A consulta médica na adolescência

12 Julho, 2020
Embora a adolescência seja uma fase da vida das pessoas na qual há uma boa saúde, é importante contar com o acompanhamento médico regular para receber orientações e apoio quanto a questões cruciais.

A consulta médica na adolescência requer acompanhamento contínuo. Embora seja uma fase na qual geralmente há uma boa saúde, existem situações relacionadas com comportamentos que requerem atenção e o fornecimento de informações adequadas.

A consulta médica na adolescência

A coluna, a postura e outros assuntos

A consulta médica na adolescência pode ser uma fonte inesgotável de perguntas, uma vez que existem tantos interesses que surgem nessa fase que poderíamos passar horas e horas conversando com os adolescentes.

São assuntos a serem abordados e, às vezes, também motivo de preocupação, desde a postura e alterações na coluna vertebral até questões relacionadas com a alimentação e a concentração nos estudos.

A consulta médica na adolescência

Quais são as características dos adolescentes?

Quanto aos cuidados com a saúde, não devemos nos esquecer de que os adolescentes geralmente apresentam um sentimento de invulnerabilidade que os leva a pensar que nada de ruim pode lhes acontecer. Por isso, eles adiam as consultas médicas, exceto quando se sentem realmente doentes.

A adolescência como um problema

Não é bom estigmatizar e considerar a adolescência como um problema. Em geral, há um número significativo de adolescentes e jovens que estudam, trabalham, respeitam as regras e são uma fonte de criatividade e transformações positivas.

Os adultos têm um papel decisivo quando se trata de ajudá-los, sempre lembrando que somos seus pais, professores ou conselheiros, e não seus amigos. A escolha do parceiro e da profissão, bem como a busca pela identidade, são elementos cruciais.

A consulta médica na adolescência: uma, duas ou três vezes por ano?

As Sociedades Científicas reconhecidas em Saúde na Adolescência da Espanha, por exemplo, recomendam pelo menos duas consultas ao ano com um profissional que tenha experiência reconhecida em saúde na adolescência.

É importante que o profissional seja especialmente capacitado para que possa fazer perguntas abertas que contribuam para a sensação de confiança por parte dos adolescentes.

A entrevista motivacional também é um recurso apropriado que, nas mãos de especialistas, pode contribuir para alcançar um melhor relacionamento que continue ao longo do tempo.

Os pais na consulta

Os pais sempre têm um papel fundamental. No entanto, a forma de acompanhar os filhos deve ser diferente na infância, na adolescência e quando eles se tornarem jovens adultos. Dessa forma, tanto os profissionais quanto a família devem contribuir para o desenvolvimento progressivo da autonomia.

A consulta médica na adolescência

A confidencialidade na consulta médica na adolescência

Confidencialidade significa que as informações compartilhadas na consulta, em geral, permanecerão apenas nesse âmbito. No entanto, é importante esclarecer desde o início que, embora haja a intenção de proteger a sua confidencialidade, ela pode ser ‘quebrada’ se houver alguma situação que coloque em risco a saúde desse adolescente ou jovem.

Nesse caso, com o consentimento do adolescente, isso será informado ou o jovem será ajudado a compartilhar essas informações com os pais.

Para se ter em mente

Quando os filhos entrarem na adolescência, não é incomum ver e ouvir que muitas vezes os pais devem parar de cuidar deles. Isso não poderia estar mais equivocado, uma vez que os adolescentes precisam da atenção e do acompanhamento dos pais, porém de uma maneira diferente: ajudando-os para que possam se desenvolver como seres autônomos.

Conclusão

A adolescência é uma fase inspiradora que inclui transformações positivas. E, nesse sentido, o apoio dado pelos adultos pode gerar mudanças substanciais nas vidas e nos projetos dos adolescentes.

  • Melamed, Irene. “Los adolescentes y el derecho a la información en contextos de salud” 12 Congreso Virtual de Psiquiatría.
  • Sociedad Española de Medicina de la Adolescencia, SEMA.