Os danos provocados pelo cigarro durante a gravidez

· 20 de fevereiro de 2017

Não se discute que o cigarro causa danos ao corpo humano. Se trata de um problema de saúde que gera um alto número de doenças crônicas em todo o mundo. Mas, sabemos quais são os danos provocados pelo cigarro durante a gravidez?

Uma mulher que fume e deseje engravidar deve estar consciente de que terá um aumento da fertilidade se abandonar o vício. Mas falar é mais fácil do que fazer.

Um vício que está há anos enraizado é difícil de abandonar, mas com a ajuda apropriada do parceiro, de psicólogos, tratamento médico e a decisão de trazer ao mundo uma criança saudável é possível deixar de fumar.

Da mesma maneira, uma mulher fumante que esteja grávida deve conhecer os riscos que existem para ela, e sobretudo para seu bebê, ao continuar fumando ao longo dos nove meses que dura a gestação.

O cigarro é um vício que afeta os pulmões e altera o sangue na mulher. A nicotina e o monóxido de carbono são introduzidos na corrente sanguínea causando muitas doenças cardiovasculares, cardíacas e distúrbios pulmonares graves.

Quando a mulher está grávida, a nicotina invade o cordão umbilical, fechando o espaço nele por onde é transportado o oxigênio ao feto. A placenta da mulher e o líquido amniótico também se enchem de nicotina. Para visualizar melhor a situação, é como se a criança estivesse flutuando dentro de uma bolsa carregada de nicotina, que em alguns casos supera 15% das substâncias presentes na corrente sanguínea da mãe.

O câncer de pulmão e de garganta são doenças associadas diretamente ao consumo do tabaco. Quando uma mulher está grávida, estes riscos se duplicam. Pois já não é somente a saúde e a vida da mulher que está em perigo, mas também a de seu filho.

cigarrogravidez2

Uma história real sobre os danos causados pelo cigarro durante a gravidez

Laura passou toda a sua gravidez fumando. Fumava até dois maços nos dias de maior estresse e ansiedade. O vício pelo cigarro foi mais forte – em seu caso – que a força de vontade e a motivação a favor de sua saúde e a de seu filho.

Seu bebê nasceu prematuro, com pouco peso e tamanho. Com o passar do tempo, seu bebê cresceu muito devagar e apresenta até os dias de hoje problemas de tamanho e peso.

Atualmente o filho de Laura tem 6 anos e parece ter 4. Embora seja uma criança muito atenta e inteligente, tem problema de asma e alergias associadas ao consumo do cigarro durante a gravidez. Laura ainda expõe seu filho ao mundo do cigarro. Por isso é provável que quando a criança crescer, tenda a repetir o comportamento de sua mãe.

Danos provocados pelo tabaco durante a gravidez

Crescimento atrofiado

Como ilustramos na história de Laura, os filhos de mães fumantes apresentam problemas de tamanho e peso que podem se arrastar desde o nascimento se a mãe não deixar de fumar, pois a nicotina também vai parar no leite materno.

Nascimentos prematuros

As mulheres que fumam têm mais risco de terem um parto prematuro. Nos casos mais graves podem apresentar abortos espontâneos, gravidez ectópica e ainda, se os níveis de nicotina no sangue forem muito elevados, a criança pode nascer sem vida.

cigarrogravidez3

Problemas respiratórios

Como consequência dos altos níveis de nicotina e monóxido de carbono presentes no corpo da mãe e nos dutos pelos quais o bebê se alimenta e respira (o cordão umbilical), os bebês nascem com mais probabilidade de apresentar problemas de asma e alergias.

Em casos mais graves, os bebês podem nascer sem que os pulmões estejam totalmente formados. Ou seja, sem um bom desenvolvimento para que possam respirar por si mesmos, sendo submetidos a hospitalizações e à assistência de respiradores até que superem a crise.

Problemas de aprendizagem

Os filhos de mães fumantes podem apresentar transtornos de aprendizagem como a hiperatividade ou o déficit de atenção. Estudos indicam que as crianças que nasceram em um ambiente onde se tolera o hábito de fumar são mais propensas a serem fumantes na vida adulta.

Um fato curioso e que, ao mesmo tempo, serve para reflexão, é que durante a gravidez, as crianças apresentam sintomas de estresse, ansiedade e abstinência semelhantes aos que tem a mãe fumante.

É importante que você cuide da vida de seu filho, até mesmo antes de ser concebido. Peça ajuda àqueles que estão à sua volta para deixar de fumar e se comprometer com o bem-estar dele e de sua família. O trabalho de abandonar o cigarro, mesmo que para alguns seja difícil, valerá a pena.