Consequências do uso excessivo de chupeta

· 2 de fevereiro de 2018
As consequências negativas do uso excessivo de chupeta pelo bebê podem ser várias. Neste artigo, apresentaremos algumas consequências e sugerimos alguns conselhos para ajudar seu filho a parar de usar chupeta.

Embora a chupeta provavelmente vá acompanhar a criança de maneira positiva durante os primeiros anos de vida, também pode trazer consequências negativas. Ou seja, o uso excessivo de chupeta pode acabar sendo algo ruim para a criança. Vamos mostra o porquê a seguir.

Por que é positivo evitar o uso excessivo de chupeta?

Abandonar o uso excessivo de chupeta a tempo é um vitória. Ou seja, devemos impedir o uso excessivo de chupeta por mais tempo do que o necessário para que não se transforme em um problema. Por que? Aqui estão os motivos.

Pode dificultar o início da amamentação

Não é a mesma coisa sugar o seio da mãe e chupar um mamilo de plástico. Assim, se o bebê está aprendendo a mamar no peito, não é recomendável colocar outros tipos de bicos na sua boca. O motivo? Porque podemos acabar confundindo o pequeno. Ele vai acabar não mexendo a língua da mesma maneira e não saberá o que fazer.

Esses casos recebem o nome de síndrome da confusão de bicos. Esse problema pode ser provocado tanto pela chupeta quanto pelo uso de diferentes bicos. Esse é o principal motivo pelo qual não se recomenda o uso de chupetas até que a amamentação se torne uma prática rotineira e conhecida pelo bebê.

Pode favorecer o aparecimento de infecções na boca

O uso de chupeta pode fazer aparecer determinadas infecções na boca do bebê. Em geral, uma das mais frequentes é a infecção provocada por fungos. É uma doença provocada pelo fungo candida albicans.

A cárie é outro tipo de infecção, embora muitas pessoas não saibam. A utilização excessiva da chupeta pode provocar as famosas cáries de mamadeira.

uso excessivo de chupeta

Pode provocar determinadas anomalias nos dentes

O uso prolongado de chupeta também pode originar determinadas anomalias nos dentes. Isso acontece porque pode acabar provocando deformidades na mandíbula do bebê. Em específico, pode fazer com que a arcada superior fique posicionada à frente da inferior. Isso recebe o nome de má oclusão dentária.

Outro problema que pode aparecer, nesse sentido, é os dentes de cima não encaixarem com os de baixo. Então, conduziria a uma mordida aberta.

Essa mordida ocorre, principalmente, quando são usadas chupetas com um eixo central muito duro. Além disso, quando o bebê não está usando a chupeta, ele costuma respirar pela boca e não pelo nariz. Tudo isso estimula o aparecimento de anomalias no palato. Também favorece o aparecimento de deformidades na cavidade bucal.

Problemas de fala

Também vai afetar o desenvolvimento da linguagem. Para que seja possível a correta articulação dos fonemas pela criança, é preciso que ela não tenha malformações na boca.

Esses transtornos podem ser corrigidos. No entanto, nesse sentido, foi descoberto que entre esse tipo de problema estaria o de pronunciar de maneira errada determinados sons.

Pode provocar infecção no ouvido

A infecção no ouvido ocorreria porque o bebê respira pela boca, como já dissemos. Nesse caso, ele não termina de fechar a trompa de Eustáquio ao engolir a saliva.

uso excessivo de chupeta

Como evitar esses problemas

Para evitar que nosso bebê tenha esses problemas, além de tentar impedir que a criança use chupeta durante muito tempo ao longo do dia, é preciso levar em consideração os seguintes fatores:

  • O uso da chupeta deve ser interrompido, definitivamente, por volta dos 2 ou 3 anos de idade. Dessa maneira conseguiremos evitar as malformações na boca.
  • É importante levar em consideração o amadurecimento da criança para evitar situações traumáticas. Por exemplo, não é aconselhável tirar a chupeta ao mesmo tempo em que se tenta parar de usar fralda. O comum é que a partir desse momento as próprias crianças peçam a chupeta em determinados momentos.
  • De qualquer maneira, você deve considerar que nas crianças a necessidade de sucção desaparece quando elas completam 4 anos de idade. A partir dessa idade, não vão sofrer mesmo que não estejam com a chupeta.

É aconselhável tomar nota desses conselhos, pois são as melhores maneiras de se evitar problemas relacionados com o uso excessivo de chupeta. Prolongar seu uso vai fazer com que o momento de parar de usar chupeta se torne mais difícil.