Dados revelam que nascer no fim de semana é mais complicado

31 de julho de 2018
O dia em que nascemos não é algo fácil de prever. Por isso é um risco comum que o nascimento aconteça em um fim de semana.

Embora o fato de nascer no fim de semana não pareça relevante, dados revelam que nascer em um sábado ou um domingo é muito mais complicado do que nascer em outro dia.

Segundo pesquisas, uma criança nascida no fim de semana pode sofrer algum dano durante o parto e até mesmo falecer durante os primeiros dias de vida.

O estudo realizado sobre esse assunto foi baseado em dados de hospitais no Reino Unido. Os resultados analisados pela School of Public Health também revelaram que as complicações podem aumentar para as mulheres em trabalho de parto. Uma mulher que é internada durante o fim de semana pode apresentar complicações no pós-parto e ter muitos riscos.

Como é que se explica esse fenômeno? Como se relaciona o dia com as complicações do parto? Para descobrir isso, os pesquisadores analisaram, durante dois anos, mais de um milhão de casos de crianças nascidas aos sábados e domingos. Os quadros comparativos que os pesquisadores realizaram lhes permitiram estabelecer que os incidentes nos dias de semana são inferiores quando comparados aos dos finais de semana. Os dados foram ajustados para outros fatores comuns em mães.

nascer no fim de semana

Os nascimentos nos finais de semana: as complicações em números

A diferença entre os incidentes durante os dias de semana em comparação aos dos fins de semana são evidentemente claros para os especialistas. No entanto, eles ainda não tinham feito estudos. Para maior segurança, eles tiveram que analisar fatores como a saúde das mães, tempo de gravidez, a idade de mulheres e o peso dos recém-nascidos.

Quando esses nascimentos ocorreram num fim de semana, os resultados mostraram um aumento de pelo menos 0,05% na taxa de internações de emergência, surgimento de infecções e morte perinatal. A taxa também aumentou para 0,08% em caso de lesões de recém-nascidos durante o parto.

Pode parecer que as diferenças são poucas. Mas, de acordo com os números, conclui-se que os níveis de complicações e mortes foram maiores nos finais de semana do que nos outros dias. Estima-se que, em um ano, foram registradas mais de 400 infecções e mais de 700 mortes perinatais. As taxas no caso da morte perinatal foram de 0,71% durante os fins de semana. Ao passo que nos outros dias foram de 0,65%.

As taxas foram ainda mais elevadas em relação ao número de infecções de mulheres grávidas internadas nos sábados e domingos. Foram registrados incidentes de 0,87% em comparação aos 0,82% de outros dias. Além disso, 1,53% dos bebês nascidos em um fim de semana apresentaram mais lesões durante o parto, em comparação aos 1,45% nos dias de semana. Ademais, os bebês nascidos nesses dias têm uma probabilidade de 0,05% maior de permanecerem internados após o nascimento.

nascer no fim de semana

Por que é mais complicado o nascimento durante um fim de semana?

Uma vez que observaram as diferenças entre as complicações durante o parto nos dias de sábados e domingos em relação a todos os outros dias da semana, os pesquisadores procuraram determinar as causas desse fato. No início, eles observaram os aspectos que nada têm a ver com as mamães e os bebês, já que era uma população bastante comum. Por isso, tentaram relacionar os incidentes com os funcionários da área da saúde.

Como esse estudo foi realizado em hospitais do Reino Unido, é muito provável que em outros países essa relação seja muito diferente. Por exemplo, na Espanha, o serviço de saúde na área da maternidade é diferente dependendo do dia da semana. Embora esse estudo ainda não tenha sido feito aqui no Brasil, é bem provável que possa existir uma situação semelhante.

Apesar da contundência dos resultados, o estudo ainda tem muitas limitações. Especialmente porque não foi possível determinar exatamente a causa do fenômeno. Apelando para o senso comum, talvez provavelmente as razões tenham a ver com a qualidade do pessoal que trabalha nesse período, a quantidade de pessoas, o cargo e a competência.