pediatria.

Como esses episódios são relativamente comuns, é melhor conhecer as maneiras como elas podem descrever esse tipo de dor.

Por exemplo, há um tipo de dor que é generalizado em mais da metade do abdômen. Nesse caso, pode ser causada por um vírus do estômago, indigestão ou gases.

A dor similar a uma cãibra, normalmente, não é grave. E é mais provável que ocorra devido a gases e inchaço. Muitas vezes, ela é seguida por diarreia.

Assim, os sinais mais preocupantes são: quando a dor ocorre frequentemente, dura muito tempo (mais de 24 horas) ou aparece acompanhada de febre.

As cólicas, no entanto, são uma dor que vem em ondas. Geralmente, começam e param de repente e, muitas vezes, são intensas.

Entretanto, bebês e crianças pequenas não conseguem descrever a dor que sentem. Portanto, alguns sinais de dor de barriga podem ser:

  • O aumento da irritabilidade
  • Levantar as pernas na direção da barriga
  • Alimentação deficiente

Muitas condições podem causar dor abdominal em uma criança. O segredo, portanto, é saber quando procurar atendimento médico.

dor de barriga

Em muitos casos, você pode simplesmente esperar, usar remédios caseiros, e, posteriormente, procurar o médico se os sintomas não desaparecem.

Um remédio caseiro inofensivo é o chá de orégano ou camomila, em se tratando de crianças mais velhas.

Nos bebês, o choro prolongado e inexplicável pode ser causado por dor abdominal. Essa dor pode desaparecer com a eliminação de gases ou fezes.

A cólica, muitas vezes, fica pior à noite. Nesses casos, balançar a criança no colo pode trazer algum alívio.

As causas menos graves de dor de barriga das crianças:

  • Prisão de ventre na síndrome do intestino irritável
  • Alergias ou intolerância alimentar
  • Azia estomacal ou refluxo ácido
  • Gastroenterite viral epidêmica ou intoxicação alimentar (salmonela, shigella)
  • Faringite estreptocócica e a mononumoncleose.

Outras possíveis causas são derivadas de:

  • Apendicite (inflamação do apêndice)
  • Oclusão ou obstrução intestinal
  • Doença inflamatória do intestino (doença de Crohn ou colite ulcerativa)
  • Intussuscepção causada por uma parte do intestino que entra em si mesmo
  • Infecções do trato urinário
dor de barriga

Como cuidar de uma dor de barriga em casa

Quando a dor mais leve começar, peça ao seu filho para se deitar em silêncio para ver se a dor desaparece. Às vezes, tomar bastante água pode ajudar. Você também pode pedir ao seu filho para tentar defecar.

Evite alimentos sólidos durante as primeiras horas. Em seguida, tentar alimentá-lo com pequenas quantidades de alimentos macios, como arroz ou maçã.

Além disso, evite ao máximo o consumo de cafeína, refrigerantes, cítricos, laticínios, frituras ou alimentos gordurosos.

Não dê aspirina, ibuprofeno, paracetamol (Tylenol) ou medicamentos similares sem antes conversar com o pediatra.

Ademais, para evitar muitos tipos de dor abdominal:

  • Evite alimentos gordurosos
  • Faça com que a criança beba bastante água todos os dias.
  • Incentive-a a comer pequenas refeições mais frequentemente.
  • Encoraje-a a se exercitar regularmente.
  • Reduza alimentos que causam gases.
  • Certifique-se de que as refeições sejam bem equilibradas e ricas em fibras.
  • Incentive o consumo abundante de frutas e legumes.

Dores de longa duração

Há uma doença chamada dor abdominal de longo prazo. Em crianças, é um motivo frequente de consulta nos cuidados primários e hospitalares, sendo responsável por 24% das consultas pediátricas.

De acordo com a Associação Espanhola de Pediatria, entre 13 e 17% das crianças em idade escolar sentem dor abdominal semanalmente. Portanto, essa condição, geralmente, ocorre entre os 5 e 12 anos.

Para diagnosticá-la,é preciso estabelecer a existência de uma reatividade intestinal anormal a estímulos diferentes: fisiológicos (alimentos, distensão de alças intestinais, alterações hormonais), nociceptivas (inflamatória) ou estressores psicológicos (separação dos pais, e ansiedade).