Como é feita a doação do cordão umbilical após o parto?

· 25 de janeiro de 2019
Mais e mais mulheres têm optado por doar o cordão umbilical após o nascimento de seus filhos. Você sabe qual é o objetivo dessa prática?

Não faz muito tempo que os médicos alertaram sobre a importância da doação do cordão umbilical após o parto. Isso se deve às descobertas mais recentes sobre as células-tronco, que são capazes de salvar muitas vidas.

A seguir, nos aprofundaremos nos principais aspectos desse importante tópico.

Por que o cordão umbilical é usado após o parto?

Após o nascimento do bebê, aquele “fio condutor” que o manteve vivo durante toda a gestação geralmente é descartado. No entanto, hoje sabe-se que o cordão umbilical tem sangue rico em células-tronco.

Essas células são as mesmas que estão na medula óssea e são responsáveis ​​pela geração de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e, também, plaquetas.

Células-tronco podem ser transplantadas para pessoas que sofrem de leucemia e não recebem doadores de medula óssea. Na maioria dos casos, os pacientes são crianças, uma vez que o conteúdo sanguíneo é de cerca de 80 mililitros. Isso é suficiente para pessoas que pesam menos de 40 quilos.

O melhor de tudo é que a porcentagem de tratamentos bem-sucedidos é de cerca de 90%. A razão é que o sangue do cordão umbilical requer menos compatibilidade com o receptor, uma vez que os linfócitos que ele contém são mais “imaturos” em termos de imunologia.

No entanto, isso não significa que são de má qualidade. Muito pelo contrário, as chances de rejeição com o receptor são drasticamente reduzidas.

bebê recém-nascido no hospital

Como fazer a doação do cordão umbilical após o parto

Como primeiro passo, a mãe deve passar por um exame de rotina durante a gravidez para descartar doenças transmissíveis. Quando o médico aprova a doação – que é totalmente indolor -, a mulher deve assinar seu consentimento por escrito para a prática.

Os dados do doador são inseridos em um registro de computador, mas são absolutamente confidenciais. Isto é, ninguém saberá o nome da mãe. É bom saber que, caso não possa ser usado em um paciente, o sangue do cordão umbilical será usado para fins de pesquisa.

“O cordão umbilical tem sangue rico em células-tronco, também conhecidas como ‘células-mães’. São as mesmas que estão na medula óssea e são responsáveis ​​pela geração de glóbulos vermelhos e brancos e, também, de plaquetas”

Após o parto, seja natural ou por cesariana, o procedimento para o uso do cordão é muito simples. Além disso, não implica em qualquer sofrimento ou perigo para o bebê ou para a mãe.

Como o cordão umbilical é extraído

bebê no pós-parto

Pelo menos três minutos após o parto, a equipe da maternidade ou o obstetra realiza o corte ou punção do cordão, como acontece com todos os recém-nascidos. No caso de nascimentos múltiplos, espera-se até que todos os bebês nasçam para, então, realizar o procedimento.

Para doar, é essencial que o cordão umbilical seja removido antes que a mãe expulse a placenta que ainda está no útero. 

Depois disso, ele é desinfetado com uma solução de iodo ou álcool e um dos vasos sanguíneos é canalizado para que o sangue caia no que é conhecido como “saco de coleta”.

Além disso, cerca de dois centímetros de cordão são seccionados. Em seguida, são colocados em um recipiente especial e usados ​​para estudos posteriores. Quando a placenta é expelida, a operação é repetida para coletar o sangue dentro do tecido.

A amostra inteira é enviada para um banco de sangue especial, processada e as células-tronco são armazenadas a 196° abaixo de zero. Elas podem ser usadas ​​em qualquer paciente que precise, por meio de uma transfusão, substituir as células-tronco doentes do receptor.

Outros cuidados

Além disso, a fim de utilizar a doação do cordão umbilical após o parto, é essencial que o bebê seja submetido a um exame clínico na ocasião e que este seja repetido, opcionalmente, após três meses. O pediatra é o responsável por esses controles.

Sem dúvida, é uma decisão muito pessoal que deve ser pensada pela mãe junto com seu parceiro ou sozinha. 

A doação do cordão umbilical após o parto pode salvar vidas e não envolve nenhuma complicação ou perigo para o bebê ou para a parturiente. É um ato de amor e completamente altruísta!

  • Rocha, V., Sanz, G., & Gluckman, E. (2004). Umbilical cord blood transplantation. Current Opinion in Hematology. https://doi.org/10.1097/01.moh.0000145933.36985.eb