Como os animais de terapia podem ajudar as crianças?

· 21 de maio de 2018
Além de ser uma companhia inestimável, os animais são capazes de ajudar as pessoas a superar vários problemas de saúde. É o que acontece com os animais de terapia. Eles são a solução para muitos dos problemas que crianças, adultos e idosos podem ter.

 

A terapia assistida por animais ou zooterapia propõe a utilização de várias espécies de animais em atividades reabilitadoras, psicopedagógicas, terapêuticas e integradoras. Ainda que os adultos também sejam ajudados, os animais de terapia são especialmente benéficos para as crianças.

Benefícios dos animais de terapia para as crianças

A medicina tem avançado e, felizmente, reconheceu o impacto positivo da zooterapia na saúde das crianças. Na atualidade, os animais de terapia são usados em muitos exercícios com diferentes finalidades. Dependendo da espécie utilizada e da forma de interação, obtemos um estímulo específico.

Realmente não se pode falar de benefícios ou indicações predefinidas no âmbito da zooterapia. Cada criança deve contar com a orientação de um profissional especializado para definir as bases da sua terapia.

No entanto, a seguir vamos resumir os principais benefícios gerados pelos animais de terapia utilizados com mais frequência:

Terapia assistida por cães

Provavelmente, os cachorros são os animais de terapia mais versáteis que conhecemos. Sua inteligência, sensibilidade e devoção pelos seres humanos lhes permite colaborar em várias atividades integradoras, reabilitadoras e psicopedagógicas.

Por um lado, os cães-guias proporcionam às crianças com perda integral ou parcial da visão uma melhor qualidade de vida. Com a “orientação” do cão, essas crianças conquistam a liberdade de movimentos e a independência que serão indispensáveis na vida adulta. Os cães-guias também permitem a integração a uma vida social mais ativa e saudável.

Como a zooterapia vem sendo cada vez mais empregada em metodologias psicopedagógicas, os cães também se tornaram aliados da aprendizagem. Esse tipo de iniciativa busca estimular as capacidades cognitivas, emocionais e sociais das crianças e dos adolescentes que têm atraso metal, transtornos do espectro autista ou Síndrome de Down.

Também é importante mencionar o sensível papel que os cães de terapia realizam com idosos e pacientes com doenças graves ou terminais. Muitos hospitais e centros de geriatria incluíram terapias assistidas por cães para criar um ambiente mais positivo e que proporcione um melhor estado de espírito ou estimule a recuperação dos pacientes.

A equoterapia e seus múltiplos benefícios

Atualmente, a equoterapia certamente é a atividade mais reconhecida entre as diversas terapias assistidas por animais. Os cavalos são trabalhados como uma “ferramenta viva e completa” na reabilitação de crianças e adolescentes. É possível conseguir progressos cognitivos, sociais, emocionais e neuromusculares.

No entanto, os cavalos já eram conhecidos como animais de terapia desde a Grécia Antiga. Eles ajudavam a reabilitar consequências de acidentes e controlar os sintomas de doenças físicas e mentais.

A equoterapia também tem desempenhado uma função central no alívio das dores de doenças degenerativas. Como exemplos, podemos citar a artrite e a artrose.

“Na atualidade, os animais de terapia são usados em muitos exercícios com diferentes finalidades.”

Os lagartos como animais de terapia

Muitas crianças adotam iguanas e pequenos lagartos como animais de estimação exóticos. No entanto, seu impacto positivo na saúde infantil vem sendo estudado e empregado pela zooterapia.

Apesar de sua aparência peculiar, esses répteis são muito eficazes para estimular as capacidades cognitivas e sociais dos nossos pequenos.

As iguanas e os lagartos também contam com uma grande vantagem em relação aos cães e cavalos: ocupam menos espaço e requerem cuidados mais simples. Além disso, como não têm pelos, são extremamente recomendados como animais de terapia para crianças e adultos alérgicos.

Terapias para crianças com pequenos roedores

As crianças geralmente se sentem atraídas pelo aspecto dócil e delicado dos pequenos roedores. É o que acontece com os hamsters, os coelhos e os porquinhos-da-índia.

São animais que não provocam medo devido ao pequeno tamanho ou força física e demonstram um comportamento equilibrado. Também são fáceis de cuidar e se adaptam a pequenos ambientes. Em geral, são um ótimo primeiro animal de estimação para as crianças.

Os especialistas em zooterapia estão de acordo com o benefício social e emocional da convivência de crianças autistas com esses pequenos roedores.

animais de terapia

Os gatos como animais de terapia

Um aspecto que se deve levar em consideração é o impacto positivo das terapias com gatos para idosos. O contato com os pelos dos felinos é capaz de estimular a capacidade cognitiva e a memória.

Atualmente, a zooterapia pesquisa se esse efeito dos tratamentos com a ajuda dos animais de terapia também pode beneficiar todas as crianças na aprendizagem e na integração social.

Os animais de terapia são educados e recebem os cuidados apropriados para o exercício de sua função. A terapia assistida foi concebida especialmente para promover uma experiência positiva entre o paciente e o animal.