Por que algumas crianças se comportam mal quando a mãe está por perto?

· 19 de dezembro de 2018
Sempre que chego em casa e pergunto à senhora que me ajuda como as crianças se comportaram, a resposta é sempre a mesma: elas se comportaram muito bem como sempre.

A primeira coisa que vem à mente é um grande “Como é possível?”. Estamos falando das mesmas crianças com quem eu luto todas as noites para que comam bem, que questionam tudo, não querem tomar banho, escovar os dentes, se vestir ou acordar de manhã?

Com quantas mamãe acontece a mesma coisa? Por que raios as crianças se comportam tão mal quando você está com elas?

Elas não deveriam pensar que eu sou a mãe e que não há mais ninguém no mundo que se preocupe tanto com elas quanto eu? Será que é só comigo? Será que estou fazendo alguma coisa de errado?

Este comportamento é típico de crianças pequenas que estão aprendendo a controlar suas emoções e expressá-las. Elas veem na mãe um lugar seguro para tentar ser elas mesmos. Por isso é importante que você ensine os limites.

Você deve mostrar e determinar esses limites de forma muito clara. E esta é uma tarefa que exige paciência e amor.

Um relatório falso que ficou popular no mundo todo afirmava que as crianças se comportavam 800% pior com as mães. Esse relatório levantou a eterna questão: por que as crianças se comportam pior na presença das mães?

mãe está por

Os filhos se comportam mal quando a mãe está, verdadeiro ou falso?

Um psicólogo, o Dr. K.P. Leibowitz, afirmava: “Descobrimos que as crianças, até mesmo bebês de oito meses, podiam estar felizes brincando, mas ao verem a mãe entrarem no quarto tinham 99% mais probabilidades de começar a chorar, de liberar suas emoções e exigir atenção imediata.

O 1% restante era uma criança com problemas de visão que, uma vez que ouviu a voz de sua mãe, começou a jogar coisas e pediu um lanche apesar de já ter comido.

A falsa pesquisa indicava que uma criança podia se comportar até 800% pior se a mãe estiver presente devido aos feromônios.

De acordo com o Dr. KP Leibowitz, suposto autor da pesquisa, “as crianças sentem os feromônios das mães e mudam de comportamento”. Esta seria uma reação natural do corpo da mãe que libera os feromônios para que o seu filho sinta e saiba que a mãe está por perto e se sentir protegido e seguro.

As mães sempre pensam que esse comportamento é devido ao fato de a criança querer passar mais tempo junto à ela, porque quer chamar atenção para que notem a sua presença, ou porque sabem que você, como mãe, vai amá-la mesmo que faça o maior escândalo do ano.

Como mãe, você é o porto seguro para seu filho. Ele se sente mais confortável com você, sabe que você sempre estará ao seu lado para ajudá-lo e protegê-lo. Não há como negar esse vínculo tão forte que vocês têm.

mãe está por

As crianças se sentem à vontade quando estão com a mãe

Não há necessidade de um estudo para saber que as crianças se comportam pior na presença das mães. Existem duas teorias sobre isso:

Confiança

Os filhos passam muito tempo com a mãe, o que é um costume tradicional e ainda continua acontecendo hoje em dia.

Isso propicia uma confiança maior em você do que em qualquer outra pessoa que tenha contato com ela.

Essa relação de confiança faz com que as crianças relaxem seu comportamento e, por isso, não se sentem limitadas para expressar suas emoções.

As crianças querem sua atenção

As crianças, especialmente quando são muito pequenas, não querem te importunar de propósito e muito menos planejam estratégias para acabar com sua paciência. Certos comportamentos como chorar, chutar ou gritar não é outra coisa senão querer chamar a sua atenção.

Elas precisam de todo o carinho e amor que você possa oferecer. E, mesmo que você seja muito carinhosa, sempre vão querer mais.

As crianças procuram conforto e você é a primeira pessoa com quem elas vão tentar suprir essa necessidade.

Afinal, em você elas podem encontrar um abraço quando tiverem um pesadelo, um beijinho para sarar quando se machucarem ou palavras de encorajamento quando não conseguirem marcar um gol.

Nos pais, as crianças procuram outras coisas: diversão, exploração, brincadeiras, experiências, conselhos. As mães, em geral, representam a proteção que as crianças associam de forma inata à sobrevivência.