Como evitar a superproteção?

· 1 de junho de 2017

A superproteção não é algo que os pais costumam evitar. Pelo contrário, existe porque ocorre naturalmente e muitas vezes inconscientemente. A maioria dos pais tende a superproteger os seus filhos de alguma forma. Embora seja algo que possa ser considerado inofensivo às vezes é exagerado, e pode levar a consequências indesejadas nas crianças.

O esforço dos pais em manter os seus filhos sob cuidado é muito apreciado, as crianças merecem e necessitam. Além disso, é uma responsabilidade deles. No entanto, chega um momento em que os pequenos devem tornar-se independentes, serem responsáveis, conscientes e capazes de resolver a maioria dos seus problemas.

Ensinar as crianças a cuidarem de si mesmas é o melhor presente que podemos dar, portanto, a superproteção é algo que devemos evitar. Embora saibamos que a nossa ajuda é muito valiosa no desenvolvimento das crianças, devemos estar cientes de que não é sempre que estaremos em posição de ajudar e por isso é importante que eles sejam capazes de se virar sem a nossa ajuda.

A superproteção pode ser evitada

O primeiro passo para evitar cair em excessos ao proteger nosso filho é tratá-lo como um ser capaz, que merece aprender. Ter consciência de que é nosso dever ensiná-lo a se desenvolver na vida pode melhorar as tarefas que nosso papel implica. Se isso também é difícil, devemos saber que podemos acompanhá-lo de perto durante todo o processo e poder encher-nos de orgulho ao ver como ele se torna independente.

Deixar determinadas obrigações nas mãos de crianças é um passo importante para que eles aprendam questões básicas de convivência e de subsistência, além de nos permitir observar suas capacidades. Uma vez que temos a certeza de que há muitas coisas que os pequenos possam fazer por conta própria e sem riscos, pouco a pouco os nossos medos começarão a desaparecer e, consequentemente, também a superproteção.

Superproteger as crianças pode trazer consequências no seu comportamento e no seu desenvolvimento. Eles tendem a se tornar pessoas inseguras e com poucas habilidades para assumir as responsabilidades no futuro. Da mesma forma, também é possível que desenvolvam baixa tolerância às críticas, não aceitem seus erros e acabem culpando os outros pelos seus erros.

Em qualquer caso, se você sentir que é parte do grupo de pais superprotetores ou quiser evitar que isso aconteça, essas recomendações podem ser úteis para melhorar esta situação:

  • Ensine-lhes o valor das coisas. Às vezes os pais acreditam que as crianças vão crescer felizes se eles derem tudo o que elas pedirem, e na verdade é um erro comum. Atender em excesso os seus desejos é uma forma comum de mimá-los. Isso impede que as crianças aprendam o valor das coisas que recebem porque não precisam fazer nenhum esforço para ganhá-las.
  • Ajude-o a lidar com a frustração. É comum que as crianças superprotegidas apresentem problemas em aceitar seus erros e baixa tolerância quando não recebem o que pedem. Se você já tiver superprotegido o seu filho terá que começar essa tarefa do zero. Pode ser que nem tudo saia bem no começo, por isso é importante que saibam como lidar com o sentimento causado pela falha desde pequeno, assim não terá de “consertar” depois, o que será muito mais difícil.

  • Dê-lhes a oportunidade de aprender por si mesmos. As crianças são capazes de ter sucesso por conta própria em muitos aspectos. Podemos achar que eles são frágeis, ou não que saberão como agir em determinada situação, mas se tivermos dado um bom exemplo com certeza eles irão tirar de letra. Lembre-se que alguns problemas que aparecem podem ser resolvidos por elas mesmas, então lhe dê a oportunidade de resolverem.
  • Deixe-lhes que sejam responsáveis por seus atos. Não importa quão bem-comportadas sejam as crianças, sempre aprontarão alguma coisa ou cometerão algum tipo de erro. Isso pode ser usado para ensinar que as nossas ações têm consequências. Evite resolver os seus problemas quando eles forem diretamente responsáveis para que entendam que no futuro não terão alguém para resolver tudo.
  • Faça as atividades com elas para que aprendam e você poderá ver como são capazes de se desenvolverem por si mesmas. Fazer atividades manuais que sejam úteis são importantes para desenvolver a imaginação e outras habilidades.
  • Não tenha medo de deixá-las descobrirem o mundo. Mantenha-se em uma posição de acompanhamento, observando seus passos sem a necessidade de intervir a cada momento.