É bom guardar a comida do bebê?

3 de abril de 2019
Perguntas sobre como guardar a comida do bebê é uma dúvida muito frequente. Existem várias maneiras de fazer isso e são muito simples. O importante é tomar as precauções necessárias para preservar a saúde da criança a fim de garantir um desenvolvimento saudável.

Praticamente todas as mães se perguntam se é bom guardar a comida do bebê ou não. Embora seja preferível que a comida do bebê seja preparada na hora, existem várias maneiras de armazená-las sem que percam suas propriedades nutricionais.

Os alimentos podem ser armazenados por até três meses, desde que sejam tomadas as devidas precauções. Para garantir o bem-estar dos filhos, é importante evitar a proliferação de bactérias. Por exemplo, é muito importante não dar de comer diretamente do recipiente em que a comida é armazenada.

As bactérias que estão na saliva passam para a comida e se reproduzem com muita facilidade. Se guardarmos essa comida, na próxima vez que a criança for comer, estaremos oferecendo um prato cheio de bactérias.

É bom guardar a comida do bebê?

Guardar a comida do bebê ajudará a economizar tempo e dinheiro. Basta seguir alguns procedimentos para ter a tranquilidade de cuidar dos seus filhos ao mesmo tempo que você economiza.

Porções para cada refeição

É importante que você separe as porções que a criança come em cada refeição. Quando preparar a comida, pegue o necessário para o momento e guarde o restante em recipientes limpos e muito bem tampados.

Com esse tipo de precaução, você evitará que a comida seja contaminada e tem certeza de que estará adequada para a próxima refeição.

Guardar a comida do bebê economiza tempo e dinheiro

Se o bebê não terminar de comer o que você separou para ele no momento, é melhor jogar os restos fora. Assim, mais uma vez, evita-se a proliferação de bactérias que poderiam deixar a criança doente caso seja consumida mais tarde.

Guardar em um local fresco

Se os potes não forem abertos, podem ser armazenados à temperatura ambiente, desde que seja em um local fresco.

Locais quentes aumentam a proliferação de bactérias e podem estragar os alimentos. Se qualquer um desses recipientes apresentar sinais de umidade, é melhor descartar imediatamente.

À medida que novos produtos forem comprados, é melhor guardar na parte de trás do armário ou da geladeira. Os mais antigos devem ser colocados na frente para lembrar de consumir nessa ordem. Assim, você evita que os produtos vençam antes de comer.

Dois ou três dias

Se os recipientes com papinhas, sopas ou qualquer outro alimento forem abertos, podem ser armazenados na geladeira por dois ou três dias.

Isso só deve ser feito se a tampa estiver bem fechada e o alimento não tiver sido contaminado. Por isso, é sempre recomendável pegar somente a porção que o bebê vai comer no momento e guardar o resto.

Ao preparar papinhas, mingaus ou sopas, é aconselhável não deixar descansar por mais de duas horas à temperatura ambiente. A proliferação de bactérias é muito rápida.

Se a comida for preparada em casa, é preciso limpar muito bem os recipientes com detergente e água fervente antes de armazenar. Também é importante deixar a comida esfriar bem antes de congelar.

Uma ideia é colocar esses alimentos líquidos em formas de gelo e cobrir com um plástico para proteger melhor. Quando congelar, você pode armazenar os cubos em recipientes maiores e pegar somente o necessário para a refeição.

Uma vez congelado, no máximo três meses

A comida congelada não pode exceder os três meses. Por isso, rotule os potes para lembrar qual é o conteúdo e a data de congelamento.

As frutas batidas podem ser congeladas imediatamente, mas as verduras não. No caso das frutas, é aconselhável adicionar algumas gotas de limão para preservar as vitaminas e não escurecer. No caso das verduras, é preferível bater depois de descongelar para conservar a textura.

A melhor maneira de guardar a comida do bebê é congelando.

Como descongelar

Para descongelar a comida, coloque-a previamente ao uso na geladeira, mas não por mais de 48 horas para evitar o desenvolvimento das temidas bactérias. Outra opção é colocar o recipiente em uma panela de água fervente, em banho-maria.

Se você usar o micro-ondas, lembre-se de mexer bem a comida para que a temperatura fique homogênea na porção toda. Tenha cuidado para não esquentar demais, pois pode causar queimaduras na boca e na língua do bebê.

Por fim, não é aconselhável voltar a congelar a comida depois de descongelada. Além disso, a geladeira deve estar limpa e sem gelo acumulado para a maior segurança e higiene dos alimentos.