Emoções que você transmite ao seu bebê

19 Junho, 2018
Se a mãe consome drogas ou álcool, pode afetar negativamente o bebê. Mas as emoções também influenciam no caso, por exemplo, de a mãe estar feliz, triste, estressada ou deprimida.

Durante a gravidez, as emoções podem ser prejudiciais ou benéficas para o bebê, dependendo da positividade ou negatividade da emoção. Neste artigo, vamos aprender sobre as emoções que você transmite ao seu bebê, sejam elas boas ou ruins.

As emoções

As emoções são reações que demonstram a nossa percepção sobre determinados indivíduos, objetos, lugares ou eventos. Elas alteram psicologicamente o nosso corpo. Por exemplo: alteram a atenção, aumenta ou diminuem a importância de condutas específicas e ativam redes associadas à memória.

É por isso que temos respostas imediatas do nosso corpo para algumas coisas, como quando nossas expressões faciais, os músculos, a nossa voz e o nosso sistema endócrino mudam.

Os vários estados emocionais são causadas pela liberação de um neurotransmissor e de hormônios, que, em seguida, transformam essas emoções em sentimentos e, por fim, na linguagem.

As emoções servem para estabelecer a nossa posição em relação ao ambiente. Elas nos guiam na direção de certas pessoas, objetos, ações ou ideias, assim como nos leva para longe de outras.

Portanto, as emoções atuam como depósito de influências naturais e aprendidas. Além disso, possuem certas características invariáveis e outras que apresentam alguma variação entre indivíduos, grupos e culturas.

Emoções que você transmite

Emoções prejudiciais

Estresse

Um estudo mostrou que o estresse produzido em uma mulher grávida pelas discussões com o parceiro, pelas discussões que presencia e pelo abuso físico ou verbal causam efeitos adversos no desenvolvimento mental dos bebês, podendo levar ao estresse infantil.

“Descobrimos que se a mulher tinha um parceiro que emocionalmente abusou dela durante a gravidez, o desenvolvimento da criança foi gravemente afetado. O relacionamento dos pais desempenha um papel crucial e muito importante no desenvolvimento cerebral da criança. “

Vivette Glover (Professora do Imperial College London)

Tensão nervosa

As emoções que você transmitir ao seu bebê o afetam. Por exemplo, no caso de mães angustiadas, os filhos tendem a sentir angústia com frequência também. O desenvolvimento do feto pode ser afetado se a mãe viver com altos níveis de estresse.

 “O ambiente uterino afeta o crescimento da criança, que pode apresentar predisposição a doenças, como consequência das pressões excessivas sentidas pela mãe.”

                            Pathik Wadhwa (Faculdade de Medicina da Universidade de Kentucky)

Os estudos indicam que é mais provável para mães tristes deem à luz prematuramente. Também pontuam que “exercícios de relaxamento podem ajudar a reduzir a pressão arterial nas grávidas tensas e, assim, promover um ambiente uterino mais saudável”.

Ansiedade

Uma mãe ansiosa pode influenciar o coeficiente intelectual do filho. Isso pode ocasionar doenças mentais, hiperatividade e síndrome de déficit de atenção.

Essa situação ocorre porque, apesar de a placenta agir como uma espécie de envelope protetor, os estados de emoções negativas fazem o corpo da mãe produzir o hormônio liberador de corticotrofina (CRH), que estimula a hipófise a secretar o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH), o que leva as glândulas adrenais a liberar cortisol, deixando o corpo em estado de em alerta.

O cortisol é tóxico para o feto e quando os níveis são muito elevados ultrapassam a barreira protetora da placenta. Esse hormônio chega ao bebê, informando-lhe que está em perigo.

Dessa forma, o bebê responde a esse estímulo. E é por isso que alguns bebês choram mais vezes, são mais suscetíveis ao estresse e apresentam altos níveis de ansiedade. A ansiedade da mãe altera o fluxo sanguíneo do bebê. Assim, ele recebe menor quantidade de sangue e seu desenvolvimento intelectual é afetado.

Emoções que você transmite

As emoções positivas

As emoções positivas transmitem ao bebê um efeito fortalecedor e duradouro. Quanto maior for a felicidade e a harmonia na casa, mais feliz e bem-vindo seu filho vai se sentir. As pessoas ao seu redor podem inspirar esperança, confiança, fé e segurança, que são fatores estimulantes na saúde emocional e mental do seu bebê.

Mas um aspecto realmente importante é o sorriso. É isso mesmo, um sorriso é muito importante! Tem um impacto tanto em quem sorri quanto em quem o recebe. É possível que um belo sorriso alivie a ansiedade e seja como a válvula de escape de uma panela de pressão.

Se estivermos tensos ou frustrados, um sorriso vai nos ajudar a reduzir o estresse e superar a frustração.

Assim, as emoções que você transmite ao seu bebê podem influenciar tanto positiva quanto negativamente. E não se esqueça, não depende só de você: todos em casa podem contribuir!