Vou ensinar você a se valorizar, meu filho, porque você é a coisa mais bonita desse mundo

· 2 de janeiro de 2019
Vou fazer você ver que é digno desse mundo, que você pode alcançar os sonhos que desejar porque seus pés são fortes e sua mente é livre para chegar ao topo de qualquer montanha, para tocar com os dedos qualquer estrela.

Eu vou ensinar você a se valorizar, meu filho. Eu vou te ensinar humildade, meu filho, mas ensinarei também a grandeza dos corações que sabem respeitar a si mesmos.

Essa mensagem, essa ideia é uma coisa que todos nós, como mães, pais e educadores costumamos ter em mente.

No entanto, assim como nos explicava Wayne Dyer no livro “Seus pontos fracos”, quando uma pessoa ama a si mesma o suficiente, a desaprovação de alguém não é algo preocupante ou assustador.

Como adultos, sabemos muito bem disso. No entanto, não acontece a mesma coisa no caso das crianças.

“Amor a si mesmo é o ponto de partida para o crescimento da pessoa que sente o valor de se fazer responsável pela sua própria existência”

-Viktor Frankl-

Assim, uma criação e uma educação em que estejam presentes a desaprovação e a crítica que às vezes dirigimos às crianças pensando que dessa maneira estamos “ensinamos como a vida é”, vai resultar, em curto e longo prazo, na construção de uma autoestima fraca.

Além disso, poderá se desenvolver uma percepção de si mesma tão carente de alimento emocional que quando essa criança for um adulto vai viver dependente de tudo aquilo que as outras pessoas disserem.

Para além daquilo que podemos pensar, não é fácil estimular um autoconceito positivo ou uma autovalorização forte e saudável que toda criança deveria começar a construir desde cedo.

E não é por uma razão muito simples: se o papai e a mamãe não se valorizam, semeiam fraquezas e inseguranças no coração dos seus pequenos.

Hoje, em Sou Mamãe, vamos apresentar alguns pontos-chave sobre os quais refletir.

Vou ensinar você a se valorizar, vou me cuidar como pessoa para transmitir meus pontos fortes

se valorizar

Uma coisa que sem dúvida comentamos em muitas situações neste espaço é investir no seu bem-estar, na sua saúde emocional e no seu crescimento pessoal.

Se você é feliz, vai transmitir felicidade. Se você sabe transmitir felicidade, vai dar ao mundo homens e mulheres fortes.

A tarefa e o empenho valem a pena. Por isso, propomos que você leve em consideração as seguintes ideias.

Ensinar a se valorizar através da brincadeira

A brincadeira simbólica é uma grande estratégia por meio da qual você pode começar a introduzir valores e estratégias psicológicas adequadas às crianças.

Assim, uma forma lúdica e simples de conseguir fazer isso é por meio de bonecos, sejam de pelúcia ou os clássicos bonecos de Lego.

Você pode recriar histórias: “Na escola, falam para Carlos que ele é feio e burro”, “O que você diria para ajudá-lo?”, “Se você fosse o Carlos… o que pensaria?, como reagiria?, ia acreditar que é burro mesmo somente porque outra criança falou?”

Corrigir por meio do reforço positivo

Saber corrigir nossos filhos é uma arte que nem todos os papais e as mamães sabem realizar.

Nunca devemos reproduzir a típica situação de “você já quebrou mais uma coisa, é a pior criança do mundo”, “você não conseguiu passar no teste porque obviamente não serve para estudar matemática, seu irmão é mais aplicado que você”.

  • O reforço positivo na correção se baseia em saber indicar à criança que ela errou e como poderia fazer melhor da próxima vez.
  • No reforço positivo nunca se faz comparações.
  • Por sua vez, essa técnica se baseia também em saber transmitir ao pequeno confiança em si mesmo: “eu sei que você errou, mas a mamãe confia em você e sabe que da próxima vez você vai se sair bem”.

Evitar elogios pouco críveis ou exagerados

se valorizar

Uma coisa que deveríamos saber é que muitas vezes determinadas palavras, frases e adjetivos, que aparentemente são positivos, não acabam sendo úteis na hora de trabalhar a autoestima.

Expressões como “você é o mais bonito”, “você é a criança mais inteligente do mundo” ou os elogios que se limitam à imagem da criança na verdade não servem de nada para os pequenos.

O reforço enriquecedor, aquele que favorece a autoestima e que ajuda o pequenos a se valorizarem positivamente precisa ser sincero, lógico, adequado e, principalmente, real.

Por isso, é essencial que você personalize os elogios: “você é uma criança responsável e eu adoro que você seja assim, sei que vai conseguir o que se propõe a fazer porque você sabe se esforçar, mesmo que às vezes cometa erros. A mamãe estará aqui para ajudar caso precise”.

Seja objetivo nas suas opiniões e faça com que elas sejam úteis: “eu gostei do desenho, mas acho que essa outra cor teria ficado melhor. E você, o que acha?”

 “As pessoas que acham que não são capazes de fazer determinada coisa não vão conseguir nunca, mesmo que sejam capazes”

-Indira Ghandi-

Eu ensinarei você a se valorizar através da autonomia e da responsabilidade

se valorizar

Para estimular a autoestima é vital que a criança tenha responsabilidades e que aprenda pouco a pouco a ser autônoma. Dessa maneira, se sentirá orgulhosa das suas conquistas, das suas capacidades.

No entanto, a autonomia sempre estará relacionada às capacidades e a como a criança nos mostra que é capaz de assumir efetivamente determinadas responsabilidades.

Os pequenos nos demonstram isso com o tempo, ao longo do qual nós seremos facilitadores habilidosos, sábios progenitores que sabem como oferecer asas para que possam voar, mas sempre construindo profundas raízes.