Dicas para lidar com as reclamações das crianças

13 Novembro, 2020
Crescer usando as reclamações como estratégia comum predispõe as crianças à negatividade e ao desamparo. Descubra como evitar que isso aconteça.

Todos nós, tanto adultos quanto crianças, reclamamos em algum momento. É um direito legítimo que temos para expressar o nosso descontentamento ou protestar contra alguma injustiça.

Entretanto, quando nossos filhos vivem protestando contra tudo o que acontece em suas vidas, a nossa casa se enche de negatividade e os pequenos acabam sendo os mais prejudicados. Você quer saber como lidar com as reclamações das crianças? Então continue lendo.

Reprimir as emoções não é saudável. Temos que ensinar os pequenos a se relacionarem com os sentimentos negativos. Por isso, a reclamação pode servir para desabafar quando surge em momentos específicos.

No entanto, quando ela se torna uma atitude arraigada, há graves consequências. Para evitar que isso aconteça, será essencial trabalhar com os nossos filhos desde a infância.

As reclamações fazem parte da vida

As reclamações são comuns e estão presentes em todas as fases da vida. Enquanto a criança é um bebê, ela só tem o choro para expressar o seu desagrado ou desconforto. Mais tarde, ela pode recorrer a birras ou comportamentos agressivos. De qualquer forma, isso responde a uma falta de recursos para conseguir compreender e expressar adequadamente o que ela está sentindo.

Chaves para lidar com as reclamações das crianças

Com a chegada da puberdade, vão aumentar as suas queixas e reclamações por causa de situações que, na opinião dela, são injustas. No entanto, ela já terá a capacidade de expressar o seu descontentamento de uma forma mais madura.

Entretanto, é importante saber que a missão não é eliminar a reclamação, e sim canalizá-la. É positivo que os nossos filhos tenham confiança para expressar discordâncias, para dar sua opinião e para mostrar suas emoções. Além disso, a reclamação pode nos ajudar a entender como eles estão se sentindo e do que precisam. No entanto, quando as crianças se acostumam a usá-la com frequência, elas adquirem um hábito realmente prejudicial.

Como as reclamações afetam as crianças?

Quando as crianças assimilam a reclamação como uma estratégia de uso comum, elas se tornam predispostas a detectar cada acontecimento, detalhe e circunstância negativa de suas vidas. Assim, perdem a capacidade de valorizar as dádivas e vantagens ao seu redor e se colocam na posição de vítimas. Com isso, sua autoestima, confiança e felicidade diminuem enormemente e, além disso, elas também se fecham para a possibilidade de desenvolver habilidades de enfrentamento mais úteis.

Reclamar continuamente fará com que se sintam desamparadas diante da vida e incapazes de modificar as suas circunstâncias. Em última análise, a reclamação é uma demonstração de intolerância à frustração. Além disso, também podem ser gerados atritos familiares, perturbando o ambiente em casa.

Inclusive, é possível que as crianças usem essa reclamação generalizada como um meio de manipular os adultos ou de fugir de suas responsabilidades. Por isso, é importante equipá-las com atitudes e ferramentas mais positivas.

Dicas para lidar com as reclamações das crianças

  • Dar o exemplo. Precisamos ter cuidado com a nossa própria tendência de reclamar e de nos vitimizar com o que acontece conosco. Devemos lembrar que as crianças imitam o que veem e, portanto, devemos tentar ser um exemplo de confiança, calma e capacidade de resolução.
  • Evitar ceder diante das reclamações das crianças que tenham como objetivo nos manipular de alguma forma. Como pais, devemos deixar claros os limites que queremos estabelecer e permanecer firmes quanto a eles. Se a reclamação nos levar a mudar de ideia a favor da vontade da criança, perderemos a autoridade e reforçaremos esse comportamento.
Chaves para lidar com as reclamações das crianças

  • Ensinar as crianças a se comunicarem de forma assertiva é essencial. Se a criança se sentir infeliz, a solução não é ignorar a sua reclamação, e sim ajudá-la para que consiga expressá-la de maneira adequada. Para isso, primeiro devemos tentar pedir calma e dizer para a criança tentar se expressar sem chorar e sem comportamentos agressivos. Nesse momento, devemos atendê-la e ajudá-la.
  • Promover uma atitude positiva e decisiva. Devemos acompanhar a criança no processo de pensar sobre as possíveis soluções para o que a incomoda ou aquilo de que ela não gosta. Reclamar nos deixa estagnados nas emoções negativas e no desamparo. Por isso, colocar em prática suas habilidades de resolução de problemas vai ajudá-la a progredir e aumentar sua autoconfiança.

A atitude é forjada desde a infância

Em suma, devemos lembrar que as crianças são, em grande medida, uma tela em branco que se molda a partir da educação recebida. Portanto, se você detectou a tendência de reclamar no seu filho, é importante agir a respeito. Incutir uma mentalidade positiva e resiliente, capaz de tolerar a frustração, de se expressar de forma adequada e de encontrar soluções é o melhor presente que você pode dar ao seu filho.