Três atividades para ensinar as crianças a resolver conflitos

· 30 de janeiro de 2019
Mais cedo ou mais tarde, as crianças terão que enfrentar conflitos em suas vidas. Por esse motivo, ter as ferramentas certas para lidar com a situação é fundamental. Como podemos transmitir a elas essa habilidade?

Uma parte fundamental da criação e da educação é ensinar as crianças a resolver conflitos. Para isso, elas devem aprender a expressar os seus sentimentos, desenvolver habilidades de comunicação e tolerância, melhorar a capacidade de trabalhar em equipe e pensar no bem comum.


Existem diferentes atividades que são muito úteis para atingir este objetivo, principalmente no meio educacional. Através delas, a dinâmica de resolução de conflitos é estabelecida de maneira lúdica e divertida para os pequenos. Em seguida, veremos três exemplos de atividades para ensinar as crianças a resolver conflitos.

Atividades para ensinar as crianças a resolver conflitos

1. O círculo

A atividade do círculo tem como objetivo mostrar que cada pessoa tem as suas próprias motivações, que por sua vez, são diferentes das motivações das outras pessoas.

Ademais, procura-se ensinar as crianças a entender e respeitar a opinião de seus colegas, mesmo que seja contrária à delas. Dessa forma, pretende-se ensinar as crianças a resolver conflitos.

Primeiro, encontre algumas crianças que se voluntariem para formar um pequeno círculo, podem ser seis ou sete. O resto das crianças formará um círculo maior ao redor delas.

O mediador da atividade, que geralmente é o professor, vai propor um tópico de discussão. Por exemplo, pode ser um conflito real que tenha existido no grupo ou um problema fictício.

As crianças que formaram o círculo menor discutem o problema. Quando terminarem, o resto de seus colegas de classe vão discutir esse mesmo assunto.

Nessa segunda discussão, também analisaremos por que as crianças se ofereceram como voluntários e quais foram suas motivações.

Da mesma forma, eles devem discutir sobre como se sentiram quando as opiniões de outras crianças não coincidiram com as suas, se isso tiver acontecido. Então, deve-se analisar se os diferentes pontos de vista foram respeitados ou não.

Por fim, deve ser realizada uma avaliação para saber se alguém mudou de opinião com esse exercício. O papel do mediador é fundamental nessa atividade.

As atividades em grupo ajudam as crianças a resolverem conflitos.

2. A teia de aranha

Na atividade da teia de aranha, todos os participantes devem passar por uma teia de aranha sem tocá-la. O objetivo desse jogo educativo é estimular a capacidade coletiva de tomar decisões e resolver conflitos. As crianças aprenderão a confiar em seus colegas e a valorizar a cooperação.

Para realizar essa atividade, você vai precisar de uma corda e um espaço grande, de preferência ao ar livre. Então, vão ser necessários dois postes ou duas árvores para amarrar a corda de cada lado.

Antes de começar a atividade, construa uma teia de aranha entre as árvores com a corda. Deixe espaços de vários tamanhos, com os espaços maiores um pouco mais altos.

O objetivo é que as crianças passem para o outro lado da teia de aranha sem tocar na corda. Para conseguir isso, elas devem pensar juntas sobre a melhor maneira de passar pelos espaços e ajudar umas às outras.

Você pode aumentar a motivação das crianças criando uma história de terror em torno da necessidade de “escapar” atravessado o emaranhado.

No final da atividade, faça uma avaliação através de um debate entre todos os participantes. Nessa discussão, vão ser analisados os mecanismos de cooperação implementados, ​​e as crianças devem expor como se sentiram ao longo do exercício.

A atividade da teia de aranha permite ensinar as crianças a resolver conflitos em grupo. Como consequência indireta, essa atividade também ajuda na socialização dos pequenos.

“Através de atividades para ensinar as crianças a resolver conflitos, a dinâmica de aprendizagem é estabelecida de forma lúdica e divertida”

3. A representação

A dinâmica da representação – ou jogo de interpretação de papéis – também é muito usada para ensinar as crianças a resolver conflitos.

O principal objetivo é desenvolver e incentivar a empatia entre os participantes. Trata-se de encenar uma situação real ou inventada. Para isso, o grupo pode ter até aproximadamente vinte participantes.

O instrutor ou professor deve propor uma situação de conflito. Se dentro do grupo houve uma situação que gerou tensões ou brigas, você pode aproveitar essa oportunidade para lidar com isso. Você também pode inventar uma situação hipotética.

As atividades em grupo ajudam as crianças a resolverem conflitos.

Peça que algumas crianças se voluntariem para interpretar os diferentes papéis dos personagens que serão os protagonistas da história. Em seguida, elas devem ter alguns minutos para estudar o seu personagem.

Depois se realiza uma representação da situação. O último passo é realizar um debate entre todo o grupo. Nessa discussão, tentaremos chegar a um ponto de entendimento comum, uma espécie de acordo.

Como você pode ver, todas essas atividades são simples e divertidas. Portanto, teremos a atenção e motivação das crianças para participar delas, principalmente por estar no ambiente escolar e com seus colegas. Escolha a atividade mais eficaz e ensine às crianças essa importante habilidade para o futuro.

  • Hakkarainen, P., & Veresov, N. (1998). Leikki , mielekkyys ja lapsen kehitys. Kasvatus.
  • Deutsch, M., Coleman, P. T., & Marcus, E. C. (2006). The Handbook of Conflict Resolution: Theory and Practice. John Wiley and Sons Inc. https://doi.org/10.4135/9780857024701