Dor abdominal funcional em crianças

27 de fevereiro de 2019
Você sabe o que é a dor abdominal funcional em crianças? Embora às vezes não saibamos de onde vem o desconforto, geralmente não é um sinal de alarme.

Se seu filho frequentemente sofre de dor no intestino e você não encontra nenhuma causa aparente para seu desconforto, pode ser o caso de dor abdominal funcional em crianças. É assim chamada porque não é causada por uma doença digestiva ou qualquer outro problema médico ou condição clínica, mas pode atrapalhar a vida diária.

O que é a dor abdominal funcional em crianças?

Não há certeza absoluta sobre a causa dessa condição, mas considera-se ser devida a um mau funcionamento entre o intestino e o sistema nervoso, e até mesmo o sistema imunológico, em situações estressantes ou hipersensibilidade à dor.

Dor abdominal recorrente é definida como dois ou mais episódios de dor abdominal em um período de 3 meses. Além disso, deve ser uma dor significativa o suficiente para interferir na atividade normal.

A dor abdominal crônica (DAC) é uma das causas mais frequentes de consultas pediátricas, atingindo entre 2-4% das crianças e 7-25% dos adolescentes.

Existem dados publicados pela Scient Direct que de 10 a 15% da população em idade escolar a apresenta e que seu pico de incidência é entre 5 e 8 anos, para, depois, reaparecer na adolescência.

Como a dor abdominal funcional é diagnosticada em crianças?

O diagnóstico em si é complicado, pois é importante descartar qualquer possível patologia, como síndrome do intestino irritável, dispepsia funcional ou enxaqueca abdominal, além de algum tipo de intolerância alimentar. Nesses casos, é preciso aplicar um tratamento específico.

É necessário investigar algum evento que possa ter causado estresse, como provas, mudanças, morte de um ente querido, divórcio dos pais, etc., pois isso pode afetar o sistema digestivo, irritando-o e causando uma dor mais ou menos grave.

dor de barriga em crianças

Sinais perigosos

Para começar, a criança fará um exame físico para determinar seu peso e saúde geral. Durante a palpação abdominal, será possível determinar se há tensão, gases, inflamação, etc.

Por outro lado, é importante ter em mente alguns sinais que indicam que a dor não é funcional, mas pode ser causada por alguma doençaÉ importante discutir os seguintes sinais com o pediatra:

  • Febre sem causa aparente
  • Perda de peso
  • Lesões no ânus
  • Fezes com vestígios de sangue
  • Diarreia frequente
  • Alterações no crescimento
  • Dor abdominal no lado direito
  • Vômito persistente
  • Histórico familiar de qualquer doença intestinal, úlcera, doença celíaca, etc.

Tratamento para a dor abdominal funcional

Esse tipo de dor, como você viu, não se refere a nenhuma situação preocupante ou subjacente a um problema grave, mas pode apresentar um desconforto mais ou menos intenso. Portanto, o uso de qualquer medicação estará sempre sujeito à decisão de um especialista, sendo o paracetamol bastante eficaz.

dor abdominal funcional em crianças

Além disso, existem alguns remédios que podem ajudar a aliviar a dor abdominal em crianças, como massagem na área ou aplicação de calor. Ocasionalmente, uma terapia psicológica que ajude no gerenciamento do estresse pode ser necessária.

Como conversar com as crianças sobre o assunto?

O objetivo é não deixá-las pensar que tudo está em sua cabeça, já que isso poderia fazer com que se sintam ainda pior. Mas você precisa deixar claro que elas não precisam se preocupar e que podem aprender a controlar a dor.

As crianças devem entender que não têm nenhuma doença, mesmo que seus sintomas sejam reais. Explique que elas estão sendo cuidadas e que muitas crianças passam pelo mesmo processo.

Como você viu, a dor abdominal funcional em crianças é bastante comum e, embora geralmente não haja necessidade de preocupação, é aconselhável observar e descartar possíveis patologias junto com o médico. Geralmente esses sintomas desaparecem com o crescimento.

  • Aparicio Hernán, A. (2011). Dolor abdominal crónico y recurrente. Pediatria Integral
  • Harris D., P., Godoy F., A., & Guiraldes C., E. (2001). Dolor abdominal, dispepsia y gastritis en pediatría: Rol del Helicobacter pylori. Revista Chilena de Pediatría. https://doi.org/10.4067/S0370-41062001000200002
  • Mónica González, Y., & Francisca Corona, H. (2011). Dolor abdominal recurrente (DAR) o crónico en niños y adolescentes. Revista Médica Clínica Las Condes. https://doi.org/10.1016/S0716-8640(11)70410-2