A disartria infantil: sintomas e tratamento

09 Maio, 2018
A disartria infantil é uma alteração da fala e da capacidade das crianças de pronunciar as palavras corretamente. Como na maioria das patologias infantis, o importante é providenciar o tratamento o mais cedo possível.

A disartria infantil é definida como uma alteração neurológica que afeta principalmente a articulação da fala. É importante conhecer e detectar os sintomas dessa condição para tomar as medidas corretivas necessárias e assim garantir o desenvolvimento físico e psicológico integral da criança.

O que é a disartria infantil?

Trata-se de uma condição neurológica cuja principal consequência é uma alteração na pronúncia ou articulação da fala. Diversas causas neurológicas alteram o controle muscular desses mecanismos e, portanto, afetada a capacidade da criança de articular sons de maneira correta é afetada.

O que pode causar a disartria? Essa alteração neurológica pode ocorrer desde o nascimento da criança até durante a infância. Geralmente, quando ocorre desde o nascimento, se deve a diferentes problemas pelos quais a mãe possa ter passado durante a gravidez.

Porém, como dissemos, esse transtorno também pode ocorrer durante a infância. Especialmente se a criança sofreu algum tipo de trauma cranioencefálico (TCE) ou um acidente vascular cerebral (AVC). Também pode se desenvolver a partir de outras doenças neurológicas.

Os tipos de disartria

Existem vários tipos de disartria. Cada uma delas têm características específicas, por isso o tratamento deve ser focado de forma individual, de acordo com cada paciente. Nesse sentido, podemos definir 6 tipos de disartrias: flácida, espástica, hipocinética, hipercinética, atáxica e mista.

Quando a disartria é muito grave, ela impede que a criança articule qualquer palavra e nesse caso denominamos de anartria. Essa é a mais grave de todas. A criança que sofre dessa condição entende o interlocutor e é capaz de ler, mas não de falar.

La disartria infantil afecta la capacidad de pronunciación de los pequeños.

Sintomas da disartria infantil

É fundamental que os pais estejam atentos diante de qualquer alteração importante e duradoura no comportamento e na fala de seu filho. Desse modo, será possível fazer um diagnóstico adequado e proceder ao tratamento para reverter pouco a pouco a disartria infantil.

Esta alteração depende do tipo de lesão que a produz, assim como da extensão e do tamanho da mesma. De acordo com isso, os sintomas podem variar.

Os sinais mais significativos desse problema costumam ser:

  • Alterações no tom de voz, especialmente uma mudança para a voz nasal.
  • Problemas para movimentar os lábios, a língua e a mandíbula.
  • Dificuldade para controlar a saliva.

Outros sintomas da disartria infantil podem ser:

  • Músculos flácidos ou muito rígidos.
  • Problemas para controlar o volume da voz, ou seja, falar muito alto ou muito baixo.
  • Respiração entrecortada.
  • Pouca articulação, até o ponto de não conseguir entender o que a criança pronuncia.

Qual é o tratamento para a disartria infantil?

É muito importante fazer um diagnóstico a tempo para que a criança possa ter acesso aos melhores tratamentos. Nesse sentido, o grupo familiar mais próximo é essencial para a recuperação da criança, já que deve colaborar de forma ativa em sua terapia.

O tratamento pode variar de acordo com a idade, o tipo e a gravidade da disartria. Geralmente um grupo de especialistas multidisciplinares ficará responsável por trabalhar diferentes aspectos do transtorno que afetam a criança.

“Nas crianças com disartria, diversas causas neurológicas alteram o controle muscular dos mecanismos da fala e, portanto, a capacidade da criança de articular sons de maneira correta é afetada”

A idade da criança é fundamental para a obtenção dos melhores resultados, assim como o apoio de todo o grupo familiar e da escola; a família tem que estar envolvida. No dia a dia, a criança deverá fazer terapias com profissionais e realizar exercícios em casa que lhe permitirão acelerar os resultados.

Assim, ela deverá trabalhar aspectos como relaxamento geral, respiração, articulação, audição, além de ações como mastigar e engolir. Nos casos em que a criança apresente muitos problemas na comunicação oral, poderá requerer o aprendizado da comunicação aumentativa.

Es importante la detección temprana para curar la disartria infantil.

O que é a comunicação aumentativa?

A comunicação aumentativa ajudará a criança a se comunicar de forma efetiva. Consiste na comunicação por sinais, utilizada pelas pessoas surdas, ou também mediante a realização de desenhos, elaborações teóricas ou ajudas técnicas, entre outras ferramentas para que possa se expressar.

Definitivamente, a disartria infantil é uma alteração neurológica grave que pode se desenvolver por diferentes fatores. De acordo com o tipo, a localização e a gravidade do transtorno, o diagnóstico e tratamento podem mudar consideravelmente.

A idade da criança também é fundamental para a obtenção de melhores resultados. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores as chances de ter resultados muito positivos.

  • Domínguez Núñez, C. (1984). Trastornos del habla infantil. “Revista de Logopedia, Foniatria y Audiologia.”  https://doi.org/10.1016/S0214-4603(84)75319-8
  • González, R. A., & Bevilacqua, J. A. (2012). Las disartrias. Rev Hosp Clín Univ Chile.
  • Sánchez, F. M. (2010). Trastornos Del Habla Y De La Voz. Revista de Neurologia.