Como se manter firme na educação dos filhos?

24 de abril de 2019
À medida que as crianças vão crescendo, muitos pais cedem facilmente aos seus pedidos. No trabalho diário dos adultos, pode ser mais simples dizer sim a tudo. No entanto, essa atitude não é positiva para o desenvolvimento dos seus filhos.

Muitos pais acham difícil se manter firmes na educação dos seus filhos. Na prática, é muito mais fácil dizer sim a tudo, principalmente ao chegar em casa depois de um longo dia de trabalho. Há momentos em que o cansaço toma conta e as crianças conseguem tudo o que querem.

O hábito de estabelecer limites pode gerar momentos ingratos, tanto para os pais quanto para os filhos. Mas esses limites são instrumentos educacionais. A firmeza dos responsáveis pelas crianças, no que diz respeito à sua educação, é decisiva para o futuro delas.

Família e educação

A educação das crianças não é responsabilidade só da escola. Desde que a criança nasce, ela começa a ser educada nesse primeiro ambiente social que é o núcleo familiar. Em casa, ela aprende valores e comportamentos essenciais para a vida.

A continuidade e a manutenção de uma linha educacional sólida vai permitir um desenvolvimento adequado. Se a criança tiver clareza sobre o que ela deve ou não fazer, porque vivencia isso diariamente, ela vai internalizar esse valor e torná-lo parte dela mesma. Portanto, os pais devem permanecer firmes na educação de seus filhos.

Como se manter firme na educação dos filhos

As seguintes sugestões podem ser muito úteis para essa tarefa:

  • Disciplina: disciplina não significa punição; disciplinar é guiar, é contribuir para que a criança seja formada para a vida. Envolve mostrar o que é certo e o que é errado; educar com disciplina exige muita paciência e muito amor.
  • Definições: é necessário definir os valores, os hábitos e as atitudes que queremos criar nas crianças. O objetivo de saber em que direção a educação da criança está indo vai determinar o equilíbrio e o desenvolvimento emocional adequado dela.
  • Uma única voz: os pais responsáveis pelas crianças devem concordar com uma mesma linha educacional definida para a criança. É importante que ela encontre a mesma resposta e a mesma atitude em ambos os pais.
É necessário estabelecer previamente a punição por não respeitar as regras

Essa coerência e unidade de critérios é um ponto-chave para se manter firme na educação dos filhos. Da mesma forma, todas as pessoas que ficarem responsáveis pela criança durante o dia, enquanto os pais estiverem trabalhando, também devem manter os mesmos critérios.

Além disso, outras questões a serem consideradas são:

  • Estilo educativo. A educação exige certa dose de autoridade. A criança deve entender que os adultos têm a última palavra. Nesse sentido, é necessário evitar o autoritarismo e a imposição.
  • Fundamentos: explicar o porquê das decisões talvez não evite as discussões e a birra. Porém, essas explicações serão internalizadas e acabarão sendo aceitas e compreendidas.

“Se a criança tiver clareza sobre o que ela deve ou não fazer, porque vivencia isso diariamente, ela vai internalizar esse valor e torná-lo parte dela mesma.”

Na hora de estabelecer as regras…

Para ser firme na educação dos filhos, é conveniente estabelecer regras. Nelas, é possível visualizar claramente os comportamentos permitidos e aqueles que não são. Algumas sugestões sobre as regras:

  • Devem ser poucas, claras e razoáveis. É preferível determinar poucas regras que a criança possa cumprir do que uma quantidade excessiva que a criança possa esquecer.
  • Adequadas à idade da criança. As regras para uma criança pequena não serão as mesmas que para um adolescente; entre outras coisas porque, conforme vão crescendo, a função cognitiva dos jovens possibilita uma comunicação mais direta.
É necessário manter a firmeza com as regras e castigos

  • Estabelecer previamente a punição por não respeitar as regras. É aconselhável que esse ponto seja discutido com a criança; o castigo será usado apenas em casos extremos, quando os comportamentos não puderem ser controlados de outra maneira.
  • Manter a firmeza nas regras e nos castigos. Se a desobediência à regra às vezes gerar uma punição e às vezes não, a criança vai ficar confusa.
  • Promover o arrependimento. Esse é um passo muito importante. Diante de um comportamento inadequado, é essencial promover a reflexão da criança; é necessário tentar fazer com que ela compreenda que agiu mal, bem como as consequências dessa ação.
  • Gritar, bater e fazer longos discursos não é eficaz. Se o pai ou a mãe reagirem violentamente, estarão prejudicando a criança emocionalmente. A tranquilidade do adulto no momento da conversa com a criança vai contribuir para que o diálogo tenha um verdadeiro valor educativo.

Além disso, é essencial ensinar dando o exemplo dos valores e comportamentos que se pretende desenvolver nos filhos. O senso comum e a coerência sempre devem prevalecer.