11 dicas para tranquilizar seu filho durante uma injeção

Para tranquilizar seu filho durante uma injeção, é necessário explicar a situação e ajudá-lo a se sentir seguro. Aqui vamos contar algumas dicas para isso. Não perca!
11 dicas para tranquilizar seu filho durante uma injeção

Última atualização: 25 março, 2022

Entre as notícias relacionadas à pandemia, as vacinas contra a COVID-19 e outras injeções, as crianças de hoje estão muito mais conscientes de certos problemas de saúde do que antes. Mas, embora isso tenha seus benefícios, também envolve o gerenciamento de emoções complexas, como medo, angústia e incerteza.

Uma das preocupações que rondam a cabeça dos pequenos está relacionada às injeções: como será a picada? Vou sentir dor? E se doer por muitos dias? Essas e outras preocupações podem aparecer com frequência e, por isso, hoje vamos dar algumas dicas para tranquilizar seu filho durante uma injeção.

Como tranquilizar seu filho durante uma injeção?

Criança no pediatra cobrindo o rosto porque está com medo enquanto está sendo vacinado.

O objetivo de apresentar essas recomendações é para que você tenha as ferramentas necessárias para trazer tranquilidade aos seus filhos, proporcionar-lhes segurança emocional e deixá-los com mais uma mensagem: a importância da saúde coletiva, do autocuidado e da responsabilidade por si mesmo.

Dito isso, tome nota das seguintes dicas para tranquilizar seu filho durante uma injeção:

  1. Demonstre calma, serenidade e confiança. As emoções são contagiosas e transmissíveis. Se você estiver inquieta e impaciente, seu filho perceberá e possivelmente começará a se sentir da mesma maneira.
  2. Explique o que vai acontecer e por que é importante tomar a injeção. Uma estratégia muito importante é a antecipação. Para isso, você deve tornar o cenário o mais real possível para evitar surpresas. Sob nenhuma circunstância você deve mentir para seu filho ou minimizar o evento.
  3. Aproveite para trabalhar suas emoções e pergunte do que ele tem medo, como se sente e se há algo que o preocupa. Assim, você poderá entender melhor os medos do seu pequeno para ajudá-lo melhor. Muitas vezes, as crianças recriam imagens em suas cabeças a partir do que veem na televisão ou da experiência de um colega de classe.
  4. Você também pode perguntar sobre o que ele acha que o ajudaria a se sentir melhor. Às vezes, segurar a mão do seu filho ou incentivar o contato pele a pele é suficiente. Deixe-o dizer do que ele precisa.
  5. Evite comentários negativos como “Não vai doer” ou “Você está velho demais para chorar”. Isso invalida a maneira da criança de sentir e viver o que acontece. Além disso, provavelmente o levará a guardar suas emoções para si mesmo e não deixará espaço para ajudá-lo. Você deve saber que, dependendo da idade da criança, existem certos medos que são completamente esperados e você deve abordá-los com muita paciência.
  6. Reveja como você define limites em casa. Muitas vezes, eles são usados sob ameaças como “Se você se comportar mal, eu vou te levar para tomar injeção”. Essas situações criam medo e nervosismo nos pequenos e só aumentam o estresse diante dessa situação.
  7. Se possível, converse primeiro com a equipe médica ou de enfermagem. Peça a colaboração deles e explique do que seu filho tem medo. Muitos dos aspectos do ambiente são decisivos para alcançar a calma da criança e vale a pena tentar limitá-los. Por outro lado, pergunte sobre estratégias para reduzir a dor, como segurar o bebê no peito enquanto a injeção é aplicada.
  8. Promove jogos que ajudam a trabalhar fantasias e medos relacionados à situação. Por exemplo, tente fazer com que seu filho brinque de médico com seus bonecos e seja capaz de gerenciar suas emoções e experiências através dessa atividade.
  9. Leve junto seu brinquedo favorito ou objeto de apego para lhe dar segurança ou distraí-lo. Além disso, experimente uma música ou qualquer outro estímulo que permita mudar o foco de atenção durante esse momento angustiante.
  10. Pergunte ao seu filho como ele se sente depois de receber a injeção. Se ele estiver bem, você pode levá-lo para tomar um sorvete ou passear. Dessa forma, ele não ficará com aquela “sensação amarga” pelo que acabou de acontecer e se sentirá mais encorajado.
  11. Reforce o comportamento positivo. Diga que ele é muito corajoso por tomar a injeção e elogie seu bom comportamento e cooperação.
conceito de vacinação infantil infantil bebê

Promover a gestão emocional desde a infância

Acompanhar as crianças na gestão das suas emoções é fundamental para o seu bem-estar presente e futuro. Assim você está ensinando a elas que não há problema em se sentir assim e que elas podem fazer algo para melhorar o desconforto. Ou seja, é fornecer os recursos para que elas possam enfrentar seus medos e não ficarem passivas ou paralisadas diante deles.

Nas primeiras idades da vida, os medos surgem devido a questões que para muitos adultos podem ser insignificantes. No entanto, é fundamental não minar a voz das crianças e apoiá-las para que se façam sempre ouvir.

This might interest you...
A vacina hexavalente: tudo que você precisa saber
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
A vacina hexavalente: tudo que você precisa saber

A vacina hexavalente protege contra 6 infecções graves em crianças, 4 bacterianas e 2 virais. Deve ser aplicada em várias doses.



  • Estrada, M. R. B., & Martín, M. M. (2009). Educación en valores y educación emocional: propuestas para la acción pedagógica. Teoría de la Educación. Educación y Cultura en la Sociedad de la Información, 10(2), 263-275.
  • Heras Sevilla, D., Cepa Serrano, A., & Lara Ortega, F. (2016). Desarrollo emocional en la infancia. Un estudio sobre las competencias emocionales de niños y niñas. International Journal of Developmental and Educational Psychology. Revista INFAD de Psicología., 1(1), 67.
  • Pérez Escoda, Nuria, & Filella Guiu, Gemma. (2019). Educación emocional para el desarrollo de competencias emocionales en niños y adolescentes. Praxis & Saber, 10(24), 23-44. Disponible en: https://doi.org/10.19053/22160159.v10.n25.2019.8941