Dicas para aceitar que os filhos crescem

25 Junho, 2020
Aceitar que os filhos crescem não é uma tarefa simples. Por um lado, ficamos felizes pela independência conquistada. Por outro, nos sentimos tristes porque eles não precisam mais de nós. Aceitar essa realidade é o primeiro passo para enfrentá-la.

Você já ouviu centenas de vezes: “É a lei da vida”, “Você também fez isso”, “Eles têm o direito de pensar neles”… mas você não quer aceitar o fato. Aceitar que os filhos crescem não é uma tarefa simples. No entanto, você deve aprender que o tempo passa e que eles serão cada vez mais independentes. Neste artigo, vamos mostrar algumas dicas para ajudar você a passar por essa fase.

Aceitar que os filhos crescem

Se fosse pelos pais, eles prefeririam que os seus filhos sempre fossem pequenos, que precisassem deles o tempo todo e que os seus maiores problemas fossem amarrar os cadarços ou que o brinquedo favorito estivesse quebrado.

É normal ficar em uma espécie de ‘encruzilhada’ toda vez que os filhos aprendem algo novo ou demonstram independência. Por um lado, há a felicidade pela conquista alcançada, mas por outro, a tristeza ao perceber que ‘eles não precisam mais de nós tanto quanto antes’.

Como primeiro passo, devemos aceitar que os filhos crescem. Eles deixam de ser crianças para se tornarem adolescentes e, depois, adultos. Quando isso acontece, é normal que eles saiam de casa, mas ainda não vamos falar disso.

A fase da juventude dos filhos pode ser bastante problemática. A autonomia que eles têm para fazer certas coisas é combinada com as mudanças hormonais e a rebeldia de não pedir ajuda. Essa é a primeira ‘ruptura’ na vida dos pais.

Alguns anos depois, esse filho, que ainda é vulnerável para nós, decide ir embora para morar sozinho, se casar ou se mudar para o exterior. Não conseguimos acreditar que o tempo tenha passado tão rapidamente! Parece que foi ontem que ele chegou ao mundo, deu os primeiros passos ou encarou o primeiro dia de aula.

Chaves para aceitar que os filhos crescem

Uma tarefa ‘preventiva’

É necessário aceitar com o tempo que, em algum momento, os filhos vão embora de casa e vão formar a própria família. Isso não significa já começar a pensar nisso enquanto eles ainda são bebês, mas sim aceitar a ideia a partir da entrada na adolescência.

Dessa forma, quando o fato acontecer, estaremos prontos. Sem dúvida, não completamente, porque não poderemos evitar, novamente, essa encruzilhada entre felicidade e tristeza.

Ficaremos felizes por eles quando decidirem sair de casa, mas também ficaremos angustiados, porque eles não ficarão mais conosco o dia todo. Não vamos mentir, esse é um dos momentos mais dolorosos para os pais, uma provação que deve ser superada da melhor maneira e um momento ideal para começarmos a pensar em nós mesmos.

Ao aceitar que as crianças crescem e vão embora de casa, é essencial aprender a preencher esse vazioNo nível físico, com os quartos vazios, mas também emocionalmente, com o sentimento de ‘o que eu vou fazer agora?’.

Conforme dissemos anteriormente, estar preparado para esse momento pode reduzir bastante a chamada ‘síndrome do ninho vazio’Muitos pais não se preparam para o momento em que os filhos vão sair de casa porque, no fundo, eles esperam que isso nunca aconteça.

Chaves para aceitar que os filhos crescem

“É necessário aceitar com o tempo que, em algum momento, os filhos vão sair de casa e vão formar a própria família”.

Como enfrentar essa fase da vida

Não devemos considerar essa fase como algo negativo ou angustiante, muito pelo contrário. Talvez, em todos esses anos desde que seus filhos nasceram, você não tenha tido um fim de semana ou até mesmo uma tarde para si mesma. Agora você terá mais tempo livre!

Talvez você estivesse esperando que seus filhos se tornassem mais independentes para começar algum curso, fazer uma viagem ou visitar mais os seus amigos. O momento é agora!

Se você estiver com o seu parceiro, vocês vão agradecer por essa intimidade que fez falta por tanto tempo. Sem dúvida, é uma tarefa a dois aceitar que os filhos crescem e que a casa vai ficar mais vazia. Os primeiros meses serão estranhos e você pode se sentir um pouco desorientada.

No entanto, como geralmente se diz, as pessoas são ‘animais de hábitos’ e você acabará aceitando que uma nova fase da sua vida começou. Nela, você pode e deve pensar em si mesma e nos seus gostos ou necessidades.

Os seus filhos estão abrindo novos caminhos e construindo o próprio destino, assim como aconteceu com você há alguns anos atrás. Assim, apesar de ser um clichê, você deve aceitar que ‘essa é a lei da vida’ e encontrar o lado positivo dessa mudança.