Dicas para que o seu filho tenha uma fala fluida

· 2 de agosto de 2017

Amor, paciência e dedicação são os principais ingredientes para o seu bebê fale de forma fluida. Assim ele poderá se desenvolver de uma forma muito mais independente.

A comunicação é uma necessidade do ser humano desde o nascimento. A partir do momento que temos os nossos filhos entre os braços percebemos que eles tentarão transmitir mensagens através do choro, balbucio, sorrisos, gestos, etc… E embora não haja nenhum truque de mágica para que as crianças falem mais cedo, é importante conhecer as ferramentas para ajudá-las.

De acordo com especialistas em neurolinguística, é necessário prestar atenção especial à estimulação da fala uma vez que todos nós estamos programados naturalmente. Ou seja, sabendo que a criança poderá pronunciar as primeiras palavras com o passar do tempo, você deve se esforçar para motivá-la desde cedo para que vá aprendendo pela prática.

A comunicação é uma necessidade que a criança demonstrará por meio do choro ou balbucio

De acordo com esta ciência, a mãe e o pai não podem perder nenhuma oportunidade de falar com os pequenos. Algumas ocasiões são por exemplo quando estiverem dando comida, banho, dedicando algum tempo para brincar ou até mesmo quando a criança fizer algo de errado. Isto não só a incentivará a se comunicar com palavras, mas um vínculo poderá ser criado desde bem cedo.

A perseverança é a chave do sucesso para alcançar este objetivo. Por isso você deve usar o método da repetição para alcançá-lo juntos. Quando você for oferecer água, não hesite em usar frases como: “aqui está a água”, “tome um pouco de água”, “que boa é esta água”. Insistir com certas frases o ajudará a associar as palavras com diferentes objetos.

Evite pressionar o seu bebê

Embora este pequeno ser humano consiga amolecer o coração e faz com que alguns pais falem em certo tom de voz para mimá-lo é importante que você fale com firmeza sempre. Claro, você pode deixar essas expressões ou linguagem particular, quando quiser fazer carinho ou consolá-lo diante de uma situação.

Muitas mães podem ficar preocupadas por ver outras crianças começando a se comunicar com o meio em que vive com palavras claras e gestos concretos. No entanto, devemos também levar em conta que cada criança tem as suas próprias habilidades, algumas destrezas particulares e um diferente grau de compreensão. Sem dúvidas, pressioná-las seria um grande erro. Deixe a criança falar no devido tempo e a ajude com técnicas de estimulação.

As crianças aprenderão a falar em seu próprio ritmo e sem pressão

Dicas para ajudar o seu filho a falar

Os terapeutas dizem que entre 18 meses e dois anos os bebês pequenos têm um grande desenvolvimento do vocabulário, chegando a cerca de 200 a 250 palavras. Mas se isso não é o caso com do seu filho, procure um especialista que o ajude a orientá-lo, o avalie e lhe mostre algumas técnicas para estimular a fala.

Além disso, tente seguir estas dicas simples para que juntos possam conseguir alcançar a meta:

  • Aproveite as refeições para induzir a fala
  • Ensine-o a beber líquidos com um canudinho
  • Evite falar como se fosse um bebê
  • Mencione o nome de todas as coisas
  • Conte-lhe uma história antes de dormir
  • Não evite mencionar qualquer palavra
  • Cante músicas de fácil compreensão
  • Use recursos visuais e aponte as coisas com a mão
  • Transforme essa atividade em uma brincadeira aproveitando a curiosidade natural

Três alimentos que ajudam a fala

Se o seu filho já consome alimentos sólidos, não perca a oportunidade de oferecer certos alimentos que ajudam a fortalecer a inteligência e a memória. Esses dois fatores são relevantes para que o processo de aprendizagem seja rápido, eficiente e sem muitas dificuldades.

Os ovos são a primeira opção da lista por conter colina, substância responsável por promover sinapses (conexões entre os neurônios). A velocidade desse processo tem influência sobre o raciocínio, emoção, pensamento, entre outros fatores. Em teoria, quanto melhor forem as sinapses, melhor serão as respostas para o ambiente.

Os ovos, a beterraba e os peixes oleosos irão auxiliar no processo da fala.

A beterraba é um vegetal incrível nesse processo uma vez que contém monofosfato de uridina, que cumpre a mesma função de auxiliar nas sinapses e aumenta as habilidades cognitivas.

E finalmente, o que não pode faltar na dieta complementar são os peixes oleosos. Estes contêm ácido docosaexaenoico (ácidos graxos ômega 3) que ajuda no desenvolvimento da inteligência. Em relação a esta opção, é recomendável que espere até que o bebê cumpra um ano e que o pediatra autorize a sua ingestão pois pode desencadear reações alérgicas.

Fazer com que o seu filho fale mais rápido é um trabalho em equipe entre mãe, pai e a criança. Jamais o pressione para que ele fale o que você quiser. Pelo contrário, faça com que o aprendizado seja divertido, assim todos poderão desfrutar desse processo de crescimento.