O consumo de pornografia por adolescentes

10 Novembro, 2020
Os adolescentes de hoje em dia vivem em um mundo hipersexualizado. Eles têm conteúdo pornográfico ao seu alcance, com um toque na tela. Sem qualquer restrição, eles podem consumir pornografia livremente.

Diversas pesquisas mostram que o consumo de pornografia por adolescentes pode causar problemas quanto à manutenção de relações sexuais satisfatórias. Inclusive, afirmam que, se esse consumo for muito comum, ele pode levar a um certo vício. A pornografia está se tornando uma prática social preocupante?

Por outro lado, o consumo de pornografia aumentou nas últimas duas décadas. O mais preocupante é a idade em que se tem o primeiro contato com materiais pornográficos, pois há crianças com 10 anos que já veem conteúdo para adultos.

Esse consumo precoce da pornografia faz com que os adolescentes desvirtuem o modelo de relacionamento afetivo-sexual e tenham uma visão distorcida da sexualidade. Como esse consumo precoce e frequente de pornografia afetará os nossos filhos?

Com que idade os adolescentes começam a ver conteúdo pornográfico?

De acordo com a Unidade de Pediatria e Adolescência, a idade média em que os adolescentes começam a consumir pornografia é cada vez mais precoce. Entre 12 e 14 anos no caso dos meninos e 16 anos para as meninas.

Além disso, as estatísticas dizem que 1 em cada 4 crianças começa a ver pornografia antes dos 10 anos, e há até mesmo algumas crianças que têm seu primeiro contato com imagens pornográficas com apenas 8 anos de idade.

Há alguns anos, essa prática não era tão precoce nem tão massiva. Atualmente, o uso da internet e das novas tecnologias faz com que os pré-adolescentes e adolescentes tenham o livre consumo de pornografia ao seu alcance, sem restrições.

O uso do celular desde muito cedo, a curiosidade dos adolescentes e a facilidade de acesso a páginas com conteúdo pornográfico induzem à busca pela pornografia explícita. Com o tempo, eles vão procurar imagens cada vez mais transgressoras a fim de buscar maior prazer. Essa prática pode afetá-los de várias maneiras, pois seu cérebro ainda não possui um mapa bem formado da sexualidade.

Efeitos do consumo de pornografia em idade precoce

Emilio López Bastos, psicólogo e sexólogo, além de vice-presidente da Federação Espanhola de Sociedades de Sexologia, alerta que o consumo habitual e precoce de pornografia pode causar disfunções sexuais. Entre elas, a disfunção erétil, a ejaculação precoce e a dificuldade para chegar ao orgasmo.

Afinal, os adolescentes que começam a ver pornografia desde muito cedo acabarão precisando de um estímulo visual cada vez mais forte para obter uma resposta sexual agradável. Eles vão passar da pornografia softcore para a hardcore.

Essa é a razão pela qual muitos jovens procuram terapia com sexólogos, pois afirmam ter problemas para manter relações sexuais satisfatórias. Há até mesmo jovens que chegam a dizer que obtêm mais prazer ao consumir pornografia do que mantendo relações sexuais com seus parceiros.

Por outro lado, a nível cerebral, são produzidas descargas de dopamina que geram reações intensas muito semelhantes às que ocorrem com o consumo de substâncias que causam dependência. Dessa forma, assim como outros vícios, o consumo frequente de pornografia em idades precoces pode causar problemas físicos, mentais, psicológicos e sociais nos adolescentes.

É preciso ter em mente que a intensidade dos efeitos será maior quanto mais precoce for a idade de exposição e mais extremo for o conteúdo pornográfico, pois, conforme já dissemos, aos 12 ou 14 anos ainda não há um mapa da sexualidade bem formado. O cérebro ainda não está desenvolvido psicologicamente para processar essas imagens, o que faz com que a percepção da sexualidade seja distorcida.

Relações afetivo-sexuais em adolescentes consumidores de pornografia

Se um menino começar a consumir pornografia desde cedo, ele terá uma ideia errada sobre o sexo. Ele buscará na realidade o que viu e não vai encontrar. Isso porque a sexualidade humana tem pouco a ver com o que grande parte dessa pornografia transmite.

Além disso, algo muito negativo sobre a pornografia é que, em geral, ela é muito machista, transmitindo mitos e conceitos equivocados sobre a sexualidade. Por isso, com o tempo, tanto meninos quanto meninas acabarão distorcendo as relações afetivo-sexuais com seus parceiros. Como consequência, vão acabar assimilando que:

  • Sexo e afeto são duas coisas independentes.
  • Os homens podem fazer e possuir mulheres quando quiserem.
  • As mulheres devem responder às demandas sexuais dos homens.
  • Sexo violento é normal.

O que pode ser feito pela família e pela escola?

Conforme já dissemos, a curiosidade, o uso precoce do celular e a facilidade de acesso à internet e às páginas pornográficas fazem com que o consumo desse material seja cada vez mais precoce e frequente. Assim, a educação sexual, tanto na família quanto na escola, está se tornando cada vez mais necessária.

Dentro da família, devemos prevenir e evitar que os nossos filhos consumam pornografia desde cedo. Neste caso, a maneira mais prática de evitar que vejam conteúdo pornográfico são os programas de controle parental. Por meio deles, podemos restringir conteúdos, páginas da web e limitar o uso de dados a determinadas horas e com um tempo limitado.

No entanto, a melhor forma de prevenir o consumo de pornografia é a educação sexual adequada. É importante conversar abertamente com os nossos filhos, explicar a diferença entre sexualidade real e pornografia, educá-los sobre a igualdade e fazer com que eles saibam o que devem aceitar e o que não devem aceitar em suas relações sexuais.

Coisas a ter em mente sobre o consumo de pornografia por adolescentes

O consumo de pornografia é uma prática cada vez mais difundida e frequente entre os adolescentes. O fato de começar a ver conteúdo pornográfico desde cedo fará com que os jovens tenham uma ideia errada sobre a sexualidade.

Por outro lado, a visualização frequente de conteúdo pornográfico causará problemas para os adolescentes em suas relações sexuais. Eles terão um limiar de prazer tão alto por causa da pornografia que não vão apreciar o sexo com um parceiro.

Portanto, tanto em família quanto na escola, o consumo de pornografia deve ser prevenido por meio da educação sexual adequadaOs adolescentes devem ser orientados no processo da sua sexualidade. Não para censurar, mas sim para criar a capacidade crítica para diferenciar a pornografia das relações afetivo-sexuais.

  • Tokumura, O. (2015). Pornografía Online: Una nueva adicción. Madrid, España: Editorial Voz de papel.
  • Triviño Burbano, M. V.; y Salvador Brito, J. P. (2019) La Pornografía y su incidencia en el desarrollo psicosexual de adolescentes. Revista digital “Uniandes Episteme”, volumen(número), 246-260.