Crianças que falam sozinhas: algo positivo ou negativo?

· 6 de maio de 2018
Muitas pessoas pensam que as crianças que falam sozinhas têm algum problema psicológico, mas não é o caso. Neste artigo, você poderá se informar um pouco mais sobre o que acontece se seu filho fala sozinho e como essa prática condiciona seu crescimento e desenvolvimento.

Geralmente se diz que as crianças que falam sozinhas sofrem de algum tipo de transtorno, estão alteradas ou algo acontece com elas. No entanto, a realidade é diferente, já que não apenas estão bem da cabeça, mas também possuem uma excelente conexão entre a inteligência e aquilo que se conhece como discurso privado.

De acordo com estudos realizados por médicos especialistas, como o caso do psiquiatra Luis Rojas Marcos, falar consigo e em voz alta ajuda a fazer com que os pensamentos sejam mais precisos e certeiros. Isto é, a pessoa pensa melhor.

Além disso, as decisões tomadas são mais eficazes, os pensamentos se organizam de forma mais coordenada e inclusive representam um importante suporte para a superação pessoal.

A conclusão é que, se o seu filho fala sozinho, deixe que o faça. Isso significa que ele é muito inteligente.

Por que é bom que a as crianças que falam sozinhas façam isso em voz alta?

Durante o desenvolvimento de seus filhos, muitos pais perceberam que eles falam sozinhos enquanto brincam. Isso pode acontecer até mesmo com adultos. Muitos se acostumam a falar enquanto executam suas tarefas. Definitivamente, isso significa que são pessoas muito inteligentes.

Nunca se deve repreender a criança diante de tais circunstâncias. Estes monólogos contribuem grandemente para melhorar a linguagem e também para controlar seu comportamento. Portanto, elas adquirem excelentes habilidades.

Se observarmos cuidadosamente nossos filhos, perceberemos que eles falam mais sozinhos do que se estivessem acompanhados. Estes monólogos em crianças de 10 anos representam entre 20% e 60% de sua interação.

“Os psicólogos, os pais e os educadores sempre viram este comportamento como um sinal de desobediência, distração ou até mesmo de instabilidade mental

Por outro lado, alguns especialistas veem esta situação como um desenvolvimento da parte cognitiva de todas as crianças. Se vemos esse modelo como parte integrante do desenvolvimento da criança, todos os envolvidos na educação devem contribuir para encorajá-lo em crianças saudáveis ​​e implementá-lo em crianças com transtornos mentais.

Situações em que as crianças mais falam sozinhas

Existem três situações muito comuns nas quais as crianças que falam sozinhas geralmente o fazem. Estas são:

  1. Antes de começar a fazer algo.
  2. Quando estão fazendo algo.
  3. Depois de terminar de fazer algo.

Essas situações são como uma espécie de análise prévia que a criança faz, como forma de planejar um jogo. Se está jogando ou fazendo uma tarefa, também pode fazê-lo. Isso é bom para sua saúde mental, uma vez que não só mantém os neurônios ativos, mas também se mantém entretida em coisas importantes para si.

Benefícios de falar sozinho

  • As crianças que falam sozinhas estão estimulando a si mesmas. Elas aprendem a resolver situações que serão de grande ajuda no futuro.
  • Falar sozinho a levará a ser uma pessoa mais comunicativa.
  • Quando uma criança está brincando e falando sozinha, sua linguagem se desenvolve de forma mais estimulante.

  • A criança aprenderá a diferenciar as coisas que a cercam no ambiente onde ela se desenvolve.
  • Sua mente começa a se organizar de forma lógica e com um bom senso.
  • Quando está brincando e fala sozinha, isso significa que todos os seus pensamentos estão sendo organizados para alcançar um fim proposto.
  • Se disser em voz alta tudo o que se propõe a fazer, vai melhorar a habilidade linguística e, ao mesmo tempo, estimular a capacidade de aprender.
  • A criança, ao falar sozinha enquanto brinca, encoraja seu conhecimento através de sua própria voz. Dessa forma, conhecerá melhor a si mesma.

É por isso que, quando observamos crianças falando sozinhas e realizando uma tarefa, podemos concluir que estão procurando uma solução para um problema. Isso também lhes serve como uma ferramenta de suporte para alcançar uma solução que pode ser complexa.

Conclusões

Em conclusão, muitos pesquisadores afirmam que há uma relação entre a inteligência e a quantidade e qualidade da fala. Isso indica que, quanto mais inteligente a criança for, mais terá falado e, portanto, seu conteúdo será mais maduro.

As crianças que falam sozinhas têm a oportunidade de se contar fantasias, conversar com um amigo imaginário e até com objetos que na verdade não existem. É assim que elas contam seus sonhos. Falar sozinho, então, é considerado um instrumento para o desenvolvimento do autocontrole e do pensamento.