A importância de respeitar a privacidade dos adolescentes

8 de fevereiro de 2019
Você já reparou que, de repente, o seu filhinho mudou? Não se preocupe, a adolescência chegou, Nessa fase, você precisa aprender como respeitar a privacidade dos adolescentes.

Ter filhos adolescentes não precisa ser algo complexo, nem para você nem para eles. Se você escolher respeitar a privacidade dos adolescentes, vocês podem superar essa etapa juntos. Então, siga algumas sugestões práticas e, dessa forma, o resultado vai ser satisfatório.

Por que é importante respeitar a privacidade dos adolescentes?

Esse detalhe – que não é pequeno – é importante para os adolescentes porque eles estão em meio a um processo de mudanças físicas e emocionais para passar para a idade adulta. Eles precisam criar um espaço interno. Este é um processo de desenvolvimento pessoal e alguns jovens preferem ficar sozinhos.

Durante esses momentos, o jovem quer representar a si mesmo, assim como os seus desejos e medos para adquirir a sua própria identidade. Por isso, a privacidade é um bem muito precioso nesse processo.

Como você pode respeitar a privacidade do adolescente?

O mais importante é mostrar respeito e tratá-lo com gentileza. Além disso, é preciso respeitar o seu espaço em casa. Para essas finalidades, algumas dessas sugestões podem ser muito úteis:

O quarto do adolescente

Uma forma de respeitar a privacidade dos adolescentes é fazer com que o seu filho tenha o próprio quarto. Esse lugar é o seu refúgio em casa, seu único espaço próprio no qual ele pode se encontrar com ele mesmo, se sentir livre, rir, chorar, ficar com os amigos. Por tudo isso, é necessário respeitá-lo.

Respeite os seus gostos

Você deve levar em consideração os gostos do seu filho em relação à decoração do quarto, mesmo que o estilo não seja do seu agrado nem combine com o restante da casa.

Não tente impor as suas preferências no quarto dele porque, dessa forma, você só vai conseguir discórdia e rejeição da parte dele.

Estabeleça regras de convivência

É essencial estabelecer regras de convivência claras e firmes, que o jovem deve respeitar. Entretanto, você deve dar o exemplo mostrando respeito a ele e ao restante da família.

Não entre no quarto dele sem bater, dê a ele um voto de confiança. Isso também demonstra que você é um pai ou uma mãe carinhosa, com um vínculo afetivo próximo.

Estabeleça regras de convivência

Sugira sem obrigar

A forma como você vai transmitir as suas ordens é muito importante. É melhor fazer isso com uma atitude gentil, mas firme. Mostre que é necessário manter a limpeza e a organização do quarto, assim como no restante da casa.

Além disso, faça com que ele veja que colaborar com a limpeza do quarto para manter a casa inteira limpa é um sinal de consideração pelos outros. Evite dar ordens com gritos e brigas, pois assim você só vai conseguir rejeição e desobediência.

A partir de que idade os jovens reivindicam a sua privacidade?

Desde a pré-adolescência, os jovens já começam a buscar a sua privacidade. Isso geralmente ocorre entre os 11 e os 13 anos de idade. Nessa fase, eles precisam e procuram a privacidade para fazer as suas próprias coisas e também reivindicam um espaço para ficar sozinhos.

O adolescente e a sua autonomia

Mais cedo ou mais tarde, chega o momento de respeitar a privacidade dos adolescentes em relação à sua autonomia. Nesse sentido, eles querem tomar as suas próprias decisões e escolher os amigos e as roupas que vão usar. Além disso, eles também escolhem suas músicas e até mesmo fazem planos para o fim de semana.

Os pais podem ser acessíveis e ensiná-los a exercer a sua autonomia com equilíbrio porque eles ainda estão sujeitos à autoridade dos adultos responsáveis.

Dessa forma, evita-se o surgimento de qualquer contradição na hora de dar permissões. Ou seja, o jovem deve continuar seguindo as regras dos pais.

Por outro lado, os pais devem apoiar os filhos diante de situações novas, tais como a primeira vez que saírem com os amigos, como controlar o dinheiro e como tratar o sexo oposto.

Além disso, deve-se ensinar a rejeitar completamente os vícios, como por exemplo as drogas e o excesso de álcool, além de respeitar as leis e ter boas relações interpessoais.

“Os adolescentes precisam criar um espaço interno, Este é um processo de desenvolvimento pessoal e alguns jovens preferem ficar sozinhos”

Respeitar a privacidade dos adolescentes

Levar a sua privacidade em consideração envolve não criticá-los nem falar de detalhes de sua vida pessoal em público. É conveniente deixar que eles mesmos se expressem e entender se eles não quiserem fazer isso, pois eles têm todo o direito de escolher.

Além disso, durante essa fase, também é importante não compará-los com outros jovens, tais como irmãos, primos, amigos ou colegas.

Respeitar a privacidade dos adolescentes

O que fazer se o seu filho for rebelde

Alguns jovens têm um comportamento mais hostil do que outros. No entanto, isso faz parte desse processo para alcançar a sua independência.

Em geral, os adultos têm uma percepção negativa dos adolescentes. Eles geralmente são considerados agitados, idealistas e possuidores de um extremo senso de justiça.

No entanto, existem casos de comportamentos extremos nos quais a ajuda profissional é necessária. Ir a psicólogos, terapeutas ou psiquiatras pode ser necessário nos casos em que essa rebeldia não possa ser controlada.

Em suma, ao respeitar a privacidade dos adolescentes, os pais contribuem para o desenvolvimento físico e emocional do jovem. Por consequência, seu filho vai estar preparado para ser um adulto responsável, equilibrado e feliz.

  • Palomer, R. M. (2007). Adolescentes. FMC Formacion Medica Continuada En Atencion Primaria. https://doi.org/10.1016/S1134-2072(07)71551-7